Banners


Create your own banner at mybannermaker.com!

Aproveitamento do caroço de açaí

< / a >

sábado, agosto 29, 2009

'Vírus viaja a velocidade incrível', diz diretora da OMS.


OMS diz que 40% dos mortos pela gripe são adultos com boa saúde

Pandemias de gripe são 'altamente imprevisíveis', completa.

A diretora da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, afirmou que 60% das mortes provocadas pelo vírus da nova gripe são em pessoas com problemas de saúde, por isso os 40% restantes correspondem a jovens adultos saudáveis.

"Este vírus viaja em uma velocidade incrível, inédita. Em seis semanas, percorreu a mesma distância que outros vírus em seis meses", indicou a máxima responsável da OMS, em entrevista publicada hoje no jornal "Le Monde".
O vírus A (H1N1), a primeira pandemia do século XXI, provocou a morte de pelo menos 2,185 mil pessoas no mundo e pelo menos 209,438 mil pessoas já foram infectadas.
Segundo Margaret, 60% dos casos fatais da nova gripe são de "pessoas que tinham problemas de saúde subjacentes", acrescentando que "isso significa que 40% das mortes dizem respeito a jovens adultos - em boa saúde - que morrem em cinco ou sete dias de uma pneumonia virótica".
"É o fato mais preocupante: curar os pacientes é muito difícil", declarou.
A diretora da OMS considerou também que "até 30% dos habitantes de países com uma forte densidade de população correm o risco de se infectar", e alertou aos Estados que devem "se preparar para o pior e esperar o melhor", já que as pandemias gripais são "altamente imprevisíveis".
Embora a capacidade mundial de produção de vacinas tenha sido duplicada para lutar contra a pandemia, os 900 milhões de doses contra o vírus da nova gripe que serão produzidos "não serão suficientes", acrescentou Chang.
Portanto, a diretora da OMS concedeu grande importância à necessidade de boas políticas de comunicação para que métodos simples para enfrentar a infecção, como lavar corretamente as mãos ou permanecer em casa se estiver doente, ajudem a combater o vírus.

Brasil é o país com maior número de mortos pela nova gripe, diz Saúde


O Ministério da Saúde disse nesta quarta-feira (26), em nota, que o Brasil já registra a maior quantidade de mortos pela nova gripe. Até o dia 22 de agosto, foram observados 557 óbitos pelo vírus H1N1. De acordo com o boletim, no entanto, a taxa de mortalidade do Brasil (0,29) é menor do que em outros seis países. Isto porque o percentual de óbitos é calculado em relação à quantidade de habitantes em cada país.

O ministério também ressaltou que os países adotam periodicidade diferente para a atualização do número de mortes. Os últimos dados dos Estados Unidos, por exemplo, se referem a 15 de agosto. Ainda de acordo com o boletim, os países com as maiores taxas de mortalidade estão no hemisfério sul, por causa do inverno.

O ministério disse também que, pela segunda semana consecutiva, houve queda na quantidade de casos graves da nova gripe. Segundo o boletim, a semana que vai de 16 a 22 de agosto teve uma diminuição no número absoluto de casos. A mesma tendência havia sido observada na semana que vai de 9 a 15 deste mês.

O ministério observou, no entanto, que não é possível concluir que a tendência seja definitiva, pois ainda existem casos em investigação ou que não tiveram as informações sobre a conclusão registradas no sistema de informação pelas secretarias estaduais e municipais de Saúde.

O boletim também ressaltou os riscos da doença para as mulheres grávidas. Das 480 gestantes infectadas pelo vírus Influenza A, 58 morreram.

Medida ProvisóriaO Ministério da Saúde também disse que o governo decidiu enviar ao Congresso Nacional uma medida provisória para a liberação de um crédito suplementar de R$ 2,1bilhões para o enfrentamento da pandemia de Influenza A.

O recurso será utilizado na compra de 73 milhões de doses da vacina contra a nova gripe, além da aquisição de 11,2 milhões de tratamentos, equipamentos, leitos de UTI, ampliação dos turnos nas unidades de saúde e capacitação dos profissionais.

O boletim informou ainda que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou que o Tamiflu, remédio utilizado para o tratamento do vírus H1N1, não seja utilizado por pessoas com sintomas leves ou sem fator de risco.

sexta-feira, agosto 28, 2009

GRIPE H1N1: SAIBA TUDO SOBRE ESSA GRIPE QUE AS AUTORIDADES BRASILEIRA ESTÃO ESCONDENDO DA POPULAÇÃO

Olhe este anexo referente a uma revista de 2000 que previa a gripe, mas leiam antes logo abaixo o texto da pessoa que achou esta curiosidade:
Enviada por NEURA BOSIO DA LUZ
De Caxias do Sul - Rio Grande do Sul.

ESTAVA PREVISTA A EPIDEMIA......SÓ ATRASOU 9 ANOS...ONTEM A TARDE EU E A ROSAURA ESTÁVAMOS ORGANIZANDO ALGUMAS REVISTAS VELHAS E ENCONTRAMOS UM EXEMPLAR DA REVISTA SAÚDE DE JUNHO/2000.
PARA NOSSA SURPRESA, ELA TEM UM ARTIGO SOBRE AS PRINCIPAIS GRIPES JÁ OCORRIDAS.
PASMEM QUANDO OLHAMOS A TERCEIRA PÁGINA DA REPORTAGEM (PAG 75), E ENCONTRAMOS O VÍRUS H1N1, E TODA A SUA RELAÇÃO COM A QUESTÃO SUÍNA... O QUE NÃO SABIAMOS ENTRETANTO E QUE O VIRUS H1N1 ERA O PROPRIO VIRUS DA GRIPE ESPANHOLA QUE MATOU CERCA DE 20 MILHOES DE INDIVIDUOS EM 1918. OU SEJA, NÃO SE TRATA DE UMA NOVA GRIPE, MAS SIM A PRÓPRIA ESPANHOLA... ACREDITO QUE ISSO ESTEJA SENDO MANTIDO EM CERTO SIGILO PARA EVITAR PÂNICO NA POPULAÇÃO.
A MATÉRIA É MUITO BOA E DÁ UMA BOA IDÉIA DE TODA A EVOLUÇÃO.
VEJAM EM ESPECIAL AS PÁGINAS 76 E 77 QUE APRESENTAM OS SINTOMAS E A FORMA QUE ESSE VÍRUS ESPECIAL ATUA (EVIDENTEMENTE O MESMO MECANISMO QUE ESTÁ SENDO VEICULADO NA IMPRENSA).
Leia com atenção tudo sobre esta gripe que já domina o mundo








































Vírus da gripe suína já é dominante no mundo, diz OMS

"Chilenas se protegem do vírus da gripe suína"

A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou nesta sexta-feira que o vírus da gripe suína agora é a variedade de vírus de gripe dominante na maior parte do mundo.
De acordo com um comunicado no site da organização, provas recolhidas em vários locais onde ocorreram epidemias do vírus A (H1N1) mostraram que ele proliferou rapidamente.
"O monitoramento pela rede de laboratórios da OMS mostra que o vírus, em todos os locais onde há surtos, permanece virtualmente idêntico. Estudos não detectaram sinais de que o vírus tenha sofrido mutações para uma forma mais perigosa ou fatal", informou a OMS em seu site.
"A grande maioria dos pacientes continua sofrendo de uma doença leve. Apesar de o vírus poder levar a uma doença muito grave e fatal também em pessoas jovens e saudáveis, o número de casos assim permanece pequeno."
A OMS também advertiu que "a pandemia vai persistir nos próximos meses enquanto o vírus continua se movendo entre as populações suscetíveis".
Segunda onda
Em sua declaração, a OMS afirma há o risco de uma segunda grande onda de contaminação pelo vírus da gripe suína.
"Países de clima tropical, onde o vírus da pandemia chegou mais tarde, também precisam se preparar para um aumento do número de casos."
"Países nas partes temperadas do hemisfério sul devem permanecer atentos. (...) Locais restritos com aumento de transmissão podem continuar surgindo mesmo quando a pandemia já tiver atingido seu auge no nível nacional."
A OMS também alertou que grandes números de pessoas em todos os países continuam suscetíveis à doença e que, mesmo se o padrão de uma doença menos grave continuar, o impacto da pandemia durante a segunda onda pode ser pior.
"Números maiores de pessoas gravemente doentes, que precisam de cuidados intensivos, poderão se transformar no problema mais urgente para os serviços de saúde, criando pressões que podem sobrecarregar unidades de terapia intensiva e possivelmente prejudicar o fornecimento de tratamento para outras doenças."
A organização acrescentou que, como boa parte dos dados atuais a respeito da pandemia de gripe suína vem de países mais ricos, a situação nos países em desenvolvimento precisará ser monitorada com muita atenção.
"O mesmo vírus que causa problemas gerenciáveis em países ricos pode ter um impacto devastador em muitas partes do mundo em desenvolvimento", informou a organização em sua declaração.

Desemprego do Japão continua a subir e atinge maior patamar histórico

Notícia vem dois dias antes das eleições no país e o primeiro ministro já vislumbra perda de poder

A taxa de desemprego no Japão atingiu em julho seu maior nível histórico, subindo para 5,7%, 0,2 ponto percentual acima da máxima anterior, vista em abril de 2003.
Os dados jogam preocupações sobre os investidores, que já se mostram apreensivos com a economia do país, mesmo após o crescimento de 3,7% do PIB (Produto Interno Bruto) local durante o segundo trimestre.
Temores de que o avanço no desemprego acelere a deflação da nação asiática assustam os mercados. Um dos membros da diretoria do Banco Central do país disse durante a semana que os políticos deveriam se preparar para uma longa batalha contra a deflação.
Eleições
Contudo, o aumento do desemprego no Japão durante o mês de julho deverá ser mais doloroso para uma pessoa: o primeiro ministro Taro Aso. Com as eleições marcadas para daqui dois dias, Aso vislumbra a perspectiva de que seu partido deixe o poder do país pela segunda vez em mais de 54 anos.

quarta-feira, agosto 26, 2009

Vale abre 900 vagas para Programa de Estágio


Estão abertas até 20 de setembro as inscrições para o Programa de Estágio da Vale. São 900 vagas para estudantes do ensino técnico e superior, dos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, São Paulo, Sergipe, Espírito Santo, Pará, Maranhão e Mato Grosso do Sul. As inscrições podem ser feitas através do site www.vale.com. Para os universitários serão oferecidas vagas em mais de 30 cursos em diferentes áreas, como Engenharia, Geologia, Administração, Arquitetura, Química, Direito, Informática, Comunicação, Psicologia, Ciências Contábeis, Ciências Biológicas, Comércio Exterior, entre outras. A lista completa e a divisão de cursos, por estado, estão disponíveis no site.
Estudantes de nível técnico terão a oportunidade de se inscrever também em mais de 14 cursos, entre eles Eletrônica, Mecânica, Eletroeletrônica, Eletromecânica, Elétrica, Química, Informática, Administração, Meio Ambiente, Secretariado, Administração e Enfermagem.
Os selecionados iniciarão o estágio em janeiro de 2010 e receberão bolsa-auxílio mensal de R$ 600,00 a R$ 900,00 (os valores variam dependendo do curso, técnico ou superior, e da carga horária), assistência médica e seguro de vida. Nas unidades onde a empresa não oferece transporte e restaurante, os estagiários também receberão vale-transporte e vale-refeição. A carga horária do estágio varia entre 4 e 6 horas, dependendo da função. Para participar do processo seletivo, os universitários devem estar em período equivalente a dois anos para concluir o curso, ter conhecimentos de inglês e de informática. Para os candidatos de nível técnico, a exigência é que estejam a um ano de concluir o curso ou sejam recém-formados e ainda não tenham cumprido a carga horária de estágio obrigatório.
Serviço:
O que: Programa de Estágio da Vale Quando: até 20 de setembro de 2009

Quantidade de vagas: 900

Como se inscrever: acesse o site www.vale.com e clique no link oportunidades.

O espetáculo sórdido da política brasileira

Arnaldo Jabor

Como comentar isso tudo?

A indignação ficou insuficiente, o escândalo está desmoralizado, a vergonha está cansada. Não há mais filme de horror, não há filme pornô igual a isso que vemos.

Estamos nos viciando neste espetáculo de sordidez. E isso é ruim, porque a indignação é muda, é paralítica. Porque não se trata mais de netinhos nomeados, nem mensalinhos roubados, nem envelopinhos de empreiteiras, nem de gorgetinhas de macarrão. Não se trata mais de um problema moral. As instituições estão sendo implodidas por dentro, pelos próprios donos do poder. Em nome da governabilidade o governo está impedindo a governabilidade. E pior: este circo de anomalias serve para acalmar nossas consciências... A gente fala: "que horror" e se sente santificado, mas não faz nada. A imprensa está sozinha ameaçada de censura pelos roedores da República... Quando houve a crise do Collor, a indignação ainda valia. Intelectuais e figuras importantes do país, como Barbosa Lima Sobrinho e outros se manifestaram em bloco. E hoje? Por que este silêncio dos intelectuais? Onde estão os carapintadas? Onde os manifestos de artistas famosos, das tais celebridades? Onde estão eles, além de exibir sua vida sexual nas revistas e rebolar nas pistas de dança? Cartão vermelho para a elite pensante do Brasil!

terça-feira, agosto 25, 2009

Afastado diretor de hospital que pôs aluno em seu lugar


Um estudante de medicina, no Pará, fazia consultas, receitava remédios e utilizava o carimbo do diretor do hospital, em nome dele.

O governo do Pará afastou o diretor do Hospital Abelardo Santos, em Icoaraci, no distrito de Belém. José Aldo de Oliveira permitiu que um estudante de medicina atendesse pacientes e receitasse remédios, em nome dele. O flagrante foi mostrado ontem, no Jornal Nacional. Alan Kardec de Souza, que ainda está no quarto período da faculdade, usava o carimbo do diretor nas receitas que emitia. E poderá responder por exercício ilegal da medicina e falsidade ideológica

COMENTÁRIO:

O episódio do estudante de medicina Alan Kardec de Souza, nos faz imaginar que a maioria dos estudantes de medicina no Brasil, procura se formar nesta área é exatamente com o objetivo de ostentar o título de "Doutor", menos por vocação. Prova disso que frequentemente estamos assistindo pela grande mídia, denúncias de erros médicos pondo em risco de morte muitas vidas de pacientes. Dado a quantidade de profissionais medíocres que nossas universidades estão formando no Brasil. Sem contar que ainda temos àqueles que para fugirem do vestibular no Brasil, procuram as ditas universidades do Paraguai e da Bolívia para se formarem em "doutores", onde o nível desses cursos nesses países são os piores possíveis, e não precisa se fazer vestibular para frequentar os cursos de medicina e tantos outros existentes. Qualquer pé de chinelo pode se formar em "Doutor" nesses países que não exigem qualidade de alunos, e sim quantidade. Só gostaria de lembrar mais uma vez, que nenhum curso de graduação em faculdades ou universidades, não dá o direito dos formados em qualquer área ostentarem o título de "DOUTOR", porque só é Doutor quem faz pós-graduação em Doutorado, antes, o postulante ao título de Doutor, terá que fazer pós-graduação em Mestrado. Quem não passa por esses critérios estão praticando o crime de falsidade ideológica, por estarem usando um título INDEVIDO. Quem quiser saber se aquele que ostenta o título de Doutor está falando a verdade, é só pedir para olhar seu Diploma para constatação do curso que o mesmo concluiu. Se no mesmo não constar o título de Doutor, não deve ser chamado por este título.

Valter Desiderio Barreto - Escritor.

Empresários esperam que ambiente seja debatido em campanha presidencial


Brasil tem de atualizar dados sobre emissão de gás-estufa, diz pesquisador.

Temas foram tratados hoje em fórum da Globo News e ‘Valor Econômico’.

saiba mais
Aquecimento ultrapassará 2 graus Celsius sem cortes radicais de emissões
Queimadas são piores do que se pensava para o aquecimento global
Inpe faz projeções inéditas relacionando desmatamento e aquecimento
Piores cenários sobre aquecimento global podem estar se concretizando, dizem cientistas
Aquecimento global pode destruir 85% da Amazônia, aponta estudo britânico
Gravidade do aquecimento global foi subestimada, diz cientista
Em dezembro, os olhos do mundo estarão voltados para Copenhague, onde as lideranças mundiais tentarão estabelecer um novo acordo climático. Na tentativa de reverter o caminho do aquecimento global, a redução na emissão de gases-estufa e a criação de formas de incentivo ao empresariado para conversão a uma economia de baixo carbono estarão entre os principais assuntos. Nesta terça (25), essas e outras questões foram debatidas em São Paulo no Fórum Valor Globo News “Brasil e as Mudanças Climáticas”. O G1 acompanhou o debate, que contou com a presença da ex-ministra, senadora e possível candidata a presidente Marina Silva.

Para os representantes do setor produtivo, as questões ambientais devem estar presentes na próxima campanha eleitoral. No entanto, destacam que políticas públicas que orientem o setor e atitudes de preservação do meio ambiente demandam mobilização pública. "O tema será desenvolvido na medida em que houver eco na sociedade", disse Wilson Ferreira Jr., diretor presidente da CPFL Energia.

Expectativa
Durante o debate, os empresários avaliaram suas expectativas sobre a reunião de Copenhague. "Esperamos que o Brasil adote o conceito de permanência para suas florestas nativas", afirmou Antonio Maciel Neto, diretor presidente da Suzano, empresa do setor de celulose.

De acordo com Adalberto Veríssimo, pesquisador do Imazon e membro do Fórum Amazônia Sustentável, antes de tudo o país precisa atualizar seu conhecimento sobre o nível de emissões. "O Brasil precisa fazer um relatório atualizado de suas emissões. Estamos muito atrasados", disse.

O ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, afirmou que o relatório com dados referentes até 2002 estará pronto antes da reunião de Copenhague. "As grandes fontes de emissão são fáceis de ser identificadas, mas a emissão tem diversas fontes", explicou.

Para Veríssimo, a falta de marcos regulatórios na região amazônica acaba por afastar investimentos sustentáveis nos estados da região. "A Amazônia precisa de um choque de economia, da nova economia", afirmou.

Resistência interna
A meta brasileira de 70% de redução do desmatamento na região amazônica, segundo o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, é um objetivo ousado que credencia o país a cobrar metas avançadas dos países desenvolvidos. "O Brasil tem tudo para ser protagonista nas questões de redução de emissões e quanto mais protagonismo você tem, mais pode cobrar", disse.

No entanto, Minc lembrou que a redução das emissões de carbono enfrentou resistência da sociedade e de setores do próprio governo. "Varios setores do governo resistiam aos planos de redução. Achavam que estávamos numa fase de desenvolvimento que engessava o estabelecimento de metas", disse. "Quando se fala que a sociedade quer 100% de redução de desmatamento não é bem assim. Existem resistências, há pressão de governadores e senadores da Amazonia."

Na avaliação de Marina Silva, antecessora de Minc no ministério, "o governo está indo com uma posição bastante genérica (para o encontro de Copenhague) e precisa fazer rapidamente esse debate". Ela acrescentou que deve se filiar ao Partido Verde (PV) neste domingo.

Empresas brasileiras lançam carta aberta ao Brasil sobre mudanças climáticas visando à COP 15

Produzido por 22 entidades e empresas, por iniciativa da Vale, do Instituto Ethos e do Fórum Amazônia Sustentável, o documento, lançado hoje, traz compromissos de redução de emissões e faz sugestões ao Governo brasileiro
Vinte e duas entidades e empresas privadas de capital brasileiro lançam hoje em seminário, em São Paulo, uma carta aberta ao Brasil sobre mudanças climáticas, apresentando seus compromissos voluntários para a redução de emissões de gases do efeito estufa (GEE). O documento - uma iniciativa da Vale, Instituto Ethos e Fórum Amazônia Sustentável - traz ainda uma série de sugestões à posição do Governo brasileiro na 15ª Conferência das Partes (COP-15) do Tratado da ONU para as Mudanças Climáticas, que ocorrerá em dezembro em Copenhague. Na COP-15 serão debatidos novos compromissos e mecanismos para combater o aquecimento global.
O documento será entregue ao ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, e ao negociador-chefe da delegação brasileira em Copenhague, Luiz Alberto Figueiredo Machado, no seminário Brasil e as Mudanças Climáticas - Oportunidades para uma economia de baixo carbono. No evento, serão discutidos, em três painéis, os desafios das mudanças climáticas para os negócios e a sociedade; o papel do setor privado no combate ao aquecimento global; e o papel do governo no combate às mudanças climáticas.
A carta representa um marco na discussão do tema, porque, pela primeira vez, empresários do setor produtivo do país apresentam formalmente iniciativas para combater o aquecimento global. Entre os compromissos, estão o monitoramento das emissões pelas empresas signatárias, com a publicação de inventários anuais para acompanhamento da sociedade, e a busca da redução contínua do balanço líquido de CO2 (redução da diferença entre emissão e captura de CO2)
Outro ponto importante é o apoio à criação de mecanismo de incentivo para a redução de emissões por desmatamento e degradação florestal (REDD), incluindo a conservação e o manejo florestal sustentável. A idéia do REDD é criar valor econômico para a floresta em pé ou para o desmatamento evitado. Este mecanismo pode vir a se transformar em uma alternativa rentável para reduzir o desmatamento da Amazônia, hoje o principal fator de emissões de CO2 do Brasil, porque propõe compensações financeiras aos proprietários de matas naturais que se prontificarem a proteger suas florestas.
"As mudanças climáticas vão induzir a substituição de fontes energéticas e de matérias primas para a produção de bens e produtos. A atividade básica da Vale é a mineração desses insumos. Assim, o tema faz parte da avaliação estratégica do portfólio de nossos produtos e serviços, com visão de longo prazo. Avaliamos ainda custos de adaptação, bem como as oportunidades de negócios verdes e alternativas tecnológicas que reduzam nossas emissões", afirma o diretor de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Vale, Luiz Claudio Castro.
A carta está dividida em três partes. A primeira traz uma visão geral dos desafios para o enfrentamento global das mudanças climáticas e a oportunidade que o Brasil tem de liderar as discussões em torno de uma economia de baixo carbono. Na segunda parte, as empresas expõem seus compromissos para reduzir suas emissões e, na terceira e última parte, são apresentadas as propostas ao governo brasileiro, incluindo sugestões para a COP 15. Entre as propostas, está a publicação de estimativas atuais de emissões de GEE no Brasil e, a cada três anos, o Inventário Brasileiro de Emissões de GEE, cujo último data de 1994.
"O Brasil tem a oportunidade única de construir seu modelo de desenvolvimento sustentável e influenciar o resto do mundo no mesmo caminho", afirma Beto Veríssimo, secretário-executivo do Fórum Amazônia Sustentável, que reúne mais de 180 instituições que atuam na Amazônia. Para Ricardo Young, presidente do Instituto Ethos, as empresas brasileiras engajadas no movimento da responsabilidade social podem incentivar o país a liderar a transição a uma economia de baixo carbono. "Assim fazendo, o empresariado vai abrir novas oportunidades de negócio e aumentar a competitividade de todos os setores da economia", afirma Young.

Lula e a escandalosa apologia às drogas

O Presidente Lula fazendo apologia ao consumo de drogas

Na foto, o Presidente da República Federativa do Brasil ajudando a promover a criminosa folha da coca, que é a matéria-prima para produzir a letal cocaína, cujo cultivo e uso é proibido no país, pois a droga que gera arrasa milhares de vidas pelo seu uso ou pelos crimes cometidos pelos traficantes. E não venha o Presidente da República Federativa do Brasil com a alegação de que as folhas da coca são consideradas sagradas por indígenas como Evo Morales. Ao ser mastigada, a folha da coca retira do usuário o pleno domínio das suas faculdades mentais, fato comprovado cientificamente, pois funciona como uma droga que aumenta a resistência física, mas com perda da capacidade de raciocínio. Por isso, indígenas como Evo Morales, que mascam publicamente a folha da coca, deveriam ser declarados incapazes, sendo-lhes permitido presidir no máximo o sindicato dos povos indígenas bolivianos, mas jamais o país. Um indivíduo sob o efeito das folhas da coca não tem condições de dirigir uma bicicleta, quanto mais um país. Evo Morales deveria optar entre ser um índio drogado, que fala pouco porque está com a lingua travada, ou o presidente da república. As duas coisas não funcionam. A não ser na cabeça doente e irresponsável do Lula.
………………………………………………………………………………………..
Se no Brasil é proibido, por que o Presidente da República divulga a folha de coca em visita oficial a outro país?
LEI Nº 11.343, DE 23 DE AGOSTO DE 2006.

Art. 33. Importar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, transportar, trazer consigo, guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar:

Pena - reclusão de 5 (cinco) a 15 (quinze) anos e pagamento de 500 (quinhentos) a 1.500 (mil e quinhentos) dias-multa.

§ 1o Nas mesmas penas incorre quem:

I - importa, exporta, remete, produz, fabrica, adquire, vende, expõe à venda, oferece, fornece, tem em depósito, transporta, traz consigo ou guarda, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, matéria-prima, insumo ou produto químico destinado à preparação de drogas;

118 quilos de cocaína apreendidos na fronteira com a Bolívia, misturadas a uma “importação” de roupas. Lula acaba de autorizar a importação sem impostos dos têxteis bolivianos.
A visita de Lula ao Chapare, antro do narcotráfico boliviano, serviu para levar apoio a Evo Morales, grande incentivador do plantio da coca, aquela plantinha inocente que vira a cocaína que vem matar jovens brasileiros e alimentar a criminalidade nacional. Um orgulhoso Lula ostentou um colar de folhas da planta, embevecido com a homenagem recebida da indiada bandida e safada que habita o lugar. Além de deixar por lá U$ 332 milhões para construir a Transcocalera, pela OAS, sua grande doadora de campanha, Lula também assumiu o compromisso de importar U$ 21 milhões por ano em roupas bolivianas, substituindo exportações para os Estados Unidos, que retirou isenções do produto devido ao incentivo à produção da droga, dado por Evo. Esta foi a frase de Lula: ” Publicamos um decreto pelo qual o Brasil comprará produtos têxteis da Bolívia com as mesmas vantagens retiradas pelos Estados Unidos. Esta é uma oportunidade extraordinária para que a Bolívia desenvolva a sua indústria e agregue valor aos seus produtos”. O look boliviano, em breve, será a grande sensação dos bailes funks e dos ensaios de escolas de samba no Rio. E não nos surpreendamos se, no carnaval, tivermos algum samba-enredo glorificando as vantagens medicinais da coca. A moda do próximo verão será cocaína em fardos. É o tal “valor agregado” sugerido por Lula.

Comentário de Reinaldo Azevedo:

As oposições, acho, não farão como eu gostaria que se fizesse: pegar as imagens e o noticiário do dia de ontem e editá-lo ao lado dos presuntos produzidos todos os dias nos morros do Rio e nas periferias das grandes cidades. Vítimas do narcotráfico. Também não se atreveriam a juntar essas duas coisas à resistência brasileira em classificar as Farc - aliadas de Chávez, que é aliado de Evo Morales - como narcoterroristas.
Não! Não estou sendo sub-reptício ou oblíquo. Não estou ligando o PT ao tráfico de drogas. Se soubesse algo, diria - e sugiro que vocês não o façam nos comentários, ou teria de excluí-los. Estou afirmando, isto sim, que, em nome de afinidades ideológicas - com Evo, Chávez, Rafael Correa e as Farc -, o governo petista se torna um ALIADO OBJETIVO do narcotráfico, que responde por boa parte dos 50 mil homicídios que ocorrem por ano no Brasil. Um verdadeiro flagelo.
Lula quer ir lá fazer onda com Evo Morales? Vá lá. Mas realizar o encontro numa das regiões que respondem por boa parte da cocaína que se trafica no Brasil? Não! Aí já é acinte mesmo! A área destinada ao cultivo de coca na Bolívia cresceu. O país perdeu um incentivo concedido pelos EUA para a exportação de produtos bolivianos. Evo, na prática, se nega a combater o narcotráfico. A decisão foi de Jorjibúxi. E São Obama teve de referendar.
E Lula, para variar, não se conteve. Apelou à demagogia barata - e, lamento dizer, à mentira - para falar de si mesmo e de Evo: “O índio tem de provar que tem competência para governar, sindicalista tem de provar que tem competência para governar. Enfrentamos os preconceitos. Enfrentamos a ira dos poderosos que não se conformaram em perder o poder.”
É… No Brasil, Lula resolveu enfrentar a “ira dos poderosos” ao lado de patriotas como José Sarney, Renan Calheiros e Fernando Collor. Na Bolívia, Evo preferiu os que fazem bom uso do processamento das folhas de coca, cuja produção ele estimula. Acaba de criar uma nova região de incentivo à planta - desta feita, na fronteira com o Brasil.
Agora só falta Lula discursar no reduto de “importadores” de carros brasileiros no Paraguai e de exportadores de “tabaco paraguaio” para o Brasil…
Ah, sim: só para não perder a viagem, usaria também algumas imagens da Petrobras sendo ocupada - depois, foi expropriada, roubada mesmo - pelos trogloditas de Evo. E também não me esqueceria de mostrar o tratamento que fazendeiros brasileiros têm recebido dos evistas: incêndio de plantações, roubo de tratores, ameaça de expropriação.
Não vou dizer que Lula, agora, foi longe demais. Porque tudo lhe é permitido. E tudo lhe permitem. Ele sapateou sobre alguns cadáveres e a dor de suas respectivas famílias ao discursar onde discursou.
João Bacellar de Siqueira disse em 24/08/2009 às 19:11

A que ponto chegamos… o presidente de um país em que milhares de jovens e adolescentes perdem o sentido da vida, prden a vida, em que muitas famílias são desfeitas e enlutadas por causa do uso da droga, em que policiais morrem por cambater os traficantes de drogas, em que os traficantes de drogas estão dominando favelas e bairros, um presidente de um país em que as famílias estão procurando, com muita dor e sofrimento, proteger seus filhos ou superar a dor da perda de seus filhos por causa do uso da droga… repito, em que muitos jovens e adolescedntes estão perdendo o sentido da vida, perdendo a vida… em que a sociedade está tentando de tudo para salvar-se da droga…digo, o presidente Lula cola um colar de folhas de coca!!!… É muito escandaloso, é muit0 acintoso, é muita humilhação para nós brasileiros1… Será que ninguém vai tomar proovidência? Onde estão as pessoas de bem que estão no poder? Vão deixar passar em branco esse escãndalo?…O Senado, a Câmara e o Judiciário vão deixar esse escândalo passar sem tomarem providências?.É hora de agir e rápido… É preciso agir. É demais…

Nota de Repúdio às declarações do Ministro Carlos Minc


de valmir.milomem@gmail.com (Valmir)
Divulguem!
Assine este abaixo-assinado
A União de Blogueiros Evangélicos, neste ato representada pelos associados abaixo assinados, vem, mui respeitosamente, repudiar publicamente a atitude do Excelentíssimo Ministro do Meio Ambiente, sr. Carlos Minc, que, no dia 18 de maio de 2009, durante discurso no Palácio Guanabara, em São Paulo, afirmou o seguinte: “Tem alguns momentos em que a Igreja erra feio. Um deles é a questão da camisinha. Se a gente fosse atrás da Igreja, quantas pessoas não estariam doentes? Outra questão é a da homofobia. Como é que uma religião pode dizer que é fraterna e solidária com todos se pressiona os parlamentares a não aprovarem a lei que criminaliza a homofobia?”; e ainda completou: “Quem se opõe à aprovação dos projetos que criminalizam a homofobia é corresponsável pela multiplicação dos crimes que nada têm de fraternos e solidários”. Como que fornecendo o corolário para a discussão do problema, conforme as agências noticiosas, o ministro também forneceu o emblemático número de três mil crimes por homofobia, nos últimos dez anos no Brasil.

Sobre o desastroso pronunciamento do sr. Ministro, a UBE entende:


1) Que o Ministro pode e deve se manifestar no exercício democrático do seu juízo. Inclusive, discordando da posição da Igreja e dos cristãos de uma forma geral; afinal, a livre manifestação do pensamento é garantia assegurada pela Carta Magna em seu art. 5º, inciso IV. Garantia essa que, ironicamente, o PLC 122/2006 pretende acabar a pretexto da tipificação criminal da homofobia..


2) Que o Governo Federal, representado naquele ato pelo então Ministro, enquanto Poder Executivo do Estado brasileiro, deve zelar para que todos os cidadãos tenham seus direitos resguardados em consonância com os dispositivos legais vigentes, de maneira isonômica e justa, independente de sua cor, raça, sexo, opção sexual e religião, conforme estabelece o artigo 5º, caput, da Constituição Federal, o qual estabelece que “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes”.


3) Que o sr. Ministro acabou por atacar frontalmente todas as igrejas e entidades religiosas que se opõem a tais projetos legislativos, responsabilizando-as levianamente por aquilo que ele denomina de “multiplicação dos crimes que nada têm de fraternos e solidários”. Entidades essas que, inclusive, estão inseridos os milhares de blogueiros evangélicos que assinam virtualmente a presente nota de repúdio;

4) Que, da maneira infeliz e irresponsável como foi feito, o pronunciamento evoca uma separação de grupos sociais, de modo a suscitar uma luta de classes entre aqueles que são contrários e aqueles que são favoráveis aos projetos de lei de criminalização da homofobia. Luta esta inexistente, uma vez que nenhuma igreja aqui representada assassinou, instigou ou colaborou para que gays, lésbicas e simpatizantes sofressem qualquer tipo de violência; muito menos incita ou incitou ódio contra os homossexuais.

5) Que o simples fato de apoiar ou não apoiar determinado projeto legislativo não significa necessariamente incentivo a um certo comportamento social; principalmente quando esse comportamento é maléfico para a sociedade. Com efeito, ser contrário à aprovação dos projetos que criminalizam a homofobia não é o mesmo que incitar o ódio ou a violência contra os homossexuais. Absolutamente. Afinal, se essa for a lógica padrão, concluiríamos também que o sr. Ministro é incentivador do uso de drogas, notadamente da maconha, isso porque, recentemente, ele mesmo participou de ato público onde pedia – aos gritos - a descriminalização do uso da maconha. Portanto, se essa idéia estiver correta, o sr. Carlos Minc é também “corresponsável pela multiplicação dos crimes que nada têm de fraternos e solidários” originados a partir do uso da maconha (furtos, roubos, homicídios, violência, etc.), bem como corresponsável pela destruição de milhares de famílias brasileiras que possuem dentro de casa viciados nesse tipo de droga.

6) Que as igrejas aqui representadas se resguardam o direito ao exercício do mesmo juízo resguardado ao nobre ministro e discordam igualmente de suas palavras e do apoio a tais projetos. Desta forma, as igrejas e seus membros podem discordar de quaisquer opiniões que julguem contrárias à sua fé e crença, inclusive, entre si, e o fazem de maneira ordeira e responsável. Não lembramos de qualquer enfrentamento religioso, apesar das divergências pontuais entre as correntes evangélicas brasileiras, o que é sadio;

7) Que, diante da afirmação de que nos últimos dez anos houve no Brasil 3.000 crimes por homofobia, se faz necessária a seguinte pergunta: Por que o ministro, ou seu correspondente na pasta da Justiça, não disponibiliza as investigações das 3.000 mortes? Porque muitos destes crimes foram sequer investigados! Entendemos que o emblemático número é fruto de mistificação grosseira e sintetiza a omissão e inabilidade do próprio Governo frente à crescente criminalidade de nossos dias. Senão leiamos um trecho de reportagem do Jornal do Commercio, do dia 15 de abril deste ano sobre o mesmo assunto. Na ocasião o jornal divulgava estatísticas semelhantes (grifos nossos):
Os gays são mais “frequentemente assassinados dentro da própria casa”, geralmente a facadas ou estrangulados. Já os travestis são executados na rua a tiros. O perfil dos criminosos é descrito assim pelo relatório: “80% são desconhecidos, predominando garotos de programa, vigilantes noturnos, 65% menores de 21 anos”.
Os gays são assassinados dentro de casa por 80% de desconhecidos!? Não lhes parece estranho? Veja como a contradição fica mais aparente quando se acrescenta predominando garotos de programa? Ou seja, na maioria das vezes, o gay chama um garoto de programa para sua própria casa, assumindo os riscos inerentes a esta atitude, e por alguma razão, os dois se desentendem e o gay é assassinado! Isso não é homofobia desde o início, porque, a priori, quem aceita um programa com um gay é porque gosta de sexo com ele.
Apesar das mortes, que devem ser sempre lamentadas, as ONGs dos movimentos engajados desejam um tratamento específico ao problema. O que querem? Um policial para cada casa, para poderem fazer sexo em segurança com um desconhecido? Observemos, por oportuno, que a questão colocada em foco não é a violência como drama brasileiro, mas a que atinge especificamente a homofobia. Uma classe especial de apuração somente para os gays. Como se as demais mortes de brasileiros fossem menos importantes. Outrossim, o que dizer dos gays que morrem disputando parceiros? Ou isto não acontece? Ou os que se envolvem em brigas que não tem nada a ver com sua opção sexual e em decorrência delas são assassinados? Dos que se arriscam nos programas noturnos? Enfim, em que circunstâncias foram mortas cada uma destas pessoas? A alquimia esconde, por exemplo, os praticantes do bareback!

8) Que tais projetos criam uma classe especial de privilegiados. Que de posse dos direitos especiais providos pelos projetos irão arguir as opiniões contrárias, de maneira agressiva e violenta, como já ocorre nos EUA. Decerto, a prevalecer a maneira tendenciosa como o Governo Federal cria políticas segregacionistas, um dia o Brasil vai ter uma Delegacia para apurar crimes contra os gays (aliás, já tem, só que com mais ênfase tem em vista os projetos em trâmite), outra contra os negros, os pardos, os amarelos, os narigudos, os baixinhos, os carecas, os gordos, os babalorixás, os que usam colete; enfim, contra cada categoria que reclame para si uma apuração diferenciada. Quando todos, repetimos, todos, os crimes deveriam ser apurados indistintamente, e nuances como sexo, religião, raça e opção sexual fossem contornos do fato. Exceto, nos casos em que há ligação explícita, como, por exemplo, os crimes praticados por neonazistas;

9) Que o Governo Federal desde há algum tempo luta por reparações históricas. O que seria muito bom, se tais reparações não segregassem os brasileiros em castas. A segregação impõe uma classe. Tal imposição se configura racista, quando aloca privilégios. Repudiamos tal articulação, pois historicamente perseguidas pela Igreja Católica, por exemplo, as evangélicas, nunca ousaram reivindicar reparação alguma;

10) Que a fala do excelentíssimo ministro Carlos Minc tenta mantê-lo em foco, desviando-o dos verdadeiros problemas de sua pasta, quais sejam, em resumo:
a) Desmatamento recorde. Provavelmente ao término deste texto o tamanho de uma quadra de futebol de árvores foi abaixo, em nome da ilegalidade e da exploração desordenada;


b) Poluição desmedida de nossos rios e costas. As matas ciliares estão em franco desaparecimento e os rios brasileiros agonizam;


c) Crescimento desordenado de nossas cidades, com déficit sensível de saneamento básico;


d) Impunidade nos delitos contra a natureza;


e) Ausência de políticas de longo prazo para o meio ambiente, tais como implantação da sustentabilidade plena em áreas de preservação ambiental.

Em suma, diante do fiasco à frente do Ministério do Meio Ambiente, o excelentíssimo senhor Carlos Minc procura desesperadamente por visibilidade advogando causas estranhas à sua pasta. Como militância na marcha da maconha e portavoz de evento gay.
União dos Blogueiros Evangélicos

Assine o abaixo-assinado.

Crise entre Lina e Palácio do Planalto segue no impasse


Alexandre Garcia:

Lina disse na comissão que não é fantasma; mas está assombrando os corredores do gabinete civil.


Mudanças administrativas. Talvez seja mera coincidência eles se queixarem de ingerência política na nota que assinaram. É gravíssimo imaginar que a Receita Federal possa estar não a serviço da lei, mas a serviço de interesses políticos ou eleitorais porque quem pede para aliviar pode também pedir para pressionar, para calar. A questão de saber quem mente, na controvérsia sobre se houve ou não um encontro entre a então secretária Lina Vieira e a ministra Dilma, o palácio nada acrescentou com a nota do gabinete de segurança institucional dizendo que não há registro em vídeo, nem da placa do carro nem do nome da possível visitante. Fica no impasse. Na presidência da República, se houver encontro secreto, nada fica registrado, nem na segurança. É como se não existisse. Assim, se tiveram um encontro secreto, a prova é que não ficou registrado. Se não ficou registrado, não há como Lina provar que esteve lá. Um encontro secreto trata de assunto que não pode ser divulgado. Se não pode ser divulgado, é porque a divulgação pode trazer prejuízos. Provar que esteve é até possível, mas é com a visitante. Provar que não esteve, é impossível – isso é com o Palácio do Planalto. Não convém ao palácio mostrar que ela esteve, mas não pode provar que não esteve. Só Lina pode provar que esteve, e até agora não provou. Esse é o impasse aparentemente sem solução. Entre afirmar que esteve e o impasse, o impasse é a melhor solução para o Palácio do Planalto. Lina fica na situação de quem convence mas não vence. Ela disse na comissão que não é fantasma; mas está assombrando os corredores do gabinete civil.

segunda-feira, agosto 24, 2009

Ensino religioso em escolas públicas pode gerar discriminação, avalia professor

Agência Brasil
São Paulo - O ensino religioso que aborda uma doutrina específica pode gerar discriminação dentro das salas de aula, segundo o sociólogo da Universidade Estadual Paulista (Unesp), José Vaidergorn. “O ensino religioso identificado com uma religião não é democrático, pode ser considerado discriminatório”, disse em entrevista à Agência Brasil.

Segundo Vaidegorn, o ensino voltado para uma determinada religião pode constranger os alunos que não compartilham dessas ideias. O professor ressalta ainda a possibilidade de que, dependendo da maneira que forem ministradas, as aulas de religião podem incentivar a intolerância entre os estudantes.

As aulas de religião estão previstas na Constituição de 1988. No entanto, um acordo entre o governo brasileiro e o Vaticano, em tramitação no Congresso Nacional, estabelece o ensino católico e de outras doutrinas.

A inserção do elemento religioso no processo educacional pode, segundo Varidergorn, gerar conflitos. “Em vez da educação fazer o seu papel formador, o seu papel de suprir, dentro das suas condições, as necessidades de formação da população ela passa a ser também um campo de disputa política e doutrinária.”

O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Leão, contesta a justificativa apresentada na lei de que o ensino religioso é necessário para a formação do cidadão. “Não podemos considerar que a questão ética, a questão moral, o valores sejam privilégios das religiões”, ressaltou. A presença do elemento religioso não faz sentido na educação pública e voltada para todos os cidadãos brasileiros, segundo ele. “ A escola é pública, e a questão da fé é uma coisa íntima de cada um de nós”.

Ele indicou a impossibilidade de todos os tipos de crença estarem representados no sistema de ensino religioso. Segundo ele, religiões minoritárias, como os cultos de origem afro, não teriam estrutura para estarem presentes em todos os pontos do país.

Além disso, as pessoas que não têm religião estariam completamente excluídas desse tipo de ensino, como destacou o presidente da Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea), Daniel Sottomaior. “Mesmo que você conseguisse dar um ensino religioso equilibradamente entre todos os credos você ia deixar em desvantagem os arreligiosos e os ateus.”

Sottomaior vê com preocupação a possibilidade de a fé se confundir com os conhecimentos transmitidos pelo sistema educacional.

“Como o aluno pode distinguir entre a confiabilidade dos conteúdos das aulas de geografia e matemática e o conteúdo das aulas de religião?”

Para o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Geraldo Lyrio Rocha, a religião é parte importante no processo educacional. “Uma educação integral envolve também o aspecto da dimensão religiosa ao lado das outras dimensões da vida humana”, afirmou.

Daniel Mello:

Repórter da Agência Brasil

"Decepcionada", brasileira diz que Miss Universo preferiu "rosto comercial"

A Miss Brasil Larissa Costa

Miss Brasil não conseguiu chegar às finais do concurso internacional.

Larissa Costa diz acreditar que falta de inglês não foi um problema.

No dia seguinte à coroação da venezuelana Stefanía Fernández como Miss Universo, a Miss Brasil Larissa Costa se diz “decepcionada”, mas confiante em seu trabalho.

“Fiquei decepcionada porque estava bem na votação do público, os críticos me avaliaram bem e eu sentia o apoio das pessoas nos corredores”, contou Larissa ao G1.

Veja fotos das candidatas na final

“A minha opinião é que o Donald Trump [empresário americano que organiza o concurso] é um investidor e ele deve ter procurado rostos mais comerciais”, disse a miss. “Acho que ele queria meninas com mais cara de modelo, não de miss”, afirmou. A jovem, no entanto, ressalta que a vencedora, e as competidoras que chegaram à final, mereciam a coroa . “Elas mereceram, todas elas. Elas eram todas muito bonitas”.

VEJAM AQUI O CONCEITO QUE A MAIORIA DA POPULAÇÃO BRASILEIRA TEM A RESPEITO DA EMISSORA DO EDIR MACEDO: A RECORD.

[Rejane] [Brasilia DF brasil] Eu achei simplesmente ridicula essa vitória, já foi um vexame ele ter ido pra final com a fedorenta! Esse final foi armado!24/08/2009 13:33

[Julyanne] [Araguaiína-TO Brasil] Sinceramente, fiquei decpcionada, claro que o resultado foi manipulado, todas as pessoas que conheço pensam da mesma forma. Fiquei indignada com a emissora que se dizia diferente do concorrente, mas fez a mesmíssima coisa. Esse mané não merecia ganhar nada, mas enfim, no final tudo não passou de uma tremenda armação, pior pra emissora, ficou muito mal vista, pior também pro fanfarrão DADO...24/08/2009 13:38

[Luana Puchinques] [Americana/SP] Que vergonha essa vitoria de quem não precisa e nao merece. No dia nem assiti, pois ja sabia que esse Dado Donabella ia vencer ¬¬! Pura manipulação da Tv Record.Pensei que o povo que desedisse quem merece o premio... Quem tinha que ganhar e ganharia se não fosse marmelada, seria com toda certeza o Carlinhos!!! Pra mim Carlinhos Campeão! 24/08/2009 13:38

[pamela] [valença,rj,] isso e uma vergonha pq o dado era muito falso,dava uma de coitadinho e arrumava briga com todo mundo,quem era pra ter ganho era o CARLINHOS..tudo marmelada!!!!24/08/2009 13:38

[elisangela] [sap paulo] eu achei a maior sem vergonhice e picaretagem por parte da record, ou o povo q votou é muito burro mesmo, dar um milhao pra um cara encrenqueiro, chato, mas fazer o que, o povo escolheu, por isso q o brasil nao vai pra frente24/08/2009 13:38

[Orlando Souza] [Santos-SP.] Achei muito injusto o ator Dado Dolabella ter vencido o programa “A Fazenda”, tenho certeza que o resultado foi manipulado pela Record para popularizar Dado Dolabella como um grande atrativo de uma nova novela, programa etc...que a emissora venha produzir em breve. Jamais o Brasil iria deixar um cara arrogante, mimado, falso, idiota e um pessimo ator ganhar o programa “A Fazenda”.24/08/2009 13:38

[Rubens ] [Piracicaba-sP.-Brasil] Maior enganação ao publico, todo mundo já sabia que o pior, o breguento, o vagabundo, o enganhador, seria o vencedor. Chega de tanta enganação, Carlinhos é o campeão, o Brasl todo sabe disso. Somos todos idiotas de assister um proglama com cartas marcadas.24/08/2009 13:38

[Elis Regina] [São Paulo - Brasil] Achei uma fraucatua, quem deveria ter ganhado era o Carlinho ou até memos a Dani Carlos. Foi alto a porcentagem de votos que Dado ganhou, o que não mostrava nas enquetes da Internet. Foi roubado, isso não vale24/08/2009 13:38

[claudia] [são paulo] Eu já tinha falado para minha empregada”não gaste com ligação porque o dado vai ganhar”. Vc acha que um cara “estrela global” iria ficar tanto tempo confinado, se não soubesse que levaria um milhão? 24/08/2009 13:37

[Angela] [são paulo] ACHEI A CARA DO BRASIL, pura Marmelada....eu já cantava essa bola desde o inicio do programa para todos.....ÍSSO É BRASILLLLLLLLLLLLL.24/08/2009 13:37

[cleber] [jacarezinho pr] Olha minha cara amiga tinha RP-sp todos tem defeitos, mais bater em mulher, fazer abusos de drogas, pelo menos eu nao tenho, foi pura marmelada sim, o unico reality que as enquetes do proprio reality nao funfa.24/08/2009 13:37

[MONICA FERNANDES] [ourinhos, sp, brasil] o q adianta escrever , pois não deixam registrados o q realmente pensamos24/08/2009 13:33

[Vic] [Fortaleza-CE] ABSURDO!24/08/2009 13:33

[JOSELITO FERNANDO RIBEIRO DOS SANTOS] [OSASCO-SÃO PAULO] NA MINHA HUMILDE OPINIÃO, ACHO QUE A RECORD VAI LANÇA-LO COMO PROTAGONISTA DE ALGUMA NOVELA, E POR ISSO NÃO DEIXOU NENHUM DOS PARTICIPANTES TEREM CHANCE, OU SEJA MANIPULOU O RESULTADO.24/08/2009 13:33

[ana] [sp,brasil] Já não basta a roubalheira na politica e agora nos programas de tv também?Tudo arranjado e se dá credibilidade aos falsos .Pior mesmo é uma emissora, que se diz religiosa, patrocinar esta imoralidade.A inversão de valores imperando neste país.Assim como na politica, quanto mais se engana o povo maior é o sucesso.Vergonha Brasil. 24/08/2009 13:33

[wender] [b ep mg] MARMELADO, 50% para produção da Record,50%para o dado.............24/08/2009 13:33

[Maxw] [Aracaju-Se] mostra a ignorancia da maioria do povo brasileiro, pois uma pessoa q espanca mulheres ganhar 1 milhão de reais com 83% dos votos, realmente...não tem oq dizer.. mas quem votou num cara deve ser igual ao próprio.24/08/2009 13:33

[geisa] [marilia] O que eu acho pode não ter valor para a emissora RECOPIA o que ela quer é ibope.Foi armação....ele era para ter saido desde o começo esta Dani Carlos tbem.....quem era para estar foi embora....faça um ´programa autentico diferente o povo ja está cansado de de tanta imitação....24/08/2009 13:32

[Andressa] [São Paulo] uma merda... quem disse que aquele chato iria ganhar... isso ta comprado... aff. que programa lixooo.24/08/2009 13:32

[Ediran Marques Coutinho] [Manoel Ribas-Pr.] Este resultado foi a maior marmelada já existente na televisão brasileira, são por resultados arranjados como este que a tv brasileira esta completamente desacreditada.24/08/2009 13:32

[Ortiz Jr] [Sçao Paulo - Sp] Não assisti nem assisto estes tipos de programas. Mas foi um PALHAÇADA / MARMELADA!..24/08/2009 13:32

[francisco] [amparo sp] Umas das regras do programa, era que não podia ter agressão física, o que foi aquilo que o dado fez com o miro, foi carinho, fala serio Record parte pra outra, que este programa foi para o espaço.24/08/2009 13:32

[Andre Lombardi Valenti] [Sao Paulo, SP Brasil] RIDICULO.. Como pode em mais de 12 sites de ibope o Carlinhos ganhava disparadamente e na fazenda ele perdeu isso impossível... São coisas como essa que faz com que os brasileiros param de acreditarem em tudo que vê24/08/2009 13:32

[nivia gois] [sao paulo] RIDÍCULO!!!24/08/2009 13:32

[Ronaldo] [Sumaré Brasil] Um resultado que vem da REDE RECORD,fala sério pura armação, igual as fontes de Renda do Dono da TV, isso ja estava acertado antes dele entrar no jogo, pois ele deu o que o povo quer ver, POLÊMICAS E BRIGAS e em troca o PRÊMIO, quem mais perdeu ,foramos outros que entraram e forma enganados pela rede record, e pelo Dono que já é acostumado a ENGANAR PESSOAS NAS SUAS IGREJAS ELETRÔNICAS. 24/08/2009 13:32

[rafael] [limeira,sp,brasil] uma palhaçada com na historia da igreja..24/08/2009 13:32

[telespectador] [são paulo - sp] lamentável...me dói menos pensar que foi marmelada...pior é acreditar que o publico que preferio um play boy sem valores morais era mais merecedor do que muitos que sairam da Fazenda. O retardado do THEO mercia mais dó que este zé mané!!!!24/08/2009 13:28

[Ana Paula] [Campinas, SP Brasil] Achei uma palhaçada, pura marmelada, como uma pessoa sem carater pode vencer um realit show!!! Por isso que nem perdi meu tempo para assitir a esse programa, pq para mim foi uma porcaria!!!24/08/2009 13:31

[Alexandre] [Rio de Janeiro.] Bom... tenho que dizer que foi realmente muito decepcionante. Essa é a prova de que nosso povo não sabe nem escolher um participante de programa, quem dirá político. Mas enfim, o esquema daquela mãezinha dele cafona e que queria aparecer mais do que todos, de contratar a empresa de telemarketing pra votar incessantemente no filho deu certo... A porcentagem então... foi surreal... niguém gosta do cara e ele bate aquela porcentagem? affff é chamar o povo de idiota!... A Danni é 1.000% mais talentosa que ele, compos musicas lindas e ele... só aquele troço e que tratou como obra prima!!hauhuahahuauha... Bom... quanto a noiva, ela ainda gosta dele até a hora que ganhar umas bifas e se ele já era altamente indisciplinado... agora então!! Agora... que a torcida do Britto Jr. era pra ele isso ficou evidente!!hehehe Quanto a quem falou que tem que saber perder, não se trata disso, até pq nem eu e nem vc ganhamos ou pedemos alguma coisa... é se sentir enganado... enfim.. que venha o novo!24/08/2009 13:29

[Henrique] [São Paulo-SP/Brasil] Mais uma vez ficou comprovado que o brasileiro não sabe votar e escolher representantes e nem quem mereça ganhar R$ 1.000,00, dessa forma vimos como os parâmetros de caráter, honestidade, são nivelados por baixo em nosso país, escolhem representantes corruptos, analfabetos, mal intensionados e em um reality show, escolhem um cara briguento, falso, metido a Bad Boy para ser um milionário. Esse é o país que vivemos.24/08/2009 13:31

[Paulo] [Rio de Janeiro] Realmente, podemos observar a qualidade do público brasileiro, onde ficam discutindo o resultado de Reality Shows, e com isso as emissoras de TVs continuam ganhando as nossas custas. Precisamos urgentemente investir em cultura para a população brasileira!!!24/08/2009 13:31

[Aparecida] [Sorocaba - SP] Foi o pior really show que já vi...A vitória do Dado só veio convirmar isso. O caro é o maior falso, dissimulado. Já era para ele ter saido a muito tempo. O verdadeiro campeão, infelizmente saiu a semana passada (Carlinhos), ele sim é uma pessoa transparente. Nota 0 para a Record.24/08/2009 13:31

[Gilsete] [São Paulo, Brasil] Acredito que foi tudo combinado, assim como o par romântico de Babi e Miro; Qualquer pessoa poderia ter ganho com exceção de Theo e Dado. Dado o queridinho da Record...24/08/2009 13:31

[(dri)] [INTERIOR SP] ACHAVA QUE A RECORD ERA UMA EMISSORA SERIA! ESTOU CHOCADA! TANTAS PESSOAS PODERIAM TER GANHO, ??????shame24/08/2009 13:31

[erika santos] [são paulo] A maior palhaçada! Como pode um cara desses ganhar? Tava na cara faz tempo, que seria ele o cara foi tantas vezes pra roça e voltou, isso quer dizer que todos os participantes estavam errados, e ele o certinho! Que é isso, um cara chato, fofoqueiro, folgado, metido a sabe tudo... Quem deveria ter ganhado era o carlinhos

Concurso precisa ser valorizado


Alexandre Garcia:
“É a forma de valorizar carreiras públicas, que precisam cada vez mais estar a serviço do estado e não de governos”.

Desperdício dos dois lados: do órgão público que promoveu o concurso e do candidato que investiu tempo, estudo e dinheiro para se preparar. Há uma outra perda: a do prestígio do concurso, que deveria ser o caminho para o serviço público. Como o Senado demonstrou, muitas vezes basta ter algum parentesco para conseguir a nomeação sem concurso e ainda por ato secreto. Isso lembra também que o concurso não pode ter vícios. Não pode ser caminho para entrar em tribunal como contínuo e depois ganhar cargos para o qual o protegido não se submeteu a concurso, como já aconteceu várias vezes. O concurso é o melhor caminho e, por isso, precisa ser valorizado. Seu resultado precisa ter consequências. Essa também é a forma de valorizar carreiras públicas, que precisam cada vez mais estar a serviço do Estado e não de governos. O episódio Lina Vieira - seja qual for o seu desfecho - chamou a atenção para isso. Funções de Estado não podem estar à mercê de interesses pessoais de governantes mas a serviço da lei. O Ministério Público já conseguiu isso; o Banco Central conseguiu apenas a prática disso; as agências ainda estão aprendendo; polícia e fiscais também precisam servir à lei, às políticas de Estado, para não correrem o risco de serem usados como instrumentos de pressão ou de alívio a serviço do interesse de governantes, que são transitórios.

COMENTÁRIO:
"Desperdício dos dois lados". Alexandre Garcia um dos âncoras do Bom Dia Brasil da TV Globo, nesta segunda feira, dia 24 de agosto de 2009, escorregou feio em seu comentário sobre o tema "Valorização do serviço público", onde o mesmo usa o termo DESPERDÍCIO ao dizer que "Do órgão público que promoveu o concurso e do candidato que investiu tempo, estudo e dinheiro para se preparar".
O governo não tem desperdícios com concursos públicos, muito pelo contrário, tanto a nível municipal, estadual como federal, ambos tem muito lucro, visto que as centenas e milhares de inscrições para concorrerem a algumas vagas "disponíveis", pagam taxas muito caras para prestarem tais concursos sem as devidas garantias de serem convocados caso sejam aprovados. O certo seria a extinção dessas exorbitantes taxas, porque os impostos que já pagamos no dia a dia embutidos em qualquer produto que compramos, cobre qualquer despesa referentes a esses famigerados concursos públicos promovidos pelos governos das tres esferas da federação brasileira. Os candidatos são os mais prejudicados, penalizados e explorados, porque além do desperdício de tempo perdido na sua preparação para um objetivo específico, é quem fica com o ônus maior, porque o dinheiro que investem para participarem desse "jogo de loteria" com nome de CONCURSO PÚBLICO muito lucrativo para os governos, não lhes retornam em forma de benefício algum. Sem contar que a maioria das pessoas que se inscrevem para essas verdadeiras "arapucas" e "fábricas de dinheiro", são desempregadas e que para pagarem as inscrições, contam com a solidariedade de amigos e familiares. Seria muito bom que o desmoralizado e inoperante Congresso Nacional Brasileiro aprovasse uma Lei extinguindo qualquer tipo de taxa para concursos públicos em qualquer esfera do serviço público.

Vlater Desiderio Barreto - Escritor/jornalista

domingo, agosto 23, 2009

Clínica de Roger Abdelmassih faria pesquisas escandalosas

O médico Roger estuprador

Fantástico mostra novos depoimentos sobre o caso do médico Roger Abdelmassih, acusado de mais de 50 estupros contra pacientes em São Paulo.

O Fantástico mostra novos depoimentos sobre o caso do médico Roger Abdelmassih, acusado de mais de 50 estupros contra pacientes em São Paulo. O Ministério Público apura também denúncias de manipulações genéticas indevidas dentro da clínica de reprodução humana. Os nossos repórteres falaram com exclusividade com um ex-coloborador do médico. E ele afirma que havia pesquisas escandalosas nos laboratórios de Roger Abdelmassih.

Uma clínica que vende o sonho da maternidade. Um dos médicos mais famosos do Brasil em reprodução assistida. O engenheiro químico Paulo Henrique Ferraz Bastos conta que prestou serviços para Roger Abdelmassih por mais de dois anos. Segundo ele, a empresa da qual era sócio fazia pesquisas genéticas com animais, mas passou a trabalhar também com fertilidade humana quando foi contratada pelo médico. “Me incomodava bastante o fato de uma parte das pesquisas da minha empresa veterinária terem sido deslocada para uma clinica de humanos. Quer dizer, culturas de células animais sendo trabalhadas em uma clinica humana”, diz ele. Esta é a primeira entrevista do ex-colaborador de Roger Abdelmassih. Ele diz que tinha acesso aos laboratórios da clínica. “Existem pesquisas na clinica do doutor Roger que são escandalosas. Por isso, eu fui contra e briguei com eles, por uma questão ética”, afirma Paulo Henrique Ferraz. Filho de libaneses, Roger Abdelmassih tem 65 anos e uma longa carreira. Formou-se em Medicina em 1968, na primeira turma da respeitada Universidade Estadual de Campinas. Ele começou a carreira em um hospital da cidade. E é daquela época, o inicio dos anos 70, o primeiro relato de abuso sexual de uma paciente, em uma cama do hospital. “Ele tocava e falava: ‘É a sua virgindade que eu quero’. Ele perguntou quanto eu queria por ela. Ele tirou o membro dele e passou no meu corpo. Aí, eu fugi do hospital”, conta uma vítima. A Justiça mandou prender o médico na segunda-feira passada. Pesam contra ele 56 acusações de estupro. "Foi uma luta corporal e ele acabou conseguindo fazer a penetração duas vezes”, diz uma vítima, que não quer se identificar. A dona de casa Helena Leardini também denuncia o médico: “Ele veio com todo o corpo dele pra cima de mim e quando ele me beijou nos lábios eu cerrei automaticamente a boca. Era a única coisa que eu podia fazer naquele momento”. E ainda há mais investigações a serem feitas. É o que pensa o Ministério Público, depois de ouvir outros tipos de relatos sobre o doutor Roger. “Eu perguntei para ele se era possível escolher menina. Ele me falou que sim. Ele simplesmente falou que isso teria um ‘custozinho’ a mais e disse que ia fazer por US$ 1,2 mil”, conta a dona de casa. Segundo o Conselho Federal de Medicina, as técnicas de reprodução assistida não devem ser aplicadas para selecionar o sexo do bebê, a chamada sexagem, exceto pra evitar doenças na criança. Outra ex-paciente faz outra denúncia grave. Diz ter recebido do médico uma proposta depois de uma tentativa fracassada de engravidar. "Ele pra pegar um óvulo doado. Disse ainda que eu não precisava contar para o meu marido. Ele falou que iria fotografar uma pessoa e me mostrar, para pegar um DNA muito próximo. Ele disse ‘A criança nasce e nem você vai acreditar’", conta. O processo contra ele menciona mais uma prática polêmica, a transferência de citoplasma. Funciona assim: pega-se um óvulo fértil, geralmente de uma mulher mais jovem, e se retira o citoplasma, uma espécie de gel que fica dentro da célula e tem varias estruturas que fazem o óvulo funcionar. O citoplasma é injetado no óvulo da paciente com dificuldade pra engravidar. “Palavras dele: ‘Você turbina o seu óvulo com parte do citoplasma do óvulo de uma mulher mais nova. A chance de nascer com DNA de outra mulher seria mínima”, denuncia uma paciente. “Isso vai ocasionar que os indivíduos provenientes dessa tecnologia são potencialmente de três pais genéticos”, ressalta o medico Jorge Hallak. A técnica foi proibida nos Estados Unidos em 2001. No Brasil, a resolução do Conselho Federal de Medicina, de 1992, não menciona a transferência de citoplasma, pois ela só seria desenvolvida quatro anos depois. O texto estabelece que deve haver sigilo sobre a identidade dos doadores de óvulos, espermatozóides e pré-embriões e que é sempre necessária a aprovação do cônjuge ou companheiro para um tratamento de reprodução assistida. As denúncias contra Roger Abdelmassih fizeram o Ministério Público abrir um segundo inquérito. Depois de investigar os crimes sexuais que o medico teria cometido, os promotores agora querem saber como era o trabalho dele, as técnicas usadas. A suspeita é a de que existia um banco clandestino de óvulos e espermatozóides dentro da clinica. De acordo com o depoimento de uma paciente à polícia, o doutor Roger chegou a propor embriões compatíveis com as suas características físicas da paciente e do marido, do mesmo tipo sanguíneo. A mulher perguntou de quem seria o embrião. E ele respondeu, já impaciente, que isso era com ele, já que era a parte medica. Ele disse que todas as pessoas na clinica eram de alto nível e não seria nenhum embrião de nenhuma “neguinha de rua" “Tudo isso é possível. Seria possível fazer realmente na clinica do medico. A tecnologia existe e está à disposição. Do meu ponto de vista, é altamente antiético, mas é possível”, comenta Paulo Henrique Ferraz Bastos. O engenheiro que trabalhou para o medico alega que mudou de cidade, porque estaria sendo ameaçado: “Recebi e-mails que falavam que aqui no Brasil é muito fácil ser assassinado”. Depois de a Justiça negar dois pedidos de liberdade, a defesa agora vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal. “Todos os procedimentos feitos com as pacientes eram com a assinatura das partes envolvidas. A defesa vai demonstrar de maneira clara, taxativa e transparente a inocência do doutor Roger”, afirma José Luís de Oliveira Lima, advogado de Roger Abdelmassih. “Para nós, mulheres, o importante é ele ir a julgamento e responder pelo que ele fez e não atender mais como medico”, Espera Helena.

'Eu não sou foragido, eu abandonei’, diz Hosmany Ramos sobre prisão no Brasil

O bandido Hosmany

Cirurgião plástico falou ao 'Fantástico' de presídio na Islândia.

No fim de 2008, após um indulto de Natal, ele conseguiu fugir do país.
Do G1, com informações do Fantástico

Um foragido de 64 anos dá "um baile" na Policia Federal brasileira e só é encontrado mais de oito meses depois, do outro lado do mundo, na Islândia, uma ilha próxima ao polo norte. A reportagem do “Fantástico” conversou nesse sábado (22) com Hosmany Ramos, o ex-cirurgião plástico que trocou uma carreira de sucesso por uma vida de crimes e fugas mirabolantes.

Visite o site do Fantástico

Conheça a prisão onde está Hosmany Ramos na Islândia

A ligação foi feita para um presídio na Islândia. No dia 13 de agosto, ele foi preso naquele país ao tentar embarcar para o Canadá com o passaporte do irmão, segundo a Polícia Federal. Na quarta (19), o governo brasileiro pediu a extradição de Hosmany Ramos.

O médico foi condenado no Brasil em 1981 a 43 anos de prisão por homicídio, sequestro e roubo. Fez diversas tentativas de fuga e, no fim do ano passado, após um indulto de Natal, conseguiu fugir do país.
saiba mais
Preso na Islândia, Hosmany Ramos aposta que não será mandado de volta
Em site, médico foragido Hosmany Ramos se diz candidato à Presidência
Governo brasileiro envia à Islândia pedido de extradição de Hosmany Ramos
“Eu não sou foragido, eu abandonei. É diferente uma coisa da outra. Eu abandonei por livre e espontânea vontade”, afirma.
“Eu saí do Brasil, fui até a Guiana Francesa e fui até Paris. Desci em Orly, fiquei lá em Paris uns dias e depois eu visitei vários lugares e fui até Oslo. De Oslo, eu peguei um avião e vim pra cá”, diz.
'É um hotel quatro estrelas'
Cumprindo um mês de sentença em uma cela individual, o ex-cirurgião elogia a cadeia em que está atualmente na Islândia: “a comida é de primeira. Você tem máquina de lavar roupa, secadora. Você tem televisão que o próprio governo dá. Eu tenho computador na minha cela para que eu posso acessar. São duas horas de internet por dia. Então, é outro mundo”, detalha. “É um hotel quatro estrelas, um presídio digno, onde o preso pode ser recuperado, coisa que as autoridades brasileiras tinham que vir aqui para ver, com os próprios olhos, copiar o modelo e aplicar no Brasil”, ressalta. O secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Filho, rebate as críticas de Ramos. “Avaliar se a cadeia é boa, se é ruim, se é melhor, só ele que já frequentou muito tempo de cadeia pode fazer”, diz.

Extradição
Na quarta-feira passada, a Justiça brasileira encaminhou ao governo da Islândia um pedido de extradição de Hosmany, condenado aqui a 47 anos de prisão por quatro assaltos, um sequestro e pelo assassinato do piloto Joel Avon, um de seus comparsas.

“Nossa documentação já chegou lá, já houve uma sinalização do governo da Islândia para que nós mandássemos documentos que podem ensejar efetivamente o processo de extradição”, afirma Romeu Tuma Filho.
A prisão de Hosmany Ramos em 1981 foi um choque para a alta sociedade carioca. Nos anos 70, o então cirurgião plástico que chegou a trabalhar com Ivo Pitanguy, prometia seguir uma carreira de sucesso. Mas Hosmany saiu das colunas sociais e ficou de vez no noticiário policial em suas tentativas de fuga. "Ele serrou as grades da janela e tentou descer dez metros até o pátio interno, usando uma corda de pano, mas a corda arrebentou e ele caiu", relata uma reportagem da época. Do muro, Hosmany pulou para a cabine de força, dominou o eletricista com um revólver de brinquedo amarrou o homem e desligou todo o sistema de energia elétrica da penitenciária", relata uma reportagem na época. Foram inúmeras tentativas, e quatro fugas. A última aconteceu em dezembro do ano passado. Hosmany cumpria pena em regime semiaberto, dormia em uma penitenciaria no interior de São Paulo, quando recebeu um indulto de natal e não voltou m.ais Se a Justiça brasileira não encaminhar ao governo da Islândia os documentos necessários para o processo de extradição, Hosmany será solto no próximo dia 11 de setembro. “É obvio que o prazo para trazê-lo não existe. Depois de um processo iniciado de extradição, se for deferido, eles devem estabelecer um prazo para que o Brasil possa efetivamente ir lá e repatriar o indivíduo”, diz Romeu Tuma Filho.
Planos
Na cela, Hosmany prepara sua biografia, que pretende terminar até o ano que vem. Dos dez livros que lançou em quase 27 anos atrás das grades, dois foram publicados pela editora francesa Gallimard, uma das maiores do mundo. “Eu gostaria de ficar aqui. Esse pais é maravilhoso, tem uma energia fora de serie. É um lugar ideal pra um escritor viver, é o que eu quero nesse meu final de vida”, afirma.

sábado, agosto 22, 2009

Cresce apoio à união estável entre homossexuais no STF


A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) tem sinalizado ser a favor de reconhecer a possibilidade de união estável entre homossexuais e todos os direitos dela decorrentes, como a concessão de pensão e a permissão para adotar crianças. Há ministros que defendem que o STF deveria deixar claro que esses casais que convivem de forma contínua e duradoura formam uma família.
Atualmente, há falta de sintonia nas decisões dos tribunais estaduais e de juízes dos 26 Estados e do Distrito Federal - as sentenças são totalmente diferentes a respeito do tema. Por causa dessa disparidade, ministros do STF pensam em unificar o assunto editando uma súmula que deveria ser seguida por todo o Poder Judiciário.
A constatação de que não há uma posição clara da Justiça sobre o tema aparece em pesquisa ampla realizada nos tribunais de Justiça pelo relator de uma das ações no STF, o ministro Carlos Ayres Britto.
A reportagem do Estado teve acesso aos dados que integram a ação movida no Supremo pelo governo do Rio com o objetivo de obter do STF a declaração de que os mesmos direitos dados aos casais heterossexuais devem ser concedidos aos homossexuais em relação ao Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado. Ayres Britto pretende julgar a ação neste semestre. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIO:

Que o STF tenha seu direito de decidir sobre a questão da união homossexual entre indivíduos do mesmo sexo não discutimos, mas reconhecer a união estável de duas pessoas do mesmo sexo como "CASAL", é um grande absurdo! Porque em qualquer parte do mundo se sabe que o termo CASAL só deve ser usado entre espécies de sexo opostos, o termo que deve ser utilizado em união entre espécies do mesmo sexo é DUPLA. Além de tais autoridades contrariarem os critérios estabelecidos por Deus para a constituição da "instituição família" que só pode ser através da UNIÃO entre pessoas de sexo opostos, tentam ainda alterar as condições da formação da "célula máter" da sociedade que é a FAMÍLIA. Na Bíblia Sagrada, Deus determina o critério de como se formar uma família. "Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne". Gênesis capítulo 2, verso 24. Se Deus aprovasse a união entre pessoas do mesmo sexo, o texto transcrito acima seria da seguinte forma: "por isso, deixa a PESSOA pai e mãe e se une à outra PESSOA, tornando-se as duas PESSOAS uma só carne". Além do mais, a perpetuação da raça humana só é possível através da conjução carnal entre MACHO e FÊMEA. Adoção de crianças por DUPLAS de HOMOSSEXUAIS, jamais substituirá o critério da constituição de famílias dentro dos padrões estabelecidos por Deus. Por isso eu VALTER DESIDERIO BARRETO não respeito nenhuma lei humana que contrarie as Leis do nosso Deus Todo Poderoso. Se essa minha atitude perante as "leis dos homens" é considerada DISCRIMINAÇÃO aos homossexuais e por isso estou passivo de ser penalizado pelos tribunais de justiça dos homens aqui na terra, estarei disposto a pagar o preço dessa minha suposta "rebeldia" as autoridades humanas, porém, deixar de observar e proclamar ao mundo as VERDADES DO EVANGELHO que condenam as práticas homossexuais, NUNCA DEIXAREI enquanto eu viver. Leiam em Primeiro Coríntios, capitulo 6, versos 9 e 10, e vejam a lista daqueles que não herdarão o reino do céu se não se CONVERTEREM ao Senhor e Salvador Jesus Cristo e mudarem de comportamento e atitudes. Concluo este meu comentário sugerindo que nossas autoridades e o povo em geral, leiam no livro de Romanos, Capítulo Primeiro, versos 23 a 32. Destaco aqui o verso 27: "SEMELHANTEMENTE, OS HOMENS TAMBÉM, DEIXANDO O CONTATO NATURAL DA MULHER (RELAÇÃO SEXUAL), SE INFLAMARAM MUTUAMENTE EM SUA SENSUALIDADE, COMETENDO TORPEZA, HOMENS COM HOMENS (HOMOSSEXUALISMO), E RECEBENDO, EM SI MESMOS, A MERECIDA PUNIÇÃO DO SEU ERRO". Coloquem Deus nos bancos dos réus! Porque é Ele quem ABOMINA a prática HOMOSSEXUAL desde o Velho Testamento. "COM HOMEM NÃO TE DEITARÁS, COMO SE FOSSE MULHER, É ABOMINAÇÃO". Levítico, Capítulo 18, verso 22; "SE TAMBÉM UM HOMEM SE DEITAR COM OUTRO HOMEM (MANTER RELAÇÃO SEXUAL), COMO SE FOSSE MULHER, AMBOS PRATICARAM COUSAS ABOMINÁVEL; SERÃO MORTOS; O SEU SANGUE CAIRÁ SOBRE ELES". Levítico, Capítulo 20, verso 13. Vejam como a Lei no Velho Testamento eram rígidas! Examinem as Escrituras Sagradas. Nela encontramos a VERDADE ABSOLUTA, fora dela não existe verdade. Alerto ao verdadeiros seguidores de Jesus Cristo que essa atitude dos representantes do STF é a "senha" para a futura proibição da pregação da Palavra de Deus no Brasil. Porque eles aprovando a lei de união estável para homossexuais, irão proibir qualquer pessoa que tem conhecimento que tal prática contraria os princípios de Deus, a falar neste assunto em qualquer reunião pública, alegando que está se praticando o "crime" de Homofobia, que segundo os "representantes" da Lei é uma forma de DISCRMINAÇÃO e PRECONCEITO contra pessoas que vivem dessa prática pecaminosa. Inclusive já tramita uma Lei no Congresso Nacional, proibindo que professores façam comentários em sala de aulas sobre opção sexual. Agora vai a pergunta. Se não vamos poder falar sobre opção sexual, como iremos poder orientar os nossos alunos sobre constituição de família, já que essa "instituição sagrada" só pode ser constituída através da relação sexual normal entre HOMEM e MULHER?

Valter Desiderio Barreto - Escritor/Jornalista/Teólogo.

Roberto Carlos abre temporada de shows em São Paulo


Roberto Carlos emociona público em show no Maracanã
Especial: 50 anos de Roberto Carlos

Para variar, Roberto Carlos emocionou mais uma vez com seu carisma e repertório mais que conhecido diversos corações.
Na noite de sexta-feira (21), o Rei subiu ao palco do Ginásio do Ibirapuera e aqueceu a noite fria da capital paulista.
Só para aumentar a ansiedade do público, a apresentação, a primeira da série que segue até 3 de setembro em São Paulo, começou com a orquestra do mestre tocando clássicos como "É Preciso Saber Viver" e "Como é Grande o Meu Amor Por Você".
Só depois da boca já cheia d'água, Roberto entrou no palco entoando "Emoções", levando todo ao delírio, como já é de praxe.
Artistas como Nicete Bruno, Mariana Kupfer, e ainda Dudu Braga, filho do astro da noite, e o estilista e empresário Tufi Duek estavam por lá.
A apresentação de sexta abriu a série de shows em comemoração aos seus 50 anos de carreira na capital paulista.
Para quem está interessado, ingressos até o dia 3 estão à venda pelo site do Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br) ou pelo telefone 4003-1212.
A bilheteria do Ginásio do Ibirapuera também é ponto de venda de entradas.

Advogado, uma profissão nada fácil

Advogados Nicolau Murad
e sua esposa Thatyana

Advogada Betânia Maria Amorim

Uma tarefa nada simples. Defender pessoas na justiça.

No dia 11 de agosto foi comemorado no Brasil o Dia do Advogado. Em Parauapebas, não foi diferente. Também teve uma homenagem feita pela Ordem dos Advogados do Brasil, subseção de Parauapebas, tendo na atual presidência Jakson de Souza.
Para conhecer um pouco mais dessa profissão, a reportagem entrevistou um dos advogados do município para falar melhor sobre essa difícil tarefa.

Betânia Maria Amorim Viveiros, formada em Direito e instalada na cidade há mais de seis anos, conta um pouco dessa carreira de defender as pessoas.
Para Betânia Maria, essa é uma profissão que tem que ter gosto e garra. Ela desde criança escolheu ser uma advogada. Mesmo com muitas dificuldades que teve que enfrentar na vida, conseguiu superar e alcançar seu grande objetivo.
Hoje ela é respeitada e muito conhecida pelas suas belas atuações dentro de Parauapebas e região. Uma conquista alcançada por sua vontade e determinação.
Muitas pessoas que vêem sua vida estável não sabem que a advogada vem de uma família simples e humilde do interior do Piauí. Mesmo depois de formada, às vezes tem que abrir mão da vida pessoal para se dedicar quase inteiramente à profissão, recebendo ligações até de madrugada para defender um cliente, tudo para fazer um ótimo trabalho e honrar sua profissão.
Betânia revela que nenhuma causa é fácil de resolver, mas uma das suas grandes atuações desde que começou a exercer como advogada no município foi seu primeiro caso. Um dos maiores desafios encarados em sua carreira foi resolver um caso onde um homem matou a ex-mulher estrangulada.
Mesmo sendo muito difícil, a advogada defendeu o caso com garra e conseguiu convencer que o homicida merecia uma chance.
O Ministério Público tinha denunciado aquela pessoa por homicídio doloso e a advogada conseguiu convencer para homicídio culposo. Foi entendido que o crime não tinha acontecido por querer, e sim porque a situação levou a acontecer, ou seja, não teve a intenção de matar.
No julgamento, então, foi decidido que ele teria que cumprir um ano de prisão e como já tinha cumprido 11 meses e 29 dias na cadeia esperando julgamento, logo foi liberado.
Esse foi um caso muito difícil de ser resolvido até por um advogado que já tinha bastante experiência, ainda mais para ela que era recém-formada, mas encarou o caso com garra e conseguiu ganhar na justiça.
O fato de ser mulher nunca interferiu em nenhuma situação. Apesar de muitos acharem que mulher advogada é fraca, Betânia mostra que ela e muitas mulheres advogadas da cidade são tão competentes como os homens, às vezes até mais. Em Parauapebas existem mais mulheres advogadas do que homens.
Betânia defende causa civil, mas principalmente atua na área criminalista. Ela considera cada caso um novo desafio, seja do mais simples ao mais difícil.Depois de passar 5 anos estudando Direito na faculdade, hoje ela vem recebendo os frutos de todo sacrifício encarado anos atrás. O Dia do Advogado ela considera muito importante para todos os advogados, principalmente da cidade de Parauapebas, e deixa a seguinte mensagem para seus colegas de profissão: “Tenham bastante garra, coragem e optem sempre pela honestidade”. (Deicharles Damascena)
Nossa homenagem aos competentes e honestos advogados do Brasil.
Postado por Valter Desiderio Barreto.

Estudantes do sudeste do Pará aprendem a arte da ilustração botânica

Estudantes do 8º e 9º anos de escolas públicas de Parauapebas e Canaã dos Carajás estão tendo contato com a arte da ilustração botânica. Começou hoje e vai até domingo, dia 23, das oficinas do Projeto Jovens Ilustradores em que os participantes, sob orientação de ilustradores profissionais, realizam desenhos técnicos baseados em plantas da região. Nos dias 26, 27 e 28 será a vez de Paragominas participar do projeto. Já em Ourilândia do Norte, as oficinas acontecem no período de 27 a 29 deste mês.
O projeto é uma iniciativa da Vale que envolve estudantes e professores da rede pública em 17 cidades brasileiras onde a empresa atua. Serão escolhidos seis jovens e um professor que farão as ilustrações das espécies selecionadas para a segunda edição do prêmio Brasileiro Imortal - no qual uma personalidade escolhida por eleição na internet é eternizada ao batizar o nome de uma planta descoberta na Reserva Natural Vale, em Linhares (ES), Sítio do Patrimônio Natural da Unesco. Os trabalhos serão estampados em selo comemorativo dos Correios.
De acordo com Paulo Bueno, gerente de Meio Ambiente da Vale, a oficina é uma oportunidade para os jovens desenvolverem suas aptidões artísticas e aprenderem conceitos de educação ambiental e conhecimento botânico, além de abrir portas para o mercado de trabalho. "A atuação do ilustrador botânico é fundamental para diferenciar as espécies nos registros científicos. Os desenhos realçam nuances que não são captadas nem pelas mais avançadas câmeras fotográficas", explica.
A ilustradora botânica Ana Iath, uma das coordenadoras do projeto, está satisfeita com o resultado dos trabalhos apresentados até agora. "Estou percebendo grandes talentos aqui no Pará. Creio que o estado estará muito bem representado neste projeto". Se depender do entusiasmo dos participantes da oficina em Parauapebas os resultados não poderão ser melhores. "Se eu souber que alguém recebeu uma carta, e que nela há um selo desenhado por mim, vou me sentir a pessoa mais feliz do mundo", diz Tainara dos Santos Nascimento, de 14 anos.
Parauapebas, 21 de agosto de 2009

sexta-feira, agosto 21, 2009

Da série... separados no nascimento...


Professora é acusada de violentar aluno 28 vezes

Rachel L. Holt

Que bobagem!

O garoto descobrindo o sexo com um hipopótamo!


É até bizarro... Acho que prenderam a mulher por tentativa de esmagamento!


Uma professora do Estado americano de Delaware, nos Estados Unidos, foi acusada no dia 05 de abril de 2006, de ter violentado 28 vezes um menino de 13 anos de idade. Ela confirmou ter se envolvido em um "relacionamento sexual" que durou uma semana, disse a polícia. Rachel L. Holt, 34 anos, é professora de Ciências na Escola Elementar de Claymont. Segundo o chefe de polícia de New Castle County, Scott McLaren, ela também é acusada de ter permitido que outro menor, 12 anos, assistisse a ela e o outro menino fazendo sexo, além de ter dado cerveja a eles. Segundo a rede de televisão CNN, Rachel foi presa, e a fiança estabelecida em US$ 500 mil. Ela também foi demitida pela escola. Robert Ziegler, porta-voz do Distrito Escolar de Brandywine School District, confirmou que dois meninos estão envolvidos no caso. "Um estudante foi abusado fisicamente, e o outro apenas observou", disse. Segundo a polícia, Rachel e o menino de 13 anos fizeram sexo 28 vezes entre 24 e 31 de março. Pelas leis do Estado de Delaware, o menino é muito novo para poder praticar uma relação consentida de sexo. A polícia começou a investigação depois que o pai da vítima denunciou que seu filho estava tendo uma "relação inapropriada" com sua professora. O pai também informou que seu filho mentiu para ele sobre passar a noite na casa de parentes, enquanto na verdade ele estava na casa da professora, disse a polícia em um comunicado à imprensa. Diligências apuraram que Rachel sabia que o pai da vítima iria desaprovar o fato de o menino passar a noite em sua casa. A polícia descobriu que ela telefonou para a namorada do pai do menino fingindo ser a mãe do menor para obter permissão para ele ficar com ela em sua casa, na cidade de Wilmington.

Vale aumenta para 76% o índice de reaproveitamento de água em suas operações no mundo

Resultado, incluído no Relatório de Sustentabilidade 2008, divulgado hoje, no Rio, coloca a empresa entre as líderes do setor de mineração em relação ao uso racional de recursos hídricos
A Vale lança hoje, no Rio, o seu Relatório de Sustentabilidade 2008, mostrando que a empresa conseguiu avanços significativos nas áreas ambiental, social e econômica. Um dos bons resultados, registrado no documento, foi o aumento do reaproveitamento de recursos hídricos na empresa. Do total de 1,37 bilhão de m3 de água consumido em 2008, 1,03 bilhão de m3 (76%) são provenientes de projetos de recirculação e reutilização em diversas unidades, incluindo as operações da Vale na Austrália, adquiridas em 2007 e que só foram consideradas no relatório de 2008. O percentual é superior ao registrado em 2007 (65%). Entre as razões do bom resultado do ano passado, que coloca a Vale entre as líderes do setor de mineração em relação ao reaproveitamento de recursos hídricos, está o aumento da capacidade de reservar água, possibilitando otimizar o reaproveitamento em diversas unidades.

No Relatório de Sustentabilidade 2008, que segue a metodologia da GRI (Global Reporting Initiative), a empresa aumentou o grau de transparência na divulgação de suas informações, ao reportar 73 indicadores ambientais, sociais e econômicos - 22 a mais do que foi reportado em 2007, quando a Vale adotou este modelo. Como no ano passado, o relatório segue a versão mais atual das diretrizes GRI, a G3, e é classificado no nível B+, numa escala que vai do nível C ao A+. O documento também contou com a verificação externa independente, realizada pela consultoria KPMG Assurance Services.
Modelo GRI
Criada em 1997, a GRI é uma rede formada por especialistas em sustentabilidade, sediada na Holanda, que desenvolveu a estrutura mais difundida globalmente para elaboração de relatórios de sustentabilidade.
"Com essa publicação, reafirmamos o nosso compromisso com a transparência de nossas atividades e com o aprimoramento da gestão interna de sustentabilidade. Em 2008, fomos reconhecidos como empresa comprometida com a comunicação transparente, uma vez que nosso Relatório de Sustentabilidade 2007 foi destacado como Publicação de Comunicação de Progresso Notável pelo Pacto Global das Nações Unidas (ONU), o que aponta que estamos no caminho certo", afirma o diretor-presidente da Vale, Roger Agnelli, em sua mensagem publicada no trabalho.
A divulgação do Relatório de Sustentabilidade 2007, o primeiro com base no modelo GRI, contribuiu para reconhecimentos recebidos pela Vale. A empresa passou a figurar entre as cinco empresas mais bem posicionadas do setor de materiais básicos (mineração e metais, preciosos, siderurgia e químicos) do relatório GS Sustain 2008, publicado pelo banco de investimentos Goldman Sachs, que considera em sua análise o Desempenho em Sustentabilidade; Temas da Indústria (acesso a mercados, custo operacional e projetos de expansão) e
Retorno de Capital (retorno para o acionista do capital investido). Mais recentemente, a Vale recebeu o Prêmio Transparência em Sustentabilidade, concedido pelo Instituto Brasileiro de Relações com Investidores (IBRI), que considerou em sua análise as empresas listadas na Bovespa.
Política de Desenvolvimento Sustentável
Divulgada em janeiro de 2009, a Política de Desenvolvimento Sustentável reforça o alinhamento da Vale com iniciativas globais das quais participa como o Pacto Global das Nações Unidas e o Conselho Internacional de Mineração e Metais (ICMM, na sigla em inglês), fórum global de sustentabilidade do setor. A estratégia de sustentabilidade da empresa é baseada em três pilares: Operador Sustentável, Catalisador do Desenvolvimento Local e Agente Global de Sustentabilidade.
A política contribuirá para o alinhamento da estratégia da Vale de sustentabilidade, o planejamento dos seus negócios e a superação dos desafios locais e globais.
Mudanças Climáticas
Um dos desafios globais da Política de Desenvolvimento Sustentável para os quais a Vale está atenta são as mudanças climáticas. Em 2008, as emissões de gases de efeito estufa (GEE) da empresa foram de 16,8 milhões de toneladas de CO2 equivalente - um crescimento de 10% em relação a 2007. Este aumento deve-se, principalmente, à incorporação das unidades da Vale Austrália e ao aprimoramento da metodologia de cálculo das emissões.
No ano passado, a empresa lançou suas Diretrizes Corporativas sobre Mudanças Climáticas e Carbono, que incluem o Programa Carbono Vale, um conjunto de ações, coordenados globalmente. Entre as ações implementadas, estão a substituição de óleo combustível por gás natural em usinas de pelotização do Espírito Santo e de Minas Gerais, que resultou em redução de 139 mil toneladas de CO
2 equivalente em 2008 em relação ao ano anterior, e a captura de metano para geração de eletricidade em operações da mina subterrânea Integra, em New South Wales, na Austrália. Além de reduzir as emissões de gases do efeito estufa, a usina tem capacidade de gerar 10 megawatts de eletricidade, suficientes para suprir a demanda de 15 mil casas.
Do total da eletricidade comprada pela Vale (energia indireta), 76% são provenientes de fontes hidrelétricas. No Brasil, a empresa investe intensamente na geração de energia elétrica principalmente a partir de fontes hidrelétricas por meio de consórcios (sete usinas estão em operação e uma em construção, Estreito), e também a partir de pequenas centrais hidrelétricas (PCHs). A Vale produz 34% de sua necessidade de energia elétrica.
A empresa vem investindo também em gás natural e biodiesel como substitutos do diesel e do óleo combustível em suas operações. Em fevereiro, a Vale lançou o Trem Verde (ou Trem Flex), projeto que prevê a mistura de gás natural e diesel em suas locomotivas, com concentrações do gás variando entre 50% e 70%. O projeto está sendo implantado em caráter experimental na Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM). Estimativas indicam que, com o uso do gás nas locomotivas da EFVM e da Estrada de Ferro Carajás (EFC), deixarão ser emitidas, anualmente, 73 mil toneladas de CO2 equivalente na atmosfera.
A Vale assinou, também este ano, convênio com a empresa Biopalma da Amazônia S.A. para a produção de biodiesel a partir do óleo de palma - que apresenta um índice de produtividade 10 vezes maior que a soja. A intenção é usar a mistura B20 (20% de biodiesel e 80% de diesel comum) na EFC e em algumas operações de mineração do Sistema Norte a partir de 2014, antecipando-se à regulamentação que prevê a obrigatoriedade do uso da mistura apenas em 2020. Hoje, a Vale usa B3 em suas locomotivas.
A transparência na divulgação de emissões da Vale, que publica seu inventário de gases de efeito estufa anualmente, e as ações empreendidas nos últimos anos vem sendo reconhecidas pelo mercado. A empresa é líder mundial no ranking de mudanças climáticas no relatório
GS Sustain - Change is coming: a framework for climate change - a defining issue of the 21st century, do Goldman Sachs, publicado em julho e que analisa oportunidades e desafios relacionados ao tema. O banco de investimentos considerou, no documento, que a empresa gera suas emissões de forma mais efetiva que seus pares. Foram analisados relatórios públicos de cerca de 800 companhias globais, divididas em 24 setores, com valor de mercado equivalente a cerca de 90% do índice MSCI World, composto por ações de empresas de 48 países.
Em 2008, a Vale foi a única empresa da América Latina listada no Carbon Disclosure Leadership Índex pelo Carbon Disclosure Project (CDP). O índice avalia as 500 maiores empresas globais, por capitalização de mercado, listadas no índice FTSE Global Equity Index Series - Global 500. A Vale foi a mineradora que registrou o menor índice de intensidade de emissões de gases do efeito estufa (GEE) em 2007, segundo critério emissão por receita adotado pela organização.
Veja o Relatório de Sustentabilidade completo em inglês e português no site: www.vale.com
Números
Pessoas
A Vale fechou o ano de 2008 com 145,7 mil empregados próprios e de terceiros, dos quais 80% com atuação no Brasil;
Mesmo diante da crise financeira global, o total de empregos diretos permaneceu praticamente estável em relação a 2007. Já o número de empregados próprios apresentou aumento de 5,5 mil;
Em 2008, as mulheres representavam 10% da força de trabalho da Vale, característica comum no setor de mineração. Deste contingente, 49% ocupavam cargos de técnicos e 40% atuavam como especialistas (nível superior);
A educação é um dos principais compromissos da Vale com a responsabilidade social e o desenvolvimento sustentável. A Valer, Departamento de Educação da empresa, mantém 25 unidades de capacitação e treinamento no Brasil e uma no exterior (China). Em 2008, 4,5 mil pessoas participaram de programas de qualificação profissional na cadeia produtiva da mineração.

Desenvolvimento Local
O volume de recursos aplicados na área social pela Vale em 2008 foi de US$ 231 milhões - mesmo valor aplicado em 2007. Do total de investimento realizado, cerca de 95% foram direcionados a ações voluntárias, executadas diretamente pela Vale ou em parceria com organizações da sociedade civil.
A Fundação Vale busca ampliar sua contribuição para o desenvolvimento integrado dos territórios onde a Vale atua e baseia-se no tripé infraestrutura, gestão pública e desenvolvimento humano e econômico;
A inauguração da primeira Estação Conhecimento, em Tucumã (PA), em outubro de 2008, marcou o avanço na realização de ações sociais estruturantes. A proposta da Estação Conhecimento amplia o conceito da escola tradicional porque trabalha com o desenvolvimento físico, emocional e cognitivo de forma integrada, por meio de atividades relacionadas ao esporte de alto rendimento, à cultura e à qualificação profissional. A intenção da Fundação é inaugurar 15 Estações até 2015, beneficiando 30 mil crianças e jovens de 7 a 19 anos nas suas áreas de atuação no Brasil.
Saúde e Segurança
A taxa de acidentes com afastamento da Vale caiu 32% entre 2007 e 2008 (de 2,2 para 1,5 acidentes por 1 milhão de homem hora trabalhada);
Apesar dos avanços nas taxas de saúde e segurança, infelizmente a empresa registrou, em 2008, a ocorrência de 9 acidentes fatais. A Vale continua a intensificar a estratégia de transformação rumo a uma cultura de prevenção, por meio da implantação dos Requisitos para Atividades Críticas (RACs);
Os RACs incluem adoção de normas, uso de equipamentos e investimentos em infraestrutura, visando garantir a segurança das 10 atividades operacionais que, historicamente, representam 71% do risco de fatalidade. Em 2008, a empresa atingiu nível de 53% na implantação dos RACs. A meta é alcançar o nível de implantação de 70%, em 2009, e 100% até o fim de 2010.

Meio Ambiente e Biodiversidade
O volume de recursos aplicados na área ambiental pela Vale em 2008 foi de US$ 678 milhões, valor 50% superior ao realizado em 2007. A maior parte desses recursos foi destinado à aquisição e implantação de equipamentos de controle ambiental, manutenção ambiental e segurança geotécnica de barragens e pilhas de estéril e reflorestamento e reabilitação de áreas degradadas;
Além da recuperação nas áreas de mineração, considerando-se a recuperação e plantio realizadas voluntariamente pela Vale em terras de terceiros e arrendadas, a empresa zerou seu footprint florestal no Brasil. Ou seja, hoje, para cada hectare impactado, a empresa já plantou ou recuperou 1,4 hectare;
Em 2008, a Vale produziu 487 mil toneladas de resíduos (dos quais 19% perigosos). Os volumes destinados à reciclagem e disposição em solo são os mais expressivos, representando 50% e 39%, respectivamente. Observa-se, ao longo dos anos, a tendência de aumento da reciclagem;
A Vale protege (áreas próprias) ou ajuda a proteger (área de terceiros) aproximadamente 10.201km2 de áreas naturais, incluindo sítios de propriedade da empresa (4%), áreas arrendadas (3%) e unidades de conservação oficiais protegidas em parceria com os governos locais (93%). As áreas protegidas pela Vale abrangem territórios nos biomas Floresta Amazônica (82%), Florestas Boreais (<1%), Mata Atlântica (5%) e Wallacea (12%), bem como em áreas na Nova Caledônia (<1%) e propriedades localizadas na região de transição entre a Mata Atlântica e o Cerrado (1%.