Banners


Create your own banner at mybannermaker.com!

Aproveitamento do caroço de açaí

< / a >

segunda-feira, setembro 29, 2008


Apresentadora Maisa não fala com a imprensa. Família da apresentadora mirim também não conversa com jornalistas. Maisa é mesmo um dos maiores fenômenos da atualidade na televisão brasileira. Com apenas seis anos, a menina prodígio tem conquistado os telespectadores por conta de seu jeito espontâneo, no comando de dois programas no SBT. Tanto interesse por parte do público com a garota acabou despertando na imprensa a vontade de entrevistar a garotinha. Porém, existe um acordo entre o canal de Silvio Santos com a pequena para que ela não dê entrevistas. O empresário disse recentemente, em sua atração aos domingos, que ela ainda é muito pequena para ser entrevistada. Em conversa com o Famosidades, a assessoria de imprensa do SBT confirmou as informações. Os familiares da menina também preferem não falar com os jornalistas. Se depender de Silvio Santos, somente o empresário poderá conversar com a apresentadora no quadro "Pergunte para Maisa", em que Silvio entrevista a menina em seu programa dominical. Além deste quadro, Maisa apresenta dois programas de desenhos animados no SBT. Antes de passar pela emissora, a menina participava do programa de Raul Gil, na Band. Ela tem dado trabalho para Xuxa no Ibope. Em alguns sábados, a garota fica com uma grande diferença de audiência da Rede.

MULHERES SOFREM MAIS COM PROBLEMAS SEXUAIS NO ENVELHECIMENTO, DIZ PESQUISA.

29 de setembro de 2008 (Bibliomed). Problemas sexuais que surgem com o envelhecimento incomodam mais as mulheres do que os homens, segundo pesquisa realizada, em junho, pela empresa americana Harris Interactive. O estudo indica também que elas estão menos preparadas do que eles para encarar esses sintomas e problemas.
Avaliando 705 americanos com idades entre 50 e 71 anos, através de um questionário eletrônico, os pesquisadores constataram que 71% dos participantes acreditam que a vida sexual declina com a idade.
Entre as mulheres, 67% relataram pelo menos um dos sintomas sexuais da menopausa, como secura vaginal (49%), baixa libido (47%) e dor durante o ato sexual (23%). Enquanto, apenas 59% dos homens relataram problemas como incapacidade de ter a ereção (30%) e de mantê-la (48%), além de baixa libido (16%).
Apesar de parecer que as mulheres sofrem mais com esses problemas, a maioria acredita que os homens são mais propensos a apresentar sintomas sexuais. “Isso pode acontecer por causa do volume e facilidade de acesso a informações sobre disfunção erétil. Por outro lado, a maioria das mulheres enfrenta sintomas sexuais durante a menopausa, com menos informações disponíveis para elas”, explicou o ginecologista e obstetra David B. Schwartz.
O especialista explica que muito dos sintomas femininos estão relacionados à falta de estrogênio durante a menopausa, que pode levar à secura e estreitamento da vagina. Ele destaca que muitos tratamentos são disponíveis, mas o mais importante é o diálogo entre os parceiros para uma vida sexual saudável.

ALUNOS QUE COLARAM PROFESSORA NA CADEIRA SÃO EXPULSOS EM CAMPINAS (SP).

MAURÍCIO SIMIONATO: da Agência Folha, em Campinas
Os três alunos da rede estadual em Campinas (93 km de SP) que colaram uma professora na cadeira no último dia 19 foram expulsos da escola. Os estudantes, com idades de 12 e 15 anos, usaram cola de secagem rápida na cadeira da professora, de 28 anos, e foram expulsos da Escola Estadual Reverendo Eliseu Narciso, na periferia da cidade.
A decisão sobre a expulsão foi tomada na última sexta-feira pelo Conselho de Pais e Mestres --composto por pais, alunos, professores e direção da escola. Eles serão transferidos para escolas diferentes.
Os alunos aproveitaram a sala vazia na hora do intervalo e despejaram a cola na cadeira da professora --que não teve o nome divulgado. Ela teve queimaduras de primeiro grau nas pernas depois que a cola corroeu sua calça jeans.
A docente conseguiu se desprender da cadeira e foi atendida em um pronto-socorro. Por meio da direção da escola, ela informou que não pretende processar o Estado nem os pais dos alunos.
O caso foi registrado na Delegacia da Infância e da Juventude de Campinas. A Vara da Infância e da Juventude da cidade também já ouviu o depoimento de um dos jovens e deve definir punição.

AVALIAÇÃO PESSOAL DE LULA ATINGE 80% EM SETEMBRO, DIZ CNI/IBOPE.

GABRIELA GUERREIRO: da Folha Online, em Brasília
A avaliação pessoal do presidente Luiz Inácio Lula da Silva também atingiu recorde em setembro deste ano, subindo de 72%, em junho, para 80%, segundo aponta pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta segunda-feira.
A desaprovação recuou sete pontos percentuais na comparação com o mês de junho, descendo de 24% para 17%.
No Nordeste, a aprovação à maneira do presidente Lula governar chegou a 92%. A pesquisa registra que o único movimento negativo a Lula está entre os que ganham mais de dez salários mínimos mensais, grupo em que foi possível registrar redução no apoio ao presidente.
Na região Sudeste, a apoio ao presidente atingiu o índice de 74%. Na região Sul, chegou a 77% de aprovação e 19% de desaprovação, enquanto nas regiões Norte e Centro-Oeste o apoio a Lula chegou a 77%.
Na divisão por faixas salariais, o índice de aprovação ao presidente é maior entre os que ganham até um salário mínimo: 87%. Segundo a CNI/Ibope, a aprovação ao presidente cai ao ser elevado o nível de escolaridade dos entrevistados. Entre os que têm nível superior, a aprovação ao petista é de 66%. Já entre os que recebem mais de dez salários mínimos mensais, o percentual de apoio é de 56%.
A pesquisa foi realizada entre os dias 19 e 22 de setembro e ouviu 2.002 pessoas em 141 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

domingo, setembro 28, 2008

AS 10 FOBIAS MAIS BIZARRAS


O ser humano é um bicho muito esquisito: alguns têm medo de dormir, de fazer xixi e até de pessoas feias. Veja as fobias mais esquisitas que o ser humano pode ter.
1º. Antropofobia - Medo da sociedade humana ou aglomerações.
2º. Telefonofobia - Medo dos telefones
3º. Eleuterofobia - Medo de ter liberdade. Mais precisamente, "aversão e medo mórbido irracional, desproporcional persistente e repugnante de ter autonomia ou responsabilidade"
4º. Urofobia - Medo da urina ou de urinar
5º. Unatractifobia - Medo de pessoas feias
6º. Hipnofobia - Medo de dormir; horror ao sono
7º. Fonofobia - Medo e horror à sua própria voz e pavor de falar alto
8º. Fobofobia - Medo dos seus próprios medos; de ter algum tipo de fobia
9º. Catisofobia - Medo de sentar-se.
10º. Pantofobia - Medo de todas as coisas, ou todos os medos e fobias em um só. Pantofobia, em seu estado máximo, domina a mente humana de forma a matar o ser sem causas fisicas reais, ou seja, a Pantofobia induz ao suicídio biológico.

22% DOS CANDIDATOS A VEREADOR EM SÃO PAULO TÊM ANTECEDENTE CRIMINAL.

Reportagem da Folha publicada na edição deste domingo informa que dos 1.077 candidatos que disputam uma vaga de vereador em São Paulo nas eleições da semana que vem, 241 (22% do total) têm antecedentes criminais na Justiça.
Com base nas certidões criminais entregues pelos próprios candidatos ao registrar a candidatura, a reportagem mostra que os concorrentes respondem ou responderam a 267 inquéritos policiais e a 175 processos.
Segundo a reportagem, as acusações mais freqüentes são de lesão corporal e estelionato, mas há casos de tentativa de homicídio e homicídio culposo (sem intenção de matar, como um acidente de trânsito).
O antecedente criminal revela a vida pregressa da pessoa, mas não significa que ela tenha sido condenada pelo crime.
Os antecedentes já estão disponíveis na ficha dos candidatos na Folha. Veja a lista dos candidatos com antecedentes criminais.

SINDICATO COBRA DA SOCIEDADE VALORIZAÇÃO DO IDOSO E COMBATE AO PRECONCEITO.

O secretário-geral do Sindicato Nacional dos Idosos, Arnaldo Gonçalves, indica alguns desafios ao governo para a Política Nacional do Idoso. O principal deles seria o de ensinar os outros a tratar de forma diferenciada as pessoas da terceira idade. Ele aproveita as comemorações do Dia Nacional do Idoso, lembrado neste sábado (27) em algumas cidades, para afirmar que falta no Brasil uma cultura de valorização dos mais velhos. Há dois anos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva transferiu oficialmente a data para 1º de outubro, quando se comemora o Dia Internacional da Pessoa Idosa.
'Quando a pessoa fica velha, a tendência da sociedade é deixá-la de lado. O preconceito contra o idoso é algo que precisa ser encarado. O idoso não pode ser visto como uma pessoa que atrapalha, mas sim como alguém que pode ajudar com experiência e vivência. As escolas precisam educar as crianças e jovens para mudar este quadro de desvalorização', defende. 'As pessoas precisam ter consciência de que um dia também ficarão velhas', completa.
Mas de um modo geral, na juventude, ninguém pensa nisso. O aposentado José Vasconcelos, de 66 anos, nem imaginava o futuro quando era jovem. Ele trabalha atualmente como vendedor ambulante pelas ruas de Brasília, para complementar a renda.
'O salário mínimo não dá para pagar todas as contas. Por isso, agora, tenho que correr atrás de dinheiro. Se eu pudesse voltar no tempo, teria me planejado melhor, teria estudado. Eu tive muitas oportunidades, mas não aproveitei nenhuma delas. Quando a gente é novo, a gente não pensa nas coisas, agora é tarde', lamenta.

sexta-feira, setembro 26, 2008

CANDIDATO A VEREADOR É PRESO EM PARAUAPEBAS.



Homens da Polícia Militar prenderam na tarde desta última sexta-feira (26), o radialista e diretor da Rádio Arara Azul FM Demerval Moreno que é candidato a vereador em Parauapebas pelo Partido Verde (PV), sigla que faz parte da “Coligação Parauapebas no rumo certo”, que tem a frente o Partido dos Trabalhadores do prefeito candidato à reeleição Darci José Lermen.
No momento da confusão, Demerval Moreno participava de uma carreata nas proximidades da rua Marabá, no bairro da Paz, momento em que Vanderlei Mota, locutor da rádio Arara Azul que também estava na carreata foi interpelado por funcionários da Justiça Eleitoral e homens da Polícia Militar para que os carros das autoridades pudessem passar, mas não foi possível devido ao grande número de veículos na carreta. Como Vanderlei Mota não parou o veículo que estava conduzindo, homens da Polícia Militar partiram para cima do radialista, fazendo assim com que Demerval Moreno interferisse na prisão de Vanderlei. A partir desse momento, Demerval Moreno preso e algemado em flagrante por tentar impedir o trabalho dos policiais e conduzido à Delegacia de Polícia em companhia de Vanderlei Mota.
Populares se solidarizam com Demerval
Logo após que foi preso e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil, cerca de trezentas pessoas se deslocaram até o local para dar apoio ao candidato do Partido Verde que havia sido preso.
Demerval Moreno comenta prisão
Com exclusividade Demerval Moreno logo após ter tido as algemas retiradas de seus braços falou à reportagem.
“Fizemos uma carreata programada, registrada e permitida para sair às ruas. Uma carreata dentro de uma cidade em um dia útil, logicamente que ela interfere no trânsito, o que aconteceu foi exatamente isso, em uma interferência do trânsito, funcionários da Justiça Eleitoral que estava acompanhando a carreata tentaram fazer uma ultrapassagem com a Polícia, e um de nossos carros que estava sendo conduzido pelo meu amigo Vanderlei Mota acabou interferindo a ultrapassagem das autoridades, momento em que eles interceptaram o carro de Vanderlei Mota e tentaram prender o meu amigo. Momento em que eu tomei as dores de Vanderlei, saí em defesa de meu amigo, pois não poderia deixar aquilo acontecer, e por conta disso acabei sendo preso, algemado e jogado em cima de uma viatura com todo desconforto que um bandido, matador e estuprador merece. Fui tratado dessa forma e conduzido até a delegacia. Não dá para eu compreender que a Justiça brasileira trate cidadãos de bem como trata os bandidos, principalmente por infrações simples que nós já tínhamos inclusive acordado com a Polícia, que iríamos até a delegacia. Repudiamos esse ato e exigimos que as autoridades de Parauapebas tentem nos justificar o motivo da Polícia agir com tanto abuso de poder contra um cidadão”, indaga Demerval Moreno.
Tenente da PM fala sobre as prisões
Perguntado pela reportagem sobre o fato que levou à prisão os dois radialistas, o tenente Jorge que estava à frente da operação da Polícia Militar comentou os fatos, confira na íntegra. “Tinha um mandado judicial da Juíza Eleitoral de Parauapebas para fiscalizar algumas imprudências eleitorais, e a Polícia Militar estava apenas acompanhando o trabalho dos funcionários do órgão. Em determinado momento, os dois indivíduos que foram encaminhados para a Depol tentaram obstruir a operação da policia, momento em que eles foram interpelados por homens da Polícia Militar que por sua vez foram desacatados e mesmo com a voz de prisão dada aos dois, eles resistiram e foram conduzidos à Delegacia para tomarmos os procedimentos cabíveis”, enfoca o policial. Perguntado pela reportagem pelo motivo de Demerval Moreno ter sido algemado, o tenente relata, “Demerval Moreno acabou resistindo à prisão, e para a sua segurança tivemos que algemá-lo para que o mesmo não fizesse um ato impensado”, finaliza.
Vale lembrar que o Código Eleitoral, em seu artigo 236, § 1º, estabelece que os candidatos não podem ser detidos ou presos salvo em flagrante delito a partir de 20 de setembro, ou seja, 15 dias antes da realização do pleito. (Reportagem: Bariloche Silva)
Fotos: Bariloche Silva
O BT MANIFESTA SUA SOLIDARIEDADE AO COLEGA DE IMPRENSA.

19 DE SETEMBRO: 17 ANOS DE IMPUNIDADE PARA O PRIMEIRO CRIME POLÍTICO DE PARAUAPEBAS.

QUEM TERIA INTERESSE NA MORTE DO EX-VEREADOR JOÃO PRUDÊNCIO DE BRITO?
Publicado no jornal Boca no Trombone do Estado do Pará na ²ª quinzena de setembro de 2008, pelo seu Diretor Presidente Valter Desiderio Barreto.

Em setembro deste ano, precisamente no dia 19, completou 17 anos da morte do ex-vereador João Prudêncio de Brito. Somente porque era um homem público sério, não gostava de bandalheira e nem de corrupção no meio político, foi barbaramente e covardemente assassinado por pistoleiros frios e contumazes, sob o mando da máfia política daquela época que se estabeleceu no município de Parauapebas, sudeste do Pará, que está lutando a todo custo para retornar ao comando do poder público na pessoa da deputada federal Bel Mesquita. Até hoje, os mandantes desse ato covarde estão tranqüilos, os assassinos, já estão debaixo do chão, tornando mais difícil para a justiça se quiser e tiver o interesse de reabrir o caso, (porque ainda não prescreveu, só prescreve com 20 anos), encontrar os autores intelectuais e puni-los. Crimes políticos são difíceis de serem apurados e levar seus responsáveis para trás das grades, a exemplo do caso do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, que já se tem provas, testemunhas, gente presa, mas até agora, os mandantes não foram descobertos. O caso do mensalão em Brasília, que terminou em pizza, a máfia política é muito poderosa, em Parauapebas não poderia ser diferente, o João Brito foi morto exatamente porque contrariava interesses de políticos medíocres da época e que continuam tentando se perpetuar no poder. A história, a maioria das pessoas da cidade já sabe, evidentemente, que não é com a riqueza de detalhes de quem acompanhou de perto e inclusive atuou como protagonista na época, assim como eu e demais companheiros que empunharam a bandeira da moralidade e em defesa do dilapidamento do patrimônio público municipal pelos políticos daquele período que se constituiu uma página negra no município mais rico do Brasil. Já foi contada essa história na imprensa local e nos demais veículos de comunicação do estado, porém, por desincargo de consciência, pela primeira vez, será revelado neste periódico, quem foram os verdadeiros interessados na morte do ex-vereador João Prudêncio de Brito. Com certeza, depois da revelação feita, vão dizer que só porque ‘os caras’ morreram e não poderão se defender ou entregar os mandantes daquele crime hediondo, é que estamos revelando agora. A justiça tem seus meios de apurar e investigar e tem como pedir o sigilo bancário de todos os suspeitos da época, não sei se tem como quebrar o sigilo telefônico, o certo é que agora é que chegou o momento, embora sabendo que continuarei a correr risco de morte, mas estou pronto para o que der e vier, só não posso é morrer com minha consciência pesada de não ter revelado em vida o que sabia sobre a morte do meu amigo e correligionário de partido político na época o PDT, onde éramos membros. Em memória dele, pela confiança que tinha em mim, me pedia sempre, após entregar-me documentos que comprometiam não somente o gestor municipal da época, Faisal Salmen, como correligionários seus coniventes com o mesmo, que se acontecesse alguma coisa com ele, que eu divulgasse na imprensa, não só estadual, como na nacional, tanto que o mesmo me nomeou representante da C.P.I. da qual era o relator que decidira pela cassação do mandato do Faisal na época, junto à imprensa nacional e solicitou à empresa de transporte Útil a cortesia de duas passagens de ida e volta ao Rio de Janeiro para que eu denunciasse aos grandes veículos de comunicação daquele estado, o escândalo político que estava acontecendo em Parauapebas e as autoridades local e estadual não tomavam nenhuma providência, apesar de serem solicitadas. A empresa prontamente nos doou as passagens. Eu tenho em meus arquivos, o veredicto da juíza Maria Vitória Torres do Carmo, quando impronunciou (absolveu) a D.Marlene Abadia da Silva, mulher do João Brito na época, acusada de ser a mandante da morte do mesmo, caracterizando assim em crime passional, custando-lhe 9 meses de cadeia de forma arbitrária, sendo solta da mesma, depois da minha ida ao Ministério da Justiça em Brasília denunciar o caso ao então Ministro da Justiça Célio Borja. No documento, além da juíza fazer algumas censuras ao comportamento suspeito de cada testemunha, censura também de forma contundente a participação de um criminoso, Josimar Batista dos Santos, filho do então vereador José Dionísio dos Santos, que também já foi assassinado ainda por conta do crime do João Brito como queima de arquivo, rejeitando inclusive seu depoimento pelo fato do mesmo estar respondendo pelo assassinato bárbaro de uma mulher na antiga Rua do Meio, no Rio Verde, como testemunha de acusação, que na verdade veio a ser um dos dois pistoleiros que ceifou a vida do edil. A juíza se convenceu que o crime na verdade foi político, só que parou por aí, nunca mais ninguém investigou nada. As minhas convicções de que a morte do ex-vereador João Prudêncio de Brito estão baseadas no que passarei a relatar a partir de agora. Tudo começou no dia 1º de maio de 1990, quando convoquei a população através de um carro de som por duas horas na cidade, para participar de um ato público às 20 horas daquele dia no bairro Rio Verde, onde na oportunidade, eu iria apresentar pela primeira vez provas documentais contra desvios do dinheiro público pelo alcaide Faisal, através de uma nota fiscal de uma farmácia de Curionópolis, vendendo marmitex (comida) para a prefeitura de Parauapebas. Após minha denúncia, foi instalada uma CPI pela Câmara de Vereadores no dia 03 daquele mês, para apuração da mesma junto ao Tribunal de Contas dos Municípios. Comprovada a denúncia através de fartos documentos comprobatórios, travou-se um batalha para o afastamento do prefeito corrupto. Quando o Faisal reconquistou o direito na justiça de reassumir a prefeitura depois de ter sido afastado pela Câmara por 40 dias, negociou com todos os vereadores opositores a ele, sua permanência no cargo de prefeito até o final do seu mandato sem ser importunado com novas tentativas de cassação, só o vereador João Brito, não aceitou recuar em seu propósito de manter sua decisão de recomendar como relator da Comissão Processante, a cassação do Faisal Salmen, e para quem não sabe em uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), a palavra decisória é a do relator, e não a dos demais membros, sua decisão vai para o plenário para ser aprovada ou rejeitada pelo plenário da Câmara. Por sermos do mesmo partido político e muito amigos, a gente sempre estava conversando não só no seu gabinete, no prédio da Câmara, como na sua casa, e sempre nas nossas conversas, o assunto era o desfecho do imbróglio político vivido naqueles dias. Certa vez fez questão de contar pra mim, não me lembro se nosso amigo Janês Piva, amigo nosso e membro do PDT, que sempre esteve junto conosco naquela luta, estava presente à conversa, quando João Brito muito preocupado revelou-nos que por várias vezes havia recebido proposta do Faisal Salmen por meio do vereador Fernando para refazer o relatório modificando seu parecer decisório de cassação do mandato do mesmo, em favor de sua permanência no cargo.

Como recompensa por tal benefício, bancaria através dos cofres públicos do município, todas as despesas de tratamento (passagens aéreas com acompanhantes, internação em clínica particular e despesas de manutenção enquanto durasse o tratamento) de sua esposa Marlene Abadia da Silva, em São Paulo, que na época passava por problemas de saúde, o que o mesmo sempre recusou, porque dizia sempre. “Valter, ano que vem tem eleição, e eu vou me candidatar de novo, já pensou se eu voltar atrás e modificar meu parecer nesse relatório decidindo pela cassação do Faisal, o que é que o povo vai falar de mim? Que eu me vendi, e a única coisa que tenho para apresentar aos eleitores ano que vem, é a minha palavra, vergonha na cara e o meu caráter, porque dinheiro eu não tenho pra gastar”, finalizava ele.
O pior das propostas estaria por vir, que com certeza foi o principal motivo do assassinato do mesmo. Ainda em conversas costumeiras, o João Brito revela: “Valter, agora o Fernando me chega com outra proposta para assinar um documento solicitando à Procuradoria Geral do Estado, o arquivamento da representação que fizemos contra o Faisal, que em troca, além de eu receber ajuda para o tratamento da minha esposa, ainda receberei uma quantia em dinheiro, a exemplo do que já aconteceu com os outros que já assinou inclusive ele, (Fernando) já recebeu o dele, não sei quanto, mas segundo o acerto, o valor de cada assinatura é de acordo com a importância de cada vereador nesse processo, sendo assim, o Fernando e o Zé do Galo que são membros da CPI comigo já devem ter recebido uma quantia maior do que os outros, mas eu recusei Valter, não aceitei, embora eu esteja precisando, chateado com minha decisão, o Fernando se afastou dizendo pra mim: “É João, se você não assinar, tem quem assine por você, é só uma questão de tempo”. A partir daí, o João Brito ficou mais preocupado. Em uma de nossas visitas a sua casa, eu e o Janês Piva, ao chegar à varanda da mesma, ele estava limpando um revolver calibre 38, um detalhe nos chamou muita atenção, seu semblante estava muito triste, com a fisionomia muito carregada, e em tom de brincadeira, exatamente para descontraí-lo, perguntamos-lhe se estava se preparando para um duelo, como um agouro, ele nos responde: “é amigos, o clima que estou enfrentando, agora, tenho mais é que me prevenir, porque de traição, nem Jesus Cristo escapou”. Já sentados, o Janês Piva lhe perguntou se tinha medo de morrer, ao que ele respondeu que sim. Deu então pra entender a expressão do seu rosto que enquanto conversávamos, por mais que tentasse disfarçar a sua angústia por está vivendo um clima de incertezas dos rumos que os últimos acontecimentos tomariam, não conseguia.Depois de um bom tempo conversando, despedimo-nos e fomos embora cada um para suas casas.
Outro fato que me convenço na cumplicidade da maioria dos vereadores da época na morte do João Brito, foi quando fui receber o “famoso” cheque sem fundos, enviado por Faisal na casa do ex-vereador Zé do Galo, que assim como o vereador Fernando da Ótica, era o intermediário das negociações sujas do ex-alcaide de Parauapebas, e que até bem pouco tempo tinha sido adversário e inimigo do mesmo, tanto que se tornou membro da Comissão Parlamentar de Inquérito, e recebo a seguinte observação do mesmo: “professor Valto (como era analfabeto, nunca pronunciava meu nome correto), o Faisal mandou te dizer, que é pra tu tirar esse dinheiro e sumir o mais urgente possível daqui com a tua família, porque se tu pensar que vai pegar esse dinheiro e continuar aqui infernizando a vida dele, tu é homem morto”.
Concluindo assim os indícios da participação dos vereadores da primeira legislatura do município de Parauapebas, na morte do João Brito que só fiquei sabendo através da minha ex-esposa quando cheguei a São Paulo e telefonei pra casa para saber como estavam as coisas e ela me deu a trágica notícia, como eu não tinha entendido direito, perguntei-lhe: “É o Chico Brito ou o João Brito que você está falando ?”, ela confirma: “É o João Brito”, então lhe pergunto: “Já pegaram o assassino ?”, ela me responde que não, volto a perguntá-lhe: “Já sabem quem foi que mandou matar?” ela respondeu que não, então eu lhe disse: “Pois eu sei quem foi que mandou, deixa eu chegar aí”, e ela me repreende dizendo: “Olha você não vai se meter nisso não, ninguém aqui está podendo falar nesse crime, você vai ficar quieto se não pode sobrar pra você também”. E quando retornei de viagem, resolvi apurar tudo o que aconteceu na minha ausência, quando já estava de posse de vários depoimentos e documentos que no meu entender, o prefeito da cidade, vereadores e delegados estariam envolvidos naquele crime hediondo, que para descaracterizar o mesmo como crime político, prenderam a mulher dele de forma arbitrária como suposta mandante do crime, assim que a mesma voltou do Paraná onde fôra levar o corpo do João Brito, pelo fato de seus familiares morarem lá, fui para a imprensa do estado e denunciei conforme todos já sabem. O filho do Zé do Galo, depois de obter da justiça o benefício de liberdade condicional, contrariava na cidade todas as limitações impostas pela Lei, a quem vive essa situação, muito antes da morte do João Brito, fui desacatado pelo mesmo na Rua do Comércio, próximo à sorveteria dos irmãos Avelar e Alano, pelo fato do mesmo se sentir ofendido em uma referência que fiz sobre o crime cometido por ele em uma matéria que havia saído em um dos jornais da capital do estado, o que me fez procurar o seu pai na época para que o mesmo advertisse seu filho que eu apenas estava exercendo o meu papel de profissional da informação. Pois é, esse mesmo elemento depois da morte do João Brito se dirigiu a mim quando eu caminhava pela Praça Mahtma Gandhi, e em um tom ameaçador me diz: “professor, tu quer sozinho consertar o mundo, vai acabar de criar tuas filhas, para de ta mexendo em casa de marimbondo, tu viu o que aconteceu com o João Brito por querer ser certinho demais, nem a Câmara se incomodou com a sua morte, ele foi quem saiu perdendo e muitos colegas dele se deram bem, e até quem matou ele está tranqüilo aqui na cidade, andando no meio de todo mundo como se nada tivesse acontecido, eu e o Belchior os conhecemos, a gente podia denunciar eles não podia? Mas o que é que vamos ganhar com isso? Escuta o que to te falando pro teu bem”. Se me perguntarem por que só agora estou revelando esses detalhes depois que os supostos envolvidos já estão do “outro lado desta vida”, era porque minhas filhas na época eram indefesas, todas adolescentes, precisavam da minha proteção, hoje não, já são todas donas de seus narizes, até netos duas já me deram, até mesmo quando me sentir obrigado a me retirar da cidade em 96, depois da eleição fraudulenta da Bel Mesquita, como estratégia de garantir a minha sobrevivência, foi para preservar também minhas filhas que ainda eram menores de idade, e se continuasse na cidade, com certeza eu seria morto. Eu não fui embora com medo dessa máfia desgraçada que a qualquer momento pode dar cabo da minha vida, fui para preservar a minha família, mas nunca pensei em abandonar esse caso, vou continuar lutando para que os devidos culpados vão para a cadeia. Estou de posse da cópia do documento encaminhado à Procuradoria Geral do Estado, onde o mesmo pede o arquivamento da Representação feita pelos tais vereadores com seus respectivos nomes apostos no mesmo com suas devidas assinaturas, só falta a do ex-vereador João Prudêncio de Brito, que se recusara a assinar, e precisou morrer para alguém assinar em seu lugar, conforme ameaçou o seu colega Fernando. Não é muita coincidência? Ele é assassinado no dia 19 de setembro de 1991, e no dia 02 de outubro eles assinam esse documento? Não esperaram completar nem um mês da sua morte para concretizarem seus planos. Por que os dois filhos do vereador assassinado foram ameaçados por alguns vereadores quando os mesmos se deslocaram do Paraná com destino a Parauapebas para se informarem melhor o que de fato aconteceu com o seu pai, e ao procurar a Câmara de Vereadores que na verdade era o lugar indicado para tirar todas as dúvidas, foram então ameaçados pelos próprios vereadores que se encontravam presentes. Segundo os mesmos que me procuraram na minha casa para saber mais detalhes, já que os vereadores os receberam com desprezo e os aconselhou que voltassem para suas terras que eles estariam se metendo com coisa perigosa e que podia sobrar pra eles também, fui obrigado falar para os mesmos que eles haviam procurado o lugar errado para apurar a morte do pai deles, e passei a contar-lhes tudo que até então eles não sabiam. Despediram-se de mim e foram embora. Uma semana depois recebo um telefonema da mãe dos mesmos, agradecendo-me o que eu estava fazendo pelo seu ex-esposo (ambos eram separados há vários anos), mas que ela e nem os filhos não iriam mais se envolver no caso, porque eles foram ameaçados por vereadores que não souberam precisar seus nomes, e que ela sabia que a região era muito perigosa, fato esse noticiado pela televisão e ela não estaria juntamente com seus filhos, dispostos a correrem riscos de morte, mas que me agradecia muito pela minha atitude de está lutando por justiça, despedimo-nos, e depois quando tentei falar com ela, havia trocado o número do telefone, essas coisas o povo precisa saber.
Por isso que sempre tenho dito que tenho muita dificuldade de me relacionar com certos tipos de pessoas que fizeram parte de todas as administrações passadas e que tomaram partidos a favor de seus patrões quando eu procurava denunciá-los pelos seus atos incompatíveis ao cargo que ocupavam. Quando eu olho pra Câmara de Vereadores de Parauapebas hoje, me dá nojo de ver as mesmas pessoas que eram contra mim na época que prestavam serviços na administração municipal na gestão do Faisal e de sua ex-mulher Bel Mesquita, e hoje fica combatendo o governo municipal só de dor de cotovelo e inveja, eles não têm nenhuma moral para fazerem o que fazem, porque quando serviam a seus patrões, os defendiam com unhas e dentes, eles deveriam era parar com tanta demagogia. O Prefeito Darci, dentre todos que já passou pelo município sem dúvida, é o mais simples, quem quiser saber é só procurá-lo e conversar com ele, ele conversa com a gente de igual pra igual, você não vê nele aquele ar de superioridade que com certeza se percebe na maioria dos políticos.
Fiz a minha parte, as autoridades agora que façam a dela, não estou acusando ninguém, apenas com minhas revelações estou apontando caminhos para uma séria investigação sobre os verdadeiros interessados no assassinato do João Brito (antes que o mesmo prescreva), quem dirá quem são os culpados será a justiça, ela tem meios para isso. Inclusive, procurando apurar a quem interessou retirar o nome do ex-vereador assassinado do auditório da Câmara Municipal de Parauapebas, só sendo recolocado após denúncias feitas neste quinzenário Boca no Trombone do Estado do Pará, e com um agravante, assim como esperaram a minha retirada do município em 91 para assassinarem o João Brito, aproveitou também a minha ausência para retirarem o nome do mesmo do auditório daquela Casa de Leis municipal. Essa é a verdadeira história que revela o perfil e a índole criminosa dessa quadrilha de políticos que pretendem reassumir os destinos deste município, que uma boa parte das pessoas que se encontram aqui hoje, não conhece, porque chegaram bem depois desses fatos narrados. Por isso que o diretor deste quinzenário faz a diferença aqui em Parauapebas há 24 anos, porque quando faz denúncias contra alguém, apresenta documentos que comprovam a veracidade das mesmas, diferente daqueles que querem imitá-lo, fazendo denúncias contra o gestor atual municipal sem apresentar nenhuma prova ou documento que comprovam tais denúncias. Fizemos escola neste município, quando vemos pessoas fazendo hoje, o que já vimos fazendo contra esse grupo de mafiosos e corruptos ao longo desses anos, e que na época de nossas denúncias solitárias, todos ficavam em cima do muro. Mas, graças a nossa persistência que hoje o exército de denunciantes cada dia a mais vem aumentando. Valeu a pena o risco de morte que sempre corremos por denunciar esse grupo de mascarado que diz que ama Parauapebas, mas com suas atitudes não correspondem o que dizem.

terça-feira, setembro 23, 2008

BRASIL PIORA 8 POSIÇÕES NO RANKING DE CORRUPÇÃO.

O Índice de Percepção da Corrupção no Brasil se manteve estável em 2008 na comparação com o ano anterior, mas o país caiu oito posições no ranking dos países que tem menor percecpção da corrupção no setor público, ficando agora com a 80a posição, divulgou a organização não-governamental Transparência Internacional nesta terça-feira.
Mesmo com a manutenção do índice em 3,5, o Brasil aparece atrás de países como Butão, Botsuana, Gana e Seicheles na lista da ONG.
Na América do Sul, o Brasil ficou à frente de Argentina, Bolívia, Paraguai, Equador e Venezuela. O país também está empatado no ranking com Burkina Faso, Marrocos, Arábia Saudita e Tailândia.
A Transparência Internacional detectou uma "ligação fatal entre pobreza, instituições falidas e corrupção" no mundo como um todo.
De acordo com a entidade, a presença de países como Somália, Iraque e Haiti na parte de baixo do ranking mostra que o aumento da corrupção provoca um "contínuo desastre humanitário".
"Nos países pobres, os níveis de corrupção podem ser a linha divisória entre a vida e a morte, quando dinheiro para hospitais ou água potável está em questão", disse Huguette Labelle, presidente da Transparência Internacional, em comunicado.
"Porém, até mesmo nos países mais privilegiados, onde as sanções são aplicadas de forma perturbadoramente desiguais, o combate à corrupção precisa ser enrijecido", acrescentou.
Pelo segundo ano seguido, Dinamarca e Nova Zelândia lideraram o ranking de países com menor percepção de corrupção, dessa vez empatadas com a Suécia. No ano passado, a Finlândia também dividia a liderança. Haiti, Mianmar, Iraque e Somália ocupam as últimas posições.
O Índice de Percepção da Corrupção é calculado pela Transparência Internacional com base em diferentes pesquisas do setor privado e junto a consultores. O ranking conta com 180 países e considera o índice 10 como ausência de percepção de corrupção e o índice 0 como percepção total de corrupção.

segunda-feira, setembro 22, 2008

ÍNDIOS KYIKATÊJÊ VISITAM COMPLEXO MINERADOR DE CARAJÁS.







ÍNDIOS KYIKATÊJÊ VISITAM COMPLEXO MINERADOR DE CARAJÁS Programação, promovida pela Vale, atraiu dezenas de famílias que acompanharam demonstrações da cultura indígena
Eles chegaram de maneira discreta, mas logo se tornaram o centro das atenções. Os índios Gavião Kyikatêjê, no último sábado, 20, visitaram pela primeira vez o complexo minerador de Carajás, no município de Parauapebas, sudeste do estado. A aldeia Kyikatêjê, localizada no município de Bom Jesus do Tocantins (PA), é uma das comunidades indígenas que recebem o apoio da Vale com projetos de contribuição à educação, saúde, atividades produtivas, infra-estrutura, vigilância da reserva, administração da associação e fortalecimento cultural. "Além desses projetos, a empresa também busca a integração e o bom relacionamento dos índios com os empregados e toda a comunidade, e uma das maneiras de conseguir isso é através deste tipo de programação", ressaltou Luana Martins Andrade, coordenadora de Relações com comunidades tradicionais da Vale. A visita foi marcada pela interação, o conhecimento e a diversidade cultural. Pela manhã, os índios receberam as boas-vindas do diretor de Ferrosos Norte da Vale, José Carlos Gomes Soares, e participaram de um café da manhã no Clube Docenorte. Durante a programação os visitantes puderam conhecer a maior mina de minério de ferro a céu aberto do mundo e impressionaram-se com a grandiosidade do caminhão fora de estrada – um equipamento de 6,5 metros de altura, 8 de largura e quase 13 de comprimento, com capacidade para transportar cerca de 240 toneladas de minério de ferro. "Estou impressionado com tanta coisa nova, tudo é muito bonito! Fico feliz em trazer minha tribo para conhecer de perto um pouco do trabalho da Vale", exaltou Kykyire Kutapre, cacique da tribo. À tarde, a cultura indígena ganhou destaque. Dezenas de famílias assistiram no Clube Docenorte demonstrações culturais realizadas pelos Kyikatêjê. Além das pinturas e trajes indígenas utilizados tradicionalmente na realização das atividades, o público pôde acompanhar apresentações de arco e flecha à distância e ao alvo, a corrida com toras e as danças típicas. "Estas demonstrações nos remetem às nossas raízes, é uma verdadeira aula do início da nossa história", ressaltou José Enoque, técnico em manutenção que fez questão de levar a esposa e a filha de 1 ano e 6 meses para acompanhar a apresentação. O público ficou atento a cada detalhe, e as demonstrações fascinavam adultos e crianças. O pequeno Emerson Klippel Júnior, de apenas 9 anos de idade, gostou tanto do que viu que fez planos para o futuro. "Um dia quero ser tão bom no arco e flecha quanto eles", ressaltou Júnior. E quem disse que a habilidade indígena se resumiu às atividades tradicionais? No jogo de futebol onde a interação era a principal meta, o time Kyikatêjê também surpreendeu, vencendo o time do Clube Docenorte por 6 a 1. Além de retornarem para a aldeia com a vitória dentro de campo, os índios levaram também a certeza de que a visita fortaleceu ainda mais o respeito a diversidade cultural e o bom relacionamento com a empresa e a comunidade local. Parauapebas, 22 de setembro de 2008.

CANDIDATA É AGREDIDA EM CASA EM SÃO MIGUEL DO GUAMÁ.

A Polícia Civil do muncicípio de São Miguel do Guamá, no nordeste paraense, investiga agressões sofridas por uma candidata do PMDB, na noite do domingo (21). A candidata teve a casa invadida e foi espancada por um homem não identificado. Não há testemunhas da agressão.
A candidata à Prefeitura do município, Márcia Cavalcante, contou à polícia como o crime aconteceu. 'Ela disse que o homem a atacou na sacada do andar superior de sua casa lhe desferiu vários socos e tapas', disse o delegado Leandro Souza. A candidata tentou se defender e escapou de alguns golpes, mas ainda recebeu um tapa no rosto e vários socos na cabeça.
Ainda de acordo com seus relatos à polícia, no momento da invasão, ocorrida por volta das 23h40, na casa da candidata, localizada no bairro Vila Franca, todos os moradores da casa estavam dormindo. 'Ela também relatou que o vigia havia saído e os cachorros estavam presos', disse o delegado.
A suspeita é que o agressor já estivesse escondido na casa. 'Como se trata de uma casa grande, com vários cômodos e jardins, ele pode ter se escondido lá e esperado anoitecer para atacar', disse o policial.
A candidata não soube informar a motivação da invasão, seguida de agressão, uma vez que o agressor não disse sequer uma palavra, a agrediu, e fugiu em seguida. Mas ela conseguiu descrevê-lo. 'Disse ser um homem baixo, claro, com aproximadamente vinte anos', revelou Souza.
Márcia Cavalcante já fez exame de lesão corporal no IML e a polícia instaurou inquérito para apurar o crime.

domingo, setembro 21, 2008

RELATÓRIO INOCENTA POLICIAL QUE MATOU BRASILEIRO NOS EUA.

O policial norte-americano Christopher Van Ness, de 36 anos, foi considerado inocente pela morte do paranaense André Martins, de 25 anos, segundo o relatório da Promotoria de Cape Cod, em Massachusetts, Estados Unidos, sobre o caso. Segundo a investigação, o policial agiu em 'legítima defesa'.
No documento concluído anteontem, o promotor Michael O’Keefe diz que 'não tomará qualquer medida a respeito do caso'. André, que trabalhava como pintor, foi morto em 27 de julho por um tiro que perfurou um pulmão e o coração, após tentar fugir de uma perseguição policial.
Segundo as investigações, que incluem teste de balística, perícia e depoimentos da viúva Camila Campos, vizinhos e vários policiais, as evidências mostram que Van Ness enfrentou a 'morte ou iminente grave dano físico' e temia 'ser esmagado contra seu próprio carro'.
O documento descreve que André passou em alta velocidade por Van Ness que ordenou que parasse. André acelerou e chegou a 140 quilômetros por hora. O'Keefe argumenta que André estava 'sob influência de substância controlada' e que se recusou a parar. Ele fora detido três dias antes por dirigir em alta velocidade. André morava nos Estados Unidos ilegalmente desde 2001.
Na perseguição, um patrulheiro fez barreira. André contornou e se chocou contra o carro de Van Ness. O relatório afirma que, segundo uma testemunha, o policial gritou para que ele 'saísse do carro com as mãos para cima'. A viúva nega.
O relatório conclui que ele 'dispunha de uma arma mortal, o carro, que colocava a sua vida e de outras pessoas, em risco'.
Comentário.
Mesmo que o brasileiro tivesse vivendo legalmente nos Estados Unidos, não lhe daria o direito de não respeitar as leis daquele país, tal atitude insana que o levou a morte, é fruto do mal costume de muitos brasileiros que não respeitam as leis brasileira e quando saem daqui para imigrar para os paises alheios clandestinamente ou não, querem proceder da mesma forma que procedem aqui.
Valter Desiderio Barreto- Diretor Presidente do Jornal Boca no Trombone do Estado do Pará. e-mail: valterbt@gmail.com

sábado, setembro 20, 2008

JADER BARBALHO É UM MAL EXEMPLO PARA AS NOVAS GERAÇÕES.


Jáder me envergonha, como político. Aliás, me dá nojo !Tudo mudou nesse país, mas o Jáder continua livre leve e solto. Vagabundeando com o dinheiro público.As instituições estão funcionando como nunca. O Ministério Público Federal está tendo um papel importantíssimo na vida nacional, denunciando e colocando atrás das grades bandidos e ladrões do dinheiro público, como fez com Jáder uma vez. Pena que tenha durado só um dia. Mas bastou esse dia, para que ficasse para sempre, as marcas das algemas nos seus pulsos.Jáder, solto e os ladrões de galinha condenados e presos. É esse o Brasil que queremos para os nossos filhos ?Jáder queria muito voltar ao Senado Federal, mas está de castigo na Câmara dos Deputados, evergonhando seus pares, como eu, para fugir dos seus processos, todos por corrupção. Por ser Deputado Federal, tem foro privilegiado, e seus processos são julgados pelo Supremo Tribunal Federal.Só são onze ministros para milhares de processos. Enquanto isso, ele segue o caminho da impunidade, livre leve e solto, emporcalhando e envergonhando a classe política.E por falar em filhos, o meu , de 9 anos de idade, já fez a parte dele. De tanto ouvir a honra da sua mãe ser achincalhada pelos barbalho, resolveu defender a mãe. Ao ao encontrar Jáder no avião, o chamou de tudo o que ele merecia ouvir. Bem alto, na cara e na lata. Quase foi aplaudido por todos os passageiros.Jáder, que já perdeu a vergonha na cara, ficou impassível lendo o seu livro, logo na segunda fileira.O Deputado Wladimir Costa, sentado ao lado do meu filho, se divertiu o vôo inteiro, dando corda para que ele repetisse a dose. Eu não deixei.Alguns podem até dizer que meu filho não deveria ter feito aquilo. É verdade, mas fez !Para orgulho do pai e da mãe.Vic Pires FrancoDeputado Federal

NOTA DE REPÚDIO


A direção da Associação de Imprensa e Comunicação de Parauapebas (Aicop) vem a público manifestar desagravo e irrestrita solidariedade ao repórter Ronaldo Modesto Pereira, popularmente conhecido por “Vela Preta”, do jornal Correio do Tocantins, de Marabá, que foi ameaçado pelo ex-vereador Devanir Martins, quando o repórter cobria matéria sobre lesão praticada por um filho do ex-parlamentar contra um jovem.Segundo “Vela Preta”, ao procurar Devanir Martins para obter esclarecimentos sobre o episódio envolvendo o filho deste na Feira de Agronegócios de Parauapebas (Fap), o ex-vereador agiu agressivamente contra o profissional de imprensa, ameaçando-o verbalmente, com as seguintes palavras: “Se essa matéria sair no jornal tu vais se ver comigo”, entre outras ameaças.A Aicop repudia com veemência o incidente, ao mesmo tempo em que solicita providências cabíveis por parte das autoridades competentes, inclusive com proteção ao repórter ameaçado.Waldir Pereira SilvaPresidente da Aicop.

Nota do Jornal Boca no Trombone do Estado do Pará.

Quem diria que esse cidadão que antes de ter se tornado alguma coisa em Parauapebas iria se tornar tão truculento dessa forma! Conheci-o no tempo de sua aparente humildade quando era um simples comerciante, depois de ter prestado serviço a então Companhia Vale do Rio Doce e depois de um de seus filhos ter sido vítima de uma onça na serra dos Carajás vindo a óbito posteriormente, e o mesmo ter travado uma luta com a empresa para receber indenização pela perda trágica do seu filho, inclusive até eu, diretor deste quinzenário o ajudei na sua justa reeinvindicação fazendo denúncia no Ministério da Justiça em Brasília sobre o impasse que estava acontecendo entre ele e a Vale, até que finalmente saiu a indenização.

Me causa surpresa essa sua atitude em fazer ameaças ao nosso colega que no exercício de sua atividade de comunicar fatos a população de Parauapebas, porque o mesmo nunca tivera participação em nenhum movimento da nossa cidade em defesa de seus moradores, mesmo como vereador e secretário de obras, sempre cuidou de seus interesses e de seus familiares tornando-se um dos homens mais ricos de Parauapebas, e sendo assim, hoje pelo fato de está "nadando" em dinheiro, se considera acima do bem e do mal com o direito de cercear a liberdade de profissionais que ganham seu dinheiro suado para seu sustento e de sua família como é o caso do nosso colega ameaçado. Virou moda agora aqui em Parauapebas, elementos que nunca tiveram prestígios na cidade e de repente assume um cargo público, revelam suas verdadeiras identidades que escondiam por trás de uma capa de humildade e simplicidade. Estamos de olho, mexeu com qualquer colega nosso, mexeu com todos nós.

Valter Desidério Barreto- Diretor Presidente do BT.

EM BELÉM, DUCIOMAR COSTA TEM 25% E VALÉRIA, 20%, DIZ IBOPE.

Duciomar Costa e Valéria estão tecnicamente empatados.Priante (PMDB) oscilou negativamente de 16% para 12%.
Pesquisa Ibope divulgada neste sábado (20) pela TV Liberal, afiliada da TV Globo no Pará, mantém empate técnico nas intenções de voto para a Prefeitura de Belém entre Duciomar Costa (PTB) e Valéria (DEM), mas agora com vantagem para o candidato do PTB.
O prefeito e candidato à reeleição, Duciomar Costa, oscilou positivamente dois pontos percentuais, de 23% para 25%. Valéria caiu cinco pontos percentuais, passando de 25% para 20%.
Como a margem de erro é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos, Duciomar Costa (PTB) tem entre 21% e 29% e Valéria (DEM), entre 16% e 24%.
Priante (PMDB) oscilou negativamente quatro pontos percentuais, de 16% para 12%. Mário (PT) oscilou de 13% para 12%. Arnaldo Jordy (PPS) oscilou positivamente três pontos percentuais, de 4% para 7%.
Segundo o instituto, Marinor Brito (PSOL) oscilou de 4% para 3%. O candidato delegado João Moraes (PSL), que tinha 1%, não alcançou 1% no atual levantamento. Os brancos e nulos somam 8%, enquanto os que não sabem/não responderam, 13%.
Na pesquisa realizada entre os dias 16 e 19 de setembro, o Ibope entrevistou 602 eleitores na capital paranaense. O levantamento contratado pela TV Liberal está registrado na 98ª Zona Eleitoral de Belém sob o número 2186/ 2008.
Segundo turno Na simulação de segundo turno entre Valéria (DEM) e Duciomar Costa (PTB), cada candidato soma 34% das intenções de voto. Os brancos e nulos somam 27%, enquanto os que não sabem, 4%. Já 1% não respondeu. Entre Duciomar Costa e Priante (PMDB), o atual prefeito aparece com 37%, contra 34% do candidato do PMDB. Os brancos e nulos somam 23%, enquanto os que não sabem, 5%. Já 1% não respondeu. Na simulação de segundo turno entre Duciomar Costa e Mário (PT), o atual prefeito tem 40% e o adversário do PT, 30%. Os brancos e nulos somam 24%, enquanto os que não sabem, 5%. Já 1% não respondeu. Entre Valéria e Priante, a candidata do DEM aparece com 38% e o peemedebista, com 30%. Os brancos e nulos somam 24%, enquanto os que não sabem, 6%. Já 1% não respondeu. Entre Valéria e Mário, a candidata do DEM aparece com 42% contra 25% do petista. Os brancos e nulos somam 26%, enquanto os que não sabem, 6%. Já 1% não respondeu.

EM SÃO PAULO, UM POLICIAL MORRE A CADA 4 DIAS.

Sex, 19 Set, 08h37
No Jardim 9 de Julho, na zona leste de São Paulo, pouca gente sabe que L.S.D., de 40 anos, trabalha como soldado da Polícia Militar. Ele não volta para casa fardado, tampouco seca o uniforme no varal do quintal. Ele, como outros colegas, tem medo, e não por acaso. A cada quatro dias, um PM morre em serviço ou em folga no Estado. Foram 719 execuções nos últimos sete anos e meio. Só no primeiro semestre deste ano, 8% das vítimas de latrocínio - roubo seguido de morte - eram PMs.
O total de baixas equivale a cinco companhias da polícia. Do total, 503 foram mortos em folga e 216, em serviço. O ano de 2004 teve o maior número de militares assassinados fora de serviço (81) e 2001 liderou as mortes de PMs em serviço (41). Diante desses números, sobra precaução a L.S.D. "Na periferia, quanto menos pessoas souberem que somos PMs, por causa do crime organizado, melhor. Hoje em dia, farda só no quartel ou na viatura."
Mesmo sem fardas, muitos PMs não conseguem escapar da morte. Os assassinatos de policiais em folga correspondem a 70% do total de execuções. Segundo levantamento feito pela Corregedoria da PM, dez policiais foram mortos no primeiro semestre deste ano vítimas de latrocínio (129, no total) e em folga. Outros 14 PMs em folga foram vítimas de homicídio. Dos 36 executados, 12 estavam em serviço.
Nesse período, das vítimas de latrocínio, cinco foram executadas na capital e outras cinco no interior. Entre os 14 PMs vítimas de homicídio, cinco foram mortos na capital, três na Grande São Paulo e seis no interior. O segundo semestre de 2008 começou violento para os PMs. No último dia 10, dois foram mortos e um ficou ferido em três situações diferentes na capital e na Grande São Paulo. Todos estavam de folga. A Polícia Militar não comentou os números obtidos pela reportagem, apenas forneceu o número de mortes de policiais em serviço. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

APOSENTADO DE 76 ANOS RECUSA SEPARAÇÃO E MATA MULHER.

Sáb, 20 Set, 09h59
O aposentado José Alfredo da Silveira Rocha, de 76 anos, matou a mulher Jacinta Pereira, de 75 anos, e depois se matou na manhã de anteontem, na Praia Grande, Baixada Santista. Os corpos foram encontrados dentro da residência do casal, no bairro Guilhermina. O motivo do crime teria sido o recebimento de uma intimação para tratar da separação com divisão de bens.
O casal vivia junto havia 27 anos. No papel, Silveira era solteiro e Jacinta, divorciada do primeiro marido, com quem teve três filhos. Todos moram em São Paulo e a visitavam pouco. Segundo eles, na casa de Jacinta era preciso falar baixo para não incomodar Silveira. Há cinco anos, o casal teve uma grande briga, por causa do golpe do bilhete premiado.
Silveira não acreditava que a mulher tivesse sido enganada pela moça que teria um bilhete premiado da loteria e nunca a perdoou por ter sacado R$ 5 mil de uma conta conjunta sem consultá-lo. Depois disso, o aposentado foi morar na edícula do imóvel e parou de falar com a mulher.
Amigos e familiares contam que Jacinta era apaixonada pelo marido e que por diversas vezes tentou a reconciliação. "Ela só o chamava de 'meu amor'", disse uma amiga. Na casa onde ocorreu a tragédia, o filho de Jacinta, Luiz Alberto Graci, de 46 anos, mostra os diversos bilhetes que a mãe escreveu para o marido. Há frases como "meu eterno namorado".
Jacinta foi morta com dois tiros, um no ombro e outro na cabeça. Silveira disparou contra o próprio ouvido. Silveira deixou um envelope com R$ 2.500 em notas de R$ 50 onde estava escrito "para empresa funerária". Além disso, deixou uma carta, na qual chama a esposa de "171", relata suspeitas de que ela o roubara e mostra indignação pelo advogado requerer para a mulher metade de seus bens: a casa onde moravam e uma poupança de R$ 46 mil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

MAITÊ PROENÇA SE IRRITA EM HOSPITAL.

Maitê Proença deu trabalho para a equipe do hospital ao qual foi levada, em Juiz de Fora (MG), no último fim de semana, depois de cair de um cavalo. A atriz de "Três Irmãs" tratou enfermeiros de forma pouco amistosa e ainda tentou exigir que não colocassem pacientes em quartos vizinhos ao dela. Agora, Maitê já está em casa, deixou de tomar morfina e deve voltar a gravar a novela na próxima semana.
Ao vivo
A mania da Band de colocar tarja de "ao vivo" no programa de Datena, mesmo quando a imagem é pré-gravada, acabou mal. O Ministério Público Federal pediu explicações e deu um prazo de 20 dias para que isso não se repita. A Band terá de dar uma resposta sobre o caso.
Exigente
Mônica Veloso, ex-amante de Renan Calheiros, perdeu a assessora, que não agüentou tanta cobrança. Ela queria ser capa de revistas de celebridades toda semana e aparecer em programas de televisão.
De volta
O SBT reativou o "SBT Repórter", que estava indo ao ar com reprises, e contratou jornalistas da Globo e da Record. O primeiro programa inédito da nova fase da atração foi ao ar na última quarta-feira.
Fofoca em alta
O "TV Fama", da Rede TV!, tem dado média de quatro pontos no Ibope, ficando em terceiro lugar, muitas vezes, à frente do SBT e da Band.

TUDO O QUE QUERO É SAIR DO SBT EM PAZ; DIZ ADRIANE GALISTEU.


"Estou muito cansada, desgostosa mesmo, sabe? Eu adoro as pessoas do SBT, acho que todos gostam de mim também. Exceto o Silvio. Então, não vejo como continuar lá", desabafa Adriane Galisteu, 35 anos, enquanto se arruma para o casamento de uma amiga de Maceió, que vai casar hoje em São Paulo.Nas últimas 24 horas, Adriane passou pelo menos 14 ao lado de seu advogado, Sergio Dantino, lendo minúcias contratuais, ouvindo análises e projeções ou falando com emissários do SBT encarregados de negociar a renovação de seu contrato.Segundo ela, o SBT ameaça exigir o cumprimento de uma cláusula '("estapafúrdia e fácil de derrubar", diz ela) que dá amplos poderes à emissora na hora de renovar.Tal cláusula só existe, afirma a apresentadora, por "minha ingenuidade na época da assinatura, ingenuidade de uma fã do Silvio Santos. Assinei um contrato de fã, não de profissional."Segundo a cláusula, o SBT tem prioridade caso queira renovar seu contrato, e em tese ela ficaria "presa" à emissora por mais dois anos, mesmo que a proposta seja de reduzir seu salário em cinco vezes, por exemplo. Com isso ela poderia passar os próximos dois anos na geladeira, recebendo muito menos que hoje.O outro lado disso é que seu ídolo retribuiu com um contrato que pode ser considerado fabuloso para os padrões atuais da TV, cerca de R$ 500 mil mensais. Mas Adriane não vive disso. Fatura tanto ou mais como musa publicitária e modelo. A "marca" Galisteu é hoje um sucesso consolidado e que fatura milhões por ano. Com ou sem SBT."Eu fico triste porque nesses anos todos não consegui fazer absolutamente nada do que eu sei. Todos (os programas) que fiz, foi porque fui obrigada. Jamais tive prazer em nada do que fiz na casa", diz ela.Questionada sobre uma hipotética escala de 1 a 10, para as chances de continuar no SBT, ela é rápida: "Hoje? Zero".Ao final da entrevista, a voz de Galisteu embarga. "Eu só quero sair em paz do SBT. Peço que me deixem ir em paz... Tudo que quero é uma carta assinada dizendo que cumpri meu contrato até o fim. Quero seguir em frente."

sexta-feira, setembro 19, 2008

A HISTÓRIA DO CLÃ DOS ABRAVANEL.













Bárbara dos Anjos Lima

Senor Abravanel, menino que mais tarde se tornaria Silvio Santos, nasceu no bairro carioca da Lapa no dia 12 de dezembro de 1930. 

Seus pais, Alberto e Rebecca Abravanel eram imigrantes, ele da Grécia e ela da Turquia. 

Juntos tiveram seis filhos, Senor foi o primogênito do casal.
Silvio conta que seu pai queria que seu nome fosse, na verdade, Dom. 

Mas quando chegou no cartório, o nome não foi permitido. 

Para seu Alberto, Dom era um sinônimo de senhor e ele decidiu batizar seu filho mais velho com uma palavra parecida. 

Então, o registrou com Senor. 

Já a mãe Rebecca não gostou, não entendeu e passou a chamar seu filho de Silvio, gerando o famoso nome artístico do apresentador.

Senor cresceu, virou oficialmente Silvio Santos e hoje tem seis filhas. 

As duas primeiras, Cíntia e Silvia, foram adotadas durante seu casamento com Maria Aparecida Abravanel. 

Cidinha, como era conhecida a primeira esposa do apresentador, morreu de câncer em 1977.

O casamento com Íris

Um ano depois, Silvio casou-se com Íris Abravanel, com quem está há quase 30 anos. 

Juntos, os dois tiveram quatro filhas: Daniela, Patrícia, Rebecca e Renata.

Apesar de ter uma vida pessoal discreta, Silvio e Íris tiveram uma grande briga em 1992, por motivos nunca divulgados. 

Tudo que se sabe é que Íris foi viajar e quando voltou, Silvio tinha saído de casa levando com ele um caminhão de mudanças, deixando a casa vazia. 

Íris deu queixa na polícia, trocou as fechaduras e pediu 50 milhões de dólares para aceitar o divórcio.

Silvio Santos tentou negociar, oferecendo 15 mil reais mensais, mas quando começaram a surgir boatos de que o apresentador estava tendo um caso com uma das dançarinas do extinto programa Cocktail, veio a grande virada da história: quatro meses depois da separação Silvio invadiu sua mansão e fez as pazes com esposa. 

A reconciliação foi transmitida ao vivo, na época, pelo jornal Aqui Agora.

Atualmente todas as suas filhas trabalham em alguns dos negócios da família. 

Porém, na festa de 25 anos do SBT, Silvio anunciou que será sua filha Patrícia quem seguirá seus passos e tomará conta da emissora da família.

QUEM FUMA OUVE MAL 40% .

40% das pessoas habituadas ao cigarro queixam-se de zumbido no ouvido
Quem fuma ouve mal
40% das pessoas habituadas ao cigarro queixam-se de zumbido no ouvido
Não é novidade que os fumantes apresentam mais riscos de contrair infecções respiratórias, câncer e doenças circulatórias. Um estudo recente feito pela fonoaudióloga Carolina Pamplona Paschoal, da Unifesp, revelou que o ouvido também é afetado pelo cigarro. A pesquisa contou com a participação de 144 indivíduos, 72 fumantes e 72 não fumantes de ambos os sexos e com idades que variavam entre 20 e 31 anos. Foram considerados fumantes os indivíduos que fumavam mais de cinco cigarros pode dia e por um período superior a um ano. Entre os fumantes avaliados, a pesquisadora constatou que 40,3% apresentavam queixas de zumbido na audição. O índice é quatro vezes maior quando comparado ao resultado das pessoas que não fumavam. As queixas deste grupo ficaram na margem de 11%.Além disso, exames de audiometria detectaram prejuízos na audição de fumantes. De acordo com a pesquisadora, a disfunção coclear (ausência de sons gerados dentro da cóclea) foi notada em 13,9% dos usuários de tabaco. A cóclea é um pequeno órgão no ouvido humano que amplifica o som quando necessário e converte as vibrações acústicas em sinais elétricos que o cérebro lê e interpreta como sons , explica Carolina. O índice de disfunção coclear entre os não fumantes foi de apenas 2,8%.A análise dos dados estatísticos mostrou ainda uma forte relação entre dose e tempo de tabagismo com as alterações auditivas. Isso significa que os indivíduos que fumavam mais e por mais tempo apresentavam mais alterações do que aqueles que fumavam menos e por menos tempo . Segundo a fonoaudióloga, diversos estudos responsabilizam o tabagismo pelo déficit de oxigenação no sangue, obstruções vasculares e alteração na viscosidade sanguínea. Todos estes problemas podem acarretar um efeito tóxico sobre os órgãos e nervos responsáveis pela audição e pelo equilíbrio. É importante que os fumantes procurem auxílio profissional quando perceberem qualquer alteração auditiva , alerta Carolina. Ela informa que o zumbido, sintoma mais freqüentemente diagnosticado, é apenas um dos sinais de que é preciso procurar ajuda profissional. Sensação de ouvido tampado e dificuldade para escutar ou entender as palavras também devem ser levadas em conta , completa.

quinta-feira, setembro 18, 2008

UGANDA QUER PROIBIR MINISSAIAS QUE "CAUSAM ACIDENTES".

Ministro diz que mulheres que usam minissaias distraem os motoristas.
O ministro ugandense de Ética e Integridade, Nsaba Buturo, afirmou que as minissaias devem ser banidas do país porque mulheres que as usam distraem os motoristas e provocam acidentes de trânsito.
Em uma entrevista coletiva na capital, Kampala, Buturo disse que "usar minissaia é como andar nu pela rua."
"Você pode causar um acidente porque algumas pessoas daqui são psicologicamente fracas", disse o ministro.
Para ele, o uso da minissaia deve ser classificado como uma "indecência" sujeita a penalização pela lei de Uganda.
Buturo alertou ainda para os perigos que enfrentam os motoristas que se distraem por causa das minissaias.
"Se você encontra uma pessoa nua, você começa a se concentrar no corpo da pessoa, mas continua dirigindo", disse.
"Hoje em dia é difícil distinguir a mãe da filha, elas estão todas peladas", afirmou o ministro.
Vícios
Nsaba Buturo acredita que o uso de roupas indecentes é apenas um dos muitos vícios da sociedade ugandense.
"Roubo e desvio de recursos públicos, serviços abaixo do padrão, ganância, infidelidade, prostituição, homossexualismo e sectarismo", citou o ministro.
Mmali explica que no início deste ano, a Universidade Makerere, em Kampala, decidiu impor regras para os trajes femininos na instituição.
A proibição da minissaia e das calças apertadas ainda não foi implementada, mas o assunto já parece dividir setores da sociedade.
O correspondente da BBC entrevistou mulheres no campus da universidade para saber a opinião delas sobre as posições do ministro Buturo.
"Se uma mulher quer usar a minissaia, tudo bem. Se outra quer colocar uma saia mais longa, tudo bem também", disse uma estudante.
Outras, no entanto, são mais solidárias às idéias do ministro.
"Acho que coisas mesquinhas não são boas. Estamos mantendo a dignidade da África como mulheres e temos que cobrir nosso corpo", disse uma estudante Sharon à BBC.

CAMPANHA BRITÂNICA DEFINE NOVE TIPOS DE BÊBADOS.

Campanha britânica define nove tipos de bêbados
Estressado, deprimido e machão são tipos que abusam de álcool, diz governo.
O governo britânico está lançando uma nova campanha contra o alcoolismo dirigida a nove 'tipos' mais comuns de usuários que abusam do álcool.
A campanha será feita a partir de uma pesquisa do Departamento de Saúde da Inglaterra, que indicou as nove categorias mais comuns de bebedores. Elas incluem os que o fazem para aliviar estresse e pessoas deprimidas que bebem por tédio ou para se relacionar.
Para o governo, identificar as razões que levam usuários a abusar do álcool será "muito útil" para combater o alcoolismo.
O estudo se debruçou sobre homens que bebem mais de 50 unidades semanais de álcool e mulheres que bebem pelo menos 35 unidades semanais - duas vezes acima do limite recomendado.
Uma unidade de álcool equivale a um copo de cerveja ou vinho ou, alternativamente, meia dose de bebida destilada.
Tipos
Entre os nove tipos identificados, estão, por exemplo, os que bebem para desestressar e relaxar, em meio a uma rotina de pressão no trabalho.
Em outros casos, usuários abusam do álcool ao se perder em um estilo de vida agitado e por vezes extravagante.
As informações serão utilizadas pelo governo para orientar uma campanha contra o alcoolismo que deve atingir 4 mil bebedores contumazes no nordeste do país, em um projeto-piloto que, se bem sucedido nos próximos meses, será levado para o resto do pais.
A secretária britânica de Saúde, Dawn Primarolo, admitiu que os bebedores incluídos nas nove categorias têm em comum um problema "difícil de combater".
Mas ela disse acreditar que a nova abordagem será capaz de convencer os usuários a ser agentes da própria mudança.
"Esta é uma abordagem totalmente nova de fazer as pessoas entenderem os efeitos de seus hábitos em relação à bebida e de ajudá-las a mudar para melhor."
Veja abaixo os nove tipos de bebedores identificados pela campanha.
Tipo: O deprimido Característica: Está com a vida em um estado de crise - atravessando um período de dificuldade financeira, luto ou divórcio recente, por exemplo.Motivações: Vê o álcool como uma forma de se reconfortar ou como uma automedicação para ajudar a lidar com as turbulências.
Tipo: O estressado Característica: Leva uma vida sob pressão no trabalho, o que normalmente leva ao sentimento de não ter as coisas sob controle ou de estar sobrecarregado de responsabilidades.Motivações: O álcool é uma forma de relaxar e de retomar a sensação de controle, ao traçar uma linha entre vida pessoal e profissional. Os parceiros normalmente reforçam este comportamento, ao preparar drinques para os bebedores.
Tipo: O 'social' Característica: Têm uma agenda social carregada.Motivações: O álcool é um meio de ligação que unifica a todos e os coloca em uma mesma sintonia.
Tipo: O conformista Característica: Tipicamente, rapazes tradicionalistas que crêem que 'homens vão ao bar todas as noites'.Motivações: O álcool faz parte do que definem como 'meu momento'. O bar é sua segunda casa, e eles se sentem aceitos e em casa neste ambiente.
Tipo: O bebedor comunitário Característica: Bebe em grandes grupos sociais.Motivações: Levado ao álcool pelo senso de comunidade criado pelo ambiente do bar. A bebida dá segurança e significado à vida, e age como meio social.
Tipo: O entediado Característica: Tipicamente, mães solteiras ou mulheres recém-divorciadas, com vida social restrita.Motivações: A bebida é uma companhia que substitui o casal. Beber marca o final do dia, talvez encerrando um jornada de obrigações.
Tipo: O machão Característica: Normalmente se sente subvalorizado, sem voz e frustrado em áreas importantes da vida.Motivações: Seu lado bebedor é um alter-ego que gira em torno da sua capacidade de beber. A bebida é motivada pela necessidade constante de reafirmar sua masculinidade e seu status em relação a outras pessoas.
Tipo: O hedonista Característica: Solteiros, divorciados ou com filhos crescidos.Motivações: Beber em excesso é uma forma de expressar sua independência, liberdade e juventude para si mesmo. O álcool é usado para diminuir inibições.
Tipo: O quase dependente Característica: Homens que moram 'de fato' no bar - que, para eles, é quase o mesmo que a casa.Motivações: Uma combinação de motivos, incluindo tédio, necessidade de se conformar e um senso de mal-estar existencial em suas vidas.

JUIZ DA BAHIA ACUSA PERITA DO CASO ISABELLA DE MENTIR.

O juiz da 1ª Vara do Júri de Salvador, Cássio Miranda, afirmou hoje que a perita Delma Gama mentiu sobre o medicamento que havia ingerido antes de depor, na sexta-feira passada, sobre o caso Isabella. Delma desmaiou no início da sessão, que acabou sendo suspensa. A perita faz parte da equipe do médico-legista George Sanguinetti, contratado pela defesa do casal Nardoni, que apresentou parecer contestando o laudo do Instituto de Criminalística de São Paulo sobre a morte da menina.
"Foi solicitado um parecer sobre o medicamento que ela disse ter utilizado antes de chegar ao fórum e os médicos disseram que, apenas com a substância que declarou ter ingerido (Rivotril), ela estaria apta a depor", afirma Miranda. "No laudo que pedimos, porém, ficou constatado que ela estava sob efeito de outro medicamento (Propofol, um anestésico geral de curta duração), de uso exclusivo hospitalar."
No entanto, o juiz descartou a hipótese de marcar um novo depoimento para a perita em Salvador. "Estamos encaminhando o laudo para o Ministério Público de São Paulo, que é a comarca do processo, para que as providências sejam tomadas." Isabella Nardoni morreu no dia 29 de março deste ano, após ser jogada da janela do apartamento onde moravam seu pai, Alexandre Nardoni, e sua madrasta, Anna Carolina Jatobá. O casal está preso acusado de cometer o crime.

TSE DECIDE QUE FILHO DE LULA NÃO PODE SER CANDIDATO A VEREADOR.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou, nesta quinta-feira (18), a impugnação da candidatura de Marcos Cláudio Lula da Silva (PT), filho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele pretendia ser candidato a vereador em São Bernardo do Campo (SP). A Justiça Eleitoral de São Paulo já havia negado a candidatura do petista, pelo fato de ele ser filho do presidente. Não cabe mais recurso à decisão.
O pedido de registro foi negado em São Paulo após parecer do Ministério Público Eleitoral. A promotora Vera Lúcia Toledo sugeriu que o registro não fosse aceito com base no parágrafo 7º do artigo 14 da Constituição Federal, que destaca que familiares do presidente em até segundo grau, mesmo que por adoção (caso de Marcos Lula), são inelegíveis.
Por maioria (5 votos a 2), os ministros do TSE seguiram nesta noite a interpretação da desembargadora Vera Lúcia. Apenas os ministros Joaquim Barbosa e Ricardo Lewandowski votaram a favor da candidatura de Marcos Lula.
O vice-procurador-geral eleitoral, Francisco Xavier Pinheiro Filho, que não tem direito a voto, se manifestou favorável à candidatura de Marcos Lula. Para ele, o presidente da República nunca ocupou cargo eletivo em São Bernardo do Campo e, por estar no exercício da chefia do Executivo em âmbito federal, pouco ou nada pode influir na eleição do vereador na esfera municipal. Marcos Cláudio Lula da Silva, 37 anos, é filho do primeiro casamento da primeira-dama Marisa Letícia. Ele é psicólogo e empresário e nunca disputou eleições.

quarta-feira, setembro 17, 2008

FALA SÉRIO!!!! ADORO MEU PAÍS.

Todo o mundo se pergunta:
- Por que para os terroristas árabes é tão fácil se suicidar?Aqui estão as 21 possíveis razões:É proibido:01º - Sexo antes do casamento;02º - Tomar bebidas alcoólicas;03º - Ir a bares;04º - Ver televisão;05º - Usar a Internet;06º - Esportes, estádios, festas com mulheres;07º - Tocar buzina;08º - Comer carne de porco;09º - Música não religiosa;10º - Ouvir rádio;11º - Barbear-se;12º - Tem areia por todos os lados e nenhum buggy para se divertir;13º - Farrapos em lugar de roupas;14º - Come-se carne de burro cozida sobre bosta de camelo;15º - As mulheres usam burka e não dá para ver nem a cor dos olhos;16º - A esposa é escolhida pelos outros e o rosto é visto só na procriação;17º - Sexo depois de casado só para procriar e feito no escuro com a mulher vestida com o shake;18º - Reza-se para Alah:- 06:00 às 09:00- 12:00 às 15:00- 16:00 às 18:00- 21:00 às 00:00- No pôr do Sol;19º - A temperatura básica nos paises árabes é entre 45º e 58º (em alguns lugares até mais altas);20º - Para economia de água, banho apenas uma vez por mês, nas partes mais sujas (pés).21º - Ensinam que, quando morrer, vai para o paraíso e terá tudo aquilo com que sonha!Fala a verdade... Você também não se mataria???...BUDA GUEU BARIU!

BRASIL É SEGUNDO EM CÂNCER DE LARINGE.

O fumo e a bebida são dois dos principais fatores que provocam câncer de laringe, doença que atinge 15 mil pessoas por ano no Brasil.O país é o segundo no número de casos em todo o mundo, o líder é a Espanha. O principal sintoma é a rouquidão. "Quem permanece rouco por mais de 15 dias deve procurar um médico", alerta a fonoaudióloga Maria Ângela Ueda Martins, responsável pelo serviço de terapia fonoaudióloga do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo. "A rouquidão é um problema comum que pode indicar problemas menos graves. Mas é preciso tratar." Outros sintomas são dor na garganta, sensação de ter um caroço na garganta, disfagia (dificuldade para engolir) e dispnéia (dificuldade para respirar ou falta de ar). Aproximadamente 66% dos tumores atingem uma das duas cordas vocais, daí a rouquidão. Os casos restantes afetam a laringe supraglótica, uma região acima das cordas vocais.O tratamento para o câncer pode alterar significativamente a rotina, quando é necessária a retirada da laringe, a vítima faz traqueostomia permanente e perde a voz (mas pode recuperá-la com sessões de fonoaudiologia ou uso de próteses). Em geral, antes da cirurgia, o câncer é combatido com quimioterapia e radioterapia. Elisabete Carrara Angelis, diretora do departamento de fonoaudiologia do Hospital A.C. Camargo, explica que as cordas vocais estão situadas dentro da laringe, por isso a intervenção cirúrgica pode afetar a fala. "A cirurgia em pacientes com câncer de laringe pode deixar seqüelas. Nesses casos, ensinamos os pacientes a usar o esôfago para voltar a falar. A voz fica rouca, bem grossa, mas é totalmente compreensível." Segundo a fonoaudióloga, a voz, produzida com o deslocamento de ar, passa pelos pulmões e se torna som.Pacientes sem a laringe aprendem a utilizar o esôfago, local por onde passa a comida. "As técnicas ensinam o paciente a colocar ar no esôfago", diz. A melhor forma de evitar o câncer de laringe é evitar o cigarro e a bebida em excesso. Mas existem outras dicas para conservar as cordas vocais. "A principal recomendação é beber água, de dois a três litros por dia. Mas não basta beber tudo de uma vez. Devemos beber aos poucos, para manter as cordas vocais lubrificadas", ensina Maria Ângela. Outra dica, especialmente para professores, é o uso de microfone. "O professor é o profissional da voz que mais enfrenta problemas. O microfone permite que ele conserve as cordas vocais.”

NORUEGA DOARÁ US$ 1 BILHÃO PARA O FUN DO AMAZÔNIA.

Brasília - O primeiro-ministro da Noruega, Jeans Stoltenberg, anunciou terça feira (16) a doação de US$ 1 bilhão para o Fundo Amazônia, até 2015, durante cerimônia no Palácio do Planalto.De acordo com o primeiro-ministro, a doação tem como contrapartida a redução efetiva da emissão de gases poluentes causados pelo desmantamento."Uma condição para que isto seja viável é que queremos ver a documentação no sentido de que o desmatamento está sendo efetivamente reduzido", disse.O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que a doação aumenta a responsabilidade do Brasil no combate ao desmatamento e que outros países devem ter a mesma consciência que a Noruega tem relação à redução de gases poluentes."O dia que cada país desenvolvido tiver a mesma atitude que teve a Noruega, certamente vamos ter certeza de que o aquecimento global vai diminuir", declarou.Além da doação, também foi assinado um memorando de entendimento de cooperação nas áreas de combate ao aquecimento global, de proteção da biodiversidade e de fortalecimento do desenvolvimento sustentável.Lula e Stoltenberg também falaram da possibilidade de o Brasil e a Noruega serem parceiros na extração do óleo do pré-sal. O primeiro-ministro disse que seu país está interessado em "ver empresas norueguesas trabalhando junto com brasileiras no desenvolvimento das descobertas do pré-sal".Lula afirmou que o Brasil vai precisar de parceiros para poder fazer a extração do petróleo e do gás que estão na camada pré-sal. "Certamente vamos precisar de parcerias e instrumentos técnicos para explorara a totalidade dos recursos do pré-sal", disse.O presidente adiantou que o estudo sobre as formas de exploração do pré-sal devem ser apresentados a ele a partir do dia 5 de outubro.O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, disse que a doação do governo norueguês ao Fundo Amazônia será usada para financiar projetos contra o desmatamento na Amazônia."Temos no próprio estatuto do fundo o manejo florestal, o extrativismo, a cadeia de produtos originados da floresta, a recuperação de áreas degradadas, a recuperação de recursos hídricos, a estruturação de parques e de reservas extrativistas", disse.Minc informou que cinco países já sinalizaram que querem fazer doações para o fundo: a Coréia, o Japão, a Suíça, Suécia e a Alemanha.Já o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse que a instituição irá apoiar projetos que possam promover o sustento das populações que vivem na Amazônia."Vamos apoiar comunidades, cooperativas, sob diversas formas. Vamos também investir em tecnologias alternativas sustentáveis de produção", explicou.O BNDES é o responsável pela administração do Fundo Amazônia.

DE OLHO EM BENEFÍCIOS, PROSTITUTAS SUECAS QUEREM PAGAR IMPOSTOS.

Profissionais do sexo querem benefícios como auxílio-maternidade e aposentadoria.
O fisco sueco identificou o crescimento de um novo universo de contribuintes: o das prostitutas que querem pagar impostos no país onde a carga tributária está entre as mais altas do mundo.
Segundo o jornal sueco Göteborgs-Posten, a tendência vem sendo registrada nos últimos três anos pelo Skatteverket, a entidade fiscal sueca.
A razão apontada para a nova leva de declarações de renda é que mais prostitutas estão decidindo regularizar sua situação fiscal a fim de poder se beneficiar do generoso sistema de previdência social sueco.
"Este ano, já conversei com diversas mulheres pedindo conselhos sobre como preencher a declaração de renda", disse ao jornal Pia Blank Thörnroos, consultora da sede do Skatteverket na capital sueca.
A consultora orienta as prostitutas a manterem um registro contábil de suas atividades.
"É preciso inclusive emitir recibos. Mas o nome dos clientes não precisa constar nos documentos", explica ela, lembrando que o mesmo se aplica a homens que vendem sexo.
Os rendimentos declarados são taxados como atividades comerciais e dão direito a auxílio-maternidade, compensações por motivo de doença e aposentadoria.
Prostituição legal
A legislação sueca considera legal a atividade das prostitutas.
Aprovada em 1999, a lei determina que é perfeitamente legal vender sexo - mas não pagar por sexo.
A explicação é que, aos olhos da lei sueca, as prostitutas são consideradas como vítimas do comércio do sexo.
Assim, homens que pagam por sexo com uma prostituta - e também cafetões e donos de bordéis - estão sujeitos a multas ou a penas de até seis meses de prisão, além da humilhação decorrente da exposição pública.
Mesmo alguns juízes suecos já foram envolvidos em escândalos de prostituição, incluindo um que admitiu ter pago para ter sexo com um homem jovem em 2005.
Por outro lado, a lei não prevê nenhuma penalização para as prostitutas.
Desde 1982, a prostituição é considerada uma atividade comercial na Suécia, e, portanto, sujeita a taxação pelo fisco.
Vida normal
Esta é a primeira vez, no entanto, que o fisco sueco detecta um interesse crescente das prostitutas em normalizar sua vida fiscal.
"É importante pagar impostos se você quer viver uma vida normal", disse "Lisa", uma prostituta entrevistada pelo Göteborgs-Posten.
"Eu sou taxada como uma secretária bem paga", diz ela, revelando que ganha cerca de 30 mil coroas suecas (cerca de R$ 8 mil reais) por mês.
Críticas
A revelação da nova tendência, no entanto, vem enfrentando críticas.
Ao ser informado de que as prostitutas estão pagando impostos, Jonas Flink, que trabalha com grupos de apoio a prostitutas em Gotemburgo, afirmou que o fato de o governo ganhar dinheiro com a prostituição revela uma "dupla moral".
Para a deputada Désirée Pethrus Engström, líder da Associacão de Mulheres do partido Democrata Cristão sueco, legitimar a prostituição através do recolhimento de impostos significa enviar uma mensagem errônea.
"A segurança econômica é um fator que torna uma situação permanente. Isto pode estimular a prostituição, o que é um erro", destacou a deputada.
Na opinião da deputada, é inaceitável que uma pessoa "compre" o corpo de outra, e isto está explícito na legislação de 1999:
"Ser uma prostituta é indiretamente ilegal, já que é ilegal comprar sexo. Mas esta é uma questão complexa, para a qual não há uma solução simples".
As autoridades suecas defendem que a legislação aprovada em 1999 não apenas reduziu a demanda por prostitutas, mas vem também transformando as atitudes em relação ao comércio sexual.
As estimativas são de que o número de prostitutas na Suécia caiu de 2,5 mil, em 1998, para 1,5 mil, em 2003 - uma redução de 40%.
Interesse internacional
O "modelo sueco" para reduzir a prostituição tem gerado interesse de diversos países.
Recentemente, delegações de países como a Grã-Bretanha visitaram a Suécia a fim de conhecer maiores detalhes do sistema.
A maioria dos países europeus proíbe bordéis, mas tolera a prostituição e não penaliza nem as prostitutas e nem os clientes.
Apenas na Holanda e na Alemanha os bordéis são permitidos - desde que obtenham licença comercial.

CARRO DE GRETCHEN LEVA PEDRADAS APÓS COMÍCIO.


Rainha do rebolado
A candidata à Prefeitura de Itamaracá pelo PPS, Gretchen, foi agredida, ontem à noite, quando saía de um comício na Praia do Sossego. Segundo ela, pessoas não identificadas atiraram várias pedras no carro onde a prefeiturável estava com assessores e alguns candidatos a vereador na cidade. Dois veículos tiveram os vidros destruídos e o motorista do carro de som machucou levemente o braço. Apesar do susto, Gretchen nada sofreu.
Tinha acabado o comício. Quando entramos no carro e andamos alguns metros, começamos a ser agredidos com várias pedradas”, afirmou Gretchen, que disse não ter visto quem jogou as pedras. “Como havia muita gente no comício, confesso que não vi nada. Além disso, as pedradas foram desferidas quando entramos na estrada do Sossego, que é cercada de mato e sem iluminação. Não tenho dúvidas que foi um crime político”, atacou, sem querer, entretanto, apontar quem pode ter comandado a agressão.
O motorista machucado foi medicado e passa bem. A candidata e seus assessores foram ontem à noite à Delegacia de Plantão de Paulista, onde prestaram queixa do acontecido, já que a Delegacia de Itamaracá não possui plantão.

terça-feira, setembro 16, 2008

PF PRENDE SEU "NÚMERO 2", ACUSADO DE PARTICIPAR DE ESQUEMA DE TRÁFICO DE INFLUÊNCIA EM DOIS ESTADOS E NO DF.


A Polícia Federal prendeu nesta terça-feira o diretor-executivo da corporação, Romero Menezes, e mais duas pessoas acusadas de advocacia administrativa, corrupção passiva e tráfico de influência durante ação realizada no Amapá, Pará e Distrito Federal. Também foram presos, de acordo com a Procuradoria Geral da República, José Gomes de Menezes Júnior (irmão de Romero) e Renato Camargo dos Santos, diretor da empresa MMX, de propriedade de Eike Batista.
Análise: "Na berlinda, PF vive excessiva politização"
Também segundo a Procuradoria Geral da República, as ações ocorreram como resultado de um inquérito aberto sobre o vazamento de informações da operação Toque de Midas, que investiga irregularidades na licitação de uma estrada de ferro no Amapá, vencida pela MMX. A Polícia Federal, porém, disse que a prisão de Menezes não tem ligação nenhuma com o vazamento de informações.O delegado Romero Menezes, na hierarquia da Polícia Federal, é o segundo homem: ele responde diretamente ao diretor-geral da instituição, Luiz Fernando Corrêa. Ele chegou a ocupar interinamente a direção-geral da PF, em período de férias de Corrêa -inclusive no momento da crise institucional que a PF atravessou em decorrência da Operação Satiagraha, também em julho passado.
O que o Brasil precisa fazer para combater a corrupção de forma eficiente?
ComenteSegundo a Polícia Federal, os detalhes das acusações não podem ser divulgados porque a investigação ocorre sob segredo de Justiça. O superintendente da PF do Amapá, Anderson Rui Fontel, também não quis revelar a jornalistas se foram utilizados grampos na operação.Segundo o delegado Roberto Ciciliatti Troncon Filho, a suspeita sobre o diretor-executivo da PF é de favorecimento a uma empresa em que seu irmão é gerente. Ainda segundo a PF, não há "prova cabal" contra Menezes.O pedido de prisão foi feito pelo Ministério Público e acatado pela Polícia Federal. Segundo a PF, o pedido de prisão ocorreu porque Menezes poderia obstruir as investigações no cargo que ocupava. "A prisão temporária é uma forma de garantir a coleta das provas. Na visão do MP, foi preciso a prisão por um curto espaço de tempo", disse o delegado Roberto Ciciliatti Troncon Filho, diretor de Combate ao Crime Organizado da corporação.Troncon é quem deve deve substituir Menezes do cargo pois, segundo a PF, ele pediu afastamento do cargo.
Número dois na hierarquia da PF desde 2006, Romero Menezes é acusado de participar de esquema de tráfico de influência
A PF suspeita que um funcionário da EBX, holding controlada pelo empresário Eike Batista, e um prestador de serviços agissem em busca de facilidades para suas empresas junto a Menezes. Entre as benesses procuradas, estavam fraudes em inscrição para curso de supervisor de segurança portuária e credenciamento para instrutor de tiro sem análise prévia dos requisitos legais. Relembre o casoDeflagrada em 11 de julho pela PF, a operação Toque de Midas investigava uma suposta fraude na licitação de concessão da Estrada de Ferro do Amapá para a MMX, mineradora do grupo de Eike Batista. A ferrovia escoa minério da Serra do Navio para o Porto de Santana, às margens do rio Amazonas.Na ocasião, foram cumpridos mandados de busca e apreensão na casa de Eike e em outros 11 locais. No entanto, nenhuma prisão foi feita e a MMX negou a existência de irregularidades na concessão.
PF diz que prisão não era necessária
O diretor de combate ao crime organizado da PF disse que a prisão do diretor-executivo da instituição não era necessária, embora a instituição tenha cumprido a recomendação do MP
Leia maisA investigação apontou que o responsável pela negociação da suposta fraude à licitação teria atuado também na coordenação da arrecadação de recursos da campanha de reeleição do governador do Amapá, Waldez Góes (PDT). Informação do Tribunal Superior Eleitoral mostra que Eike foi o maior colaborador do comitê de Góes, somando um total de R$ 200 mil em doações.Imagem da PFO delegado Roberto Ciciliatti Troncon Filho afirmou, em entrevista coletiva nesta tarde em Brasília, que a imagem da Polícia Federal não deve ficar abalada com a prisão de Romero Menezes, número dois da entidade. "Eu, sim, posso ficar abalado e chateado, mas a PF tem dado provas que não importa quão chato e doloroso, é tudo sempre feito dentro da regra do jogo", disse Troncon, que deve substituir Menezes no cargo.Segundo ele a prisão pedida pelo Ministério Público "não é uma situação corriqueira, mas a PF cumprirá qualquer decisão judicial, seja com que quer que seja". Ele também afirmou, durante entrevista coletiva, que no entender da Polícia Federal, está prisão não seria necessária.Ele negou que haja uma situação de crise na Polícia Federal, com os escândalos envolvendo os grampos da Abin e a operação Satiagraha. Segundo ele, a prisão de Menezes em meio a esses tumultos, é somente mais uma coincidência.

EM ENCONTRO COM BATISTAS, MARTA DEFENDE HOMOSSEXUAIS.


A candidata do PT à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, começou o dia de campanha hoje, por volta das 8 horas, com um pequeno comício para metalúrgicos na porta da fábrica da MWM, na zona sul da capital paulista. No início da tarde, Marta participou de encontro com pastores da Igreja Batista e abordou um assunto delicado para a platéia ao sair em defesa dos direitos dos homossexuais.
A candidata da coligação "Uma Nova Atitude para São Paulo" (PT-PCdoB-PDT-PTN-PRB-PSB), que propôs projeto da parceria civil entre pessoas do mesmo sexo quando era deputada, rebateu críticas de pastores ao projeto de lei complementar nº 122, que tramita no Congresso e aborda a punição da homofobia. A petista deixou claro seu ponto de vista. Ela disse desconhecer a proposta, mas se posicionou fortemente "a favor do respeito à dignidade das pessoas".
"Minha posição é que (o homossexual) não pode ser desrespeitado. Se for para xingar, dizer que é doente, eu sou contra", afirmou Marta. Ela acrescentou que deve ter uma "coerência na vida", referindo-se à sua formação de psicanalista e sexóloga. "A minha posição eu sei e deixei clara qual é", enfatizou, reconhecendo entretanto, que possui uma postura divergente à da Igreja Batista.
Após o término do encontro, o pastor Gésio Duarte Machado, diretor do Colégio Batista, foi diplomático e avaliou que a petista "foi clara e aberta", ressaltando que ela "tem sua postura". Ele disse não acreditar que esta posição da candidata pode fazer com que ela perca votos entre a comunidade batista, que tem cerca da 70 mil pessoas na cidade de São Paulo.
Paulinho
No comício da manhã, acompanhada pelo presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho, e outros dirigentes sindicais, subiu em um carro de som e falou para dezenas de trabalhadores.
Marta concentrou os ataques na gestão do prefeito Gilberto Kassab, candidato à reeleição pela coligação "São Paulo no Rumo Certo" (DEM-PR-PMDB-PRP-PV-PSC)."(A saúde) não funciona, ninguém consegue marcar uma consulta, ninguém consegue fazer um exame médico", disse. Marta afirmou ter deixado tudo pronto para resolver o problema da saúde, "mas não conseguiram dar esse passo". "Não adianta agora dizer que vão fazer. Estão lá há quatro anos e não fizeram."

COMENTÁRIO:

Esses pastores perderam uma grande oportunidade de abrir a Bíblia para a Marta Suplicy e mostrar para ela o que Deus fala sobre o homossexualismo, mas com certeza, para não ir de encontro a opinião da candidata "sexóloga" profana, para não ferir algum interesse de acordo firmado entre as partes por cargos públicos prometido pela mesma caso seja eleita, preferiram a covardia do silêncio. Não se faz mais profetas como antigamente a exemplo de Amós. Hoje é tudo pelo dinheiro e por cargos públicos na vida desses ditos líderes religiosos travestidos de discípulos de Cristo. Como diz Borys Casói: Iso é uma vergonha!!!

Valter Desiderio Barreto.

ESTE CANDIDATO ESTÁ SENDO SINCERO







segunda-feira, setembro 15, 2008

PRESIDENTE DO TRE REJEITA RELATÓRIO DA ONU.

Desembargador reage a críticas de relator da ONU. Estudo alerta para mortes e critica operações em favelas.
Ao comentar o relatório do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), que critica operações policiais em favelas e defende a presença policial de maneira sistemática nas comunidades, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio, desembargador Roberto Wider, afirmou que “é muito fácil fazer críticas de longe”.
A posição de Philip Alston, relator especial da ONU, vai de encontro à estratégia militar da Operação Guanabara, em que comunidades são ocupadas por três dias pelas Forças Armadas para garantir a segurança da eleição no Rio.
saiba mais
Polícia brasileira tem 'carta-branca para matar', segundo ONU
Policiais em milícias no Brasil matam por dinheiro, diz ONU
ONU denuncia execuções desenfreadas no Brasil e acusa policiais
“Era preciso que ele viesse ao Rio, conhecesse as nossas dificuldades e, principalmente, a seriedade com que queremos enfrentar os problemas. Críticas sempre virão, são sempre bem-vindas, e poderemos tirar algum proveito, se for o caso”.
Segundo o relatório de Alston, policiais em serviço são responsáveis por uma proporção significativa das mortes no Brasil, que, segundo o estudo, tem um dos mais elevados índices de homicídios do mundo, com mais de 48 mil pessoas mortas a cada ano. No Estado do Rio, segundo o estudo, os policiais em serviço são responsáveis por quase 18% do número total de mortes, matando três pessoas a cada dia.
O relatório será apresentado ao Conselho de Direitos Humanos da ONU em junho de 2009 e é resultado de uma visita de Philip Alston ao Brasil, de 4 a 14 de novembro de 2007, quando passou por São Paulo, Rio, Pernambuco e Brasília.
Uma prévia do texto havia sido divulgada em junho deste ano e a versão final, com 42 páginas, foi divulgada nesta segunda-feira (15). Nela, o autor recomenda reformas na Polícia Civil, na Polícia Militar, na corregedoria de polícia, no judiciário e na administração carcerária. “As execuções extrajudiciais são cometidas por policiais que assassinam em vez de prender um suspeito de cometer um crime, e também durante o policiamento confrontacional de grande escala seguindo o estilo de ‘guerra’, onde o uso de força excessiva resulta nas mortes de suspeitos de crimes e de pessoas na proximidade”, diz o relatório.
Guerra
Segundo Alston, os integrantes do alto escalão do governo e as autoridades do setor de segurança pública do Rio falam do policiamento como uma “guerra” contra as facções e os traficantes de drogas. Ele afirma que, em algumas áreas do Rio, o controle das gangues é tão absoluto, e a presença do Estado tão ausente, que a polícia somente entra nesses lugares quando há confrontos armados com traficantes. O relator afirma ainda que operações policiais de larga escala no estado foram ineficientes e colocaram em perigo os moradores das comunidades onde aconteceram, além de falhar em desmantelar organizações criminosas e apreender pequenas quantidades de drogas ou armas. Alston cita uma operação no Complexo do Alemão, no subúrbio do Rio, em 27 de junho 2007, quando 19 pessoas foram mortas e nove ficaram feridas. Dos 19 mortos, segundo o relatório, 14 exibiam orifícios de entradas de projéteis nas costas.
“Todas as 19 mortes foram registradas com 'resistência´ seguida de morte. Mas existem fortes evidências de que pelos menos alguns dos mortos foram executados extrajudicialmente”, escreveu o relator. “A extensão com a qual as mortes de ‘criminosos’ são toleradas e até publicamente motivadas por representantes do alto escalão do governo nos explicam, em grande parte, o motivo para a ocorrência de muitas mortes por policiais e o motivo de serem investigadas corretamente.”
Autos de resistência
O relator afirma que o número de mortes por policiais registradas como “autos de resistência” no Rio aumentou significativamente desde 1997, quando foram registradas 300 mortes, até 2007, quando esse número passou para 1.330. “A atual prática de classificação das mortes por policiais como ‘autos de resistência’ ou ‘resistência seguida de morte’ oferece um cheque em branco às mortes por policiais e deve ser abolido. Sem prejuízo dos resultados dos julgamentos penais, essas mortes devem ser incluídas nas estatísticas de homicídios de cada estado”, recomenda o relator. O relator da ONU cita ainda as milícias que, segundo ele, multiplicaram-se nos três últimos anos. Sua estimativa é de que 92 das 500 favelas da cidade sejam controladas por diferentes milícias, integradas por policiais, ex-policiais, bombeiros, guardas carcerários e simples civis. “Tal como ocorre com as facções, a motivação para esse controle é, muitas vezes econômica – as milícias extorquem os comerciantes e controlam os serviços de fornecimento de gás, TV a cabo e transporte alternativo. As milícias também tentam justificar o seu controle ao alegar que 'protegem' os residentes das facções violentas e dos traficantes. No entanto, para os moradores, viver sob o domínio de uma milícia é, muitas vezes, tão violento e inseguro quanto viver sob o domínio de uma facção”, diz o relator.