Banners


Create your own banner at mybannermaker.com!

Aproveitamento do caroço de açaí

< / a >

quarta-feira, abril 29, 2015

Prefeito de Barretos Guilherme Henrique de Ávila apoia implantação de empreendimento de artefatos de caroços de açaí e lapidário




Quero agradecer ao digníssimo prefeito de Barretos, município de São Paulo, Guilherme Henrique de Ávila, pela manifestação de apoio a implantação do nosso empreendimento de artefatos de caroços de açaí neste município até o final deste ano, assim também como a implantação de um lapidário que terá como finalidade, lapidar pedras preciosas, principalmente Ametistas, oriundas do Pará, quando o procurei em seu gabinete nos respectivos dias, 06 do mês em curso e no último dia 27. 

Grato ainda pelas palavras de apoio e incentivo, do gestor deste município que é referência mundial em festa  de "Peão de Rodeio", a respeito desta nossa iniciativa em trazer para esta cidade um empreendimento onde sua matéria prima só é encontrada em abundância, no estado do Pará, e na região norte do Brasil. 


Hoje a tarde, tive o privilégio de sentar-me com a Diretora de Comunicação Social LUCIANA GOMES, da Prefeitura Municipal de Barretos,  a pedido do Sr, Prefeito Guilherme Henrique, com o objetivo de discutirmos os termos da nossa parceria, para em seguida, ser submetida a análise do Chefe do Executivo deste município, para posterior aprovação do mesmo.  





terça-feira, abril 28, 2015

Brasileiro Rodrigo Gularte é executado na Indonésia

Ele foi condenado à morte por tráfico de drogas em 2005.
É o 2º brasileiro executado por pelotão de fuzilamento no país este ano.

Do G1, em São Paulo
O brasileiro Rodrigo Gularte, de 42 anos, foi executado na Indonésia na madrugada desta quarta-feira (29) – horário local, tarde de terça-feira (28) no horário de Brasília.

 Ele havia sido condenado à morte por tráfico de drogas, e a pena foi executada por um pelotão de fuzilamento.

Outros sete condenados por tráfico de drogas foram executados. 





Mary Jane precisa testemunhar neste outro processo, por isso o presidente filipino pediu que sua execução fosse postergada.

O paranaense Gularte foi preso em julho de 2004 depois de tentar ingressar na Indonésia com 6 quilos de cocaína escondidos em pranchas de surfe. 

Ele foi condenado à morte em 2005.
Gularte é o segundo brasileiro executado no país este ano – em janeiro, Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos, foi fuzilado.

Ele também cumpria pena por tráfico de drogas.

O governo brasileiro divulgou nota na qual diz ter recebido com "profunda consternação" a notícia da execução de Gularte. 

De acordo com o Itamaraty, a presidente Dilma Rousseff enviou carta ao presidente indonésio, Joko Widodo, pedindo a suspensão da pena de morte em razão do "quadro psiquiátrico" do brasileiro.
A filipina Mary Jane Veloso, em foto de 21 de abril, durante celebração do Kartini Day, em homenagem à ativista dos direitos femininos Raden Kartini, na prisão Yogyakarta (Foto: AFP Photo/Tarko Sudiarno/Files)A filipina Mary Jane Veloso, em foto de 21 de abril. Ela seria executada nesta terça, mas o presidente filipino pediu que o cumprimento da pena fosse adiado (Foto: AFP Photo/Tarko Sudiarno/Files)


Gularte foi diagnosticado com esquizofrenia por dois relatórios médicos no ano passado. 

Em março, uma equipe médica reavaliou o brasileiro a pedido da Procuradoria Geral indonésia, mas o resultado deste laudo não foi divulgado.

Familiares e conhecidos relataram que Gularte passava seus dias na prisão conversando com paredes e ouvindo vozes. 

Dizem que ele se recusava a tirar um boné, que usava virado para trás, alegando ser sua proteção.

Angelita Muxfeldt, prima de Gularte, passou os últimos meses na Indonésia tentando reverter a decisão.

Ela esteve com ele pela última vez na tarde de terça, no horário local, horas antes da execução.

Angelita contou, antes da execução, que não disse ao primo claramente o iria ocorrer, e que ele não sabia o que iria acontecer, apesar de ter sido informado no sábado (25) da morte iminente. 

Segundo a brasileira, ele sofre de delírios e não entendeu que seria executado, acreditando que ainda seria solto.
Executados
Além do brasileiro, sete outros suspeitos foram executados

Todos foram condenados por tráfico de drogas e tiveram seus pedidos de clemência rejeitados.

Eles são os australianos Myuran Sukumaran e Andrew Chan, os nigerianos Martin Anderson, Okwudili Oyatanze, Sylvester Obiekwe Nwolise e Jamiu Owolabi Abashin e o indonésio Zainal Abidin.

A Austrália e as Filipinas também tentaram diversos recursos para adiar as execuções, além de realizarem pressão diplomática, mas sem sucesso. 

Montagem com fotos de seis dos oito executados à morte por tráfico na Indonésia na terça (28): acima, a partir da esquerda, os australianos Myuran Sukumaran e Andrew Chan o nigeriano Martin Anderson. Abaixo, os nigerianos Jamiu Owolabi Abashin e Sylvester (Foto: AFP Photo)Montagem com fotos de seis dos oito executados por tráfico na Indonésia na terça (28): acima, a partir da esquerda, os australianos Myuran Sukumaran e Andrew Chan e o nigeriano Martin Anderson. Abaixo, os nigerianos Jamiu Owolabi Abashin e Sylvester (Foto: AFP Photo)


Crise diplomática:

Em janeiro, o fuzilamento de Marco Archer gerou uma crise diplomática entre o país asiático e o Brasil.


A presidente Dilma Rousseff se disse "consternada e indignada" com o ocorrido e convocou o embaixador brasileiro em Jacarta para consultas.

Em fevereiro, Dilma decidiu adiar o recebimento das credenciais do novo embaixador da Indonésia em Brasília para reavaliar a situação bilateral entre os dois países. 

Em represália, o Ministério das Relações Exteriores indonésio chamou de volta ao país o embaixador no Brasil, Toto Riyanto, e convocou para uma reunião o então embaixador brasileiro em Jacarta, Paulo Soares, que deixou o comando da chancelaria indonésia em março.

Atualmente, a embaixada do Brasil em Jacarta está sendo chefiada, interinamente, por Leonardo Monteiro, encarregado de negócios da chancelaria indonésia.

A Indonésia reforçou suas penalidades por crimes de tráfico de drogas e voltou a realizar execuções em 2013, depois de uma pausa de cinco anos.

segunda-feira, abril 27, 2015

Concluida 8ª leitura da maior biblioteca do mundo em seis anos




Hoje, dia 27 de abril de 2015, conclui pela oitava vez em seis anos, a leitura  da maior e mais importante biblioteca do mundo, composta por 66 livros que superam qualquer biblioteca existente no planeta terra. 

Iniciei sua leitura no dia 12 de julho de 2014, e encerrei hoje as 6: 30 da manhã desta segunda feira. 

Estou me referindo a Bíblia Sagrada, conhecida também por Sagradas Escrituras. 

Tudo começo em 2009 quando conheci a minha esposa Gina Miuki Mikawa Barreto, em Barretos, São Paulo. 

Naquele ano ela enfrentava um tratamento médico para se libertar de um mal que seus médicos não conseguiam curá-la e nem os dez comprimidos que ela tomava por dia, não surtiam nenhum efeito. 

Depois de acompanhá-la por duas vezes aos seus médicos, e ouvir os diagnósticos de sua doença que lhe maltratava com uma interminável dor de cabeça e dor na coluna que a incomodava dia e noite, convidei-lhe para entregar a sua vida de forma incondicional ao Senhor e Salvador Jesus Cristo, afirmando-lhe que só Ele a curaria daqueles incômodos físico e mental, ela não hesitou em aceitar a minha orientação, nos ajoelhamos, e fiz uma oração a Deus entregando-lhe sua vida a Ele, e rogando-lhe que a libertasse daqueles males. 

Levantamos e falei para ela que a partir daquele dia, ela ia estudar a Bíblia Sagrada comigo todos os dias. 

Começamos no dia seguinte a fazer a nossa leitura em Gênesis, só bastou uma semana de dedicação a leitura deste Livro que se constitui na maior e mais importante biblioteca do mundo, para Deus libertá-la definitivamente de todo àquele mal que lhe atormentava tanto, que já não sabia mais o que fazer. 

Completamos seis anos de casados no dia 1º de março deste ano, e para a glória de Deus, minha querida esposa nunca mais sentiu nenhum problema no seu corpo. 

Por que afirmo que este livro é a maior e mais importante biblioteca do mundo sendo que o mesmo é composto de apenas 66 livros ? 

Porque este é o único livro onde nós encontramos respostas para todos os problemas da humanidade, inclusive a origem da criação do universo como também do ser humano. 

Nesta Biblioteca encontramos a história da rebeldia do homem com seu Criador, as consequência da nossa desobediência a Ele, como também aprendemos em suas páginas que a única forma de nos reconciliarmos com Ele, é através do Seu Filho amado Jesus Cristo, convertendo-nos a Ele, e "Nascendo de novo, da água e do Espírito Santo", nos tornando "Novas criaturas". 

Esta Biblioteca é a única capaz de nos suprir de sabedoria, porque as demais existentes no mundo, só podem nos suprir de conhecimentos intelectuais, e aprimorar a nossa inteligência.  Porque a sabedoria é um atributo exclusivo de Deus, o nosso Criador, e para nós sermos beneficiados com ela, precisamos estar com a nossa vida em harmonia e sintonia com Ele. 





























Valter Desiderio Barreto - Igreja viva do Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Barretos, São Paulo. 

Advogado de Limeira aprovado em 5 mestrados nos EUA vai para Harvard

'Quero estar em uma discussão de nível mundial', diz jovem de 28 anos. 

Rafael de Almeida Andrade escolheu estudar com alunos de 70 países.

Alessandro MeirellesDo G1 Piracicaba e Região
Advogado de Limeira que passou para 5 mestrados no Estados Unidos (Foto: Rafael de Almeida Rosa Andrade/Arquivo pessoal)Advogado diz que disciplina faz a diferença (Foto: Rafael de Almeida Rosa Andrade/Arquivo pessoal)

Aos 28 anos, Rafael de Almeida Rosa Andrade fala três idiomas, tem dois livros jurídicos publicados e está prestes a concluir um mestrado na Universidade de São Paulo (USP).

Com experiência de 6 anos como advogado, adquiriu credenciais para o sucesso profissional na área. 

Mas o jovem de Limeira (SP) quer ir além. 
Mais precisamente para os Estados Unidos, onde foi aprovado em cinco cursos de mestrado e escolheu Harvard.

O advogado inicia os estudos no exterior até o final do ano. 

Além do curso em Cambridge, ele poderia optar por bolsas de estudos obtidas em Yale, Stanford, Columbia e Chicago. 

Mas fez a escolha por uma experiência "de nível mundial". 

Em Harvard, o jovem vai estudar em uma turma com 160 alunos de 70 países. 

A seleção durou mais de seis meses em terras americanas.


Formado em direito pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), ele conta que a decisão de emendar um mestrado no Brasil com outro no exterior é resultado de uma "curiosidade" acadêmica.

"Estou concluindo um curso na USP e pode soar estranho ir aos EUA fazer mais um mestrado, mas a pesquisa que vou desenvolver lá tem um foco diferente. 


Pretendo compreender melhor determinados aspectos do sistema jurídico norte-americano e dialogar com alguns professores e pesquisadores. 

Ser aceito significa muito pra mim.
 É a chance de estar em uma discussão de nível mundial e influenciar mais do que eu esperava em questões relevantes", disse Andrade.

Advogado de Limeira que passou para 5 mestrados no Estados Unidos (Foto: Rafael de Almeida Rosa Andrade/Arquivo pessoal)Processo de seleção durou mais de 6 meses
(Foto:Rafael de Almeida R. A./Arquivo pessoal)
Disciplina

"Nunca estudei 10 horas por dia, até porque já trabalho. 


O maior segredo é ter disciplina.
 Sempre 'fucei' e fui crescendo. 
Sou extremamente focado e acho que isso pesa. 

Achava que tinha condições de conseguir (uma bolsa), mas não esperava nas cinco", confessa o jovem que atualmente trabalha em São Paulo, onde é associado a um escritório de advocacia.

"Eu fiquei com muita dúvida entre Harvard e Yale. Yale é, atualmente, a melhor faculdade de direito dos EUA e aceita anualmente apenas 20 e poucos alunos do mundo inteiro para o programa de mestrado. 

Harvard, por exemplo, aceita 160, mas possui um núcleo muito forte de pesquisa aplicada em direito societário e direito dos contratos, e eu achei que isso ajudaria muito minha linha de pesquisa", disse.

Andrade ainda ressaltou a localização geográfica de Harvard e o aspecto cosmopolita do campus. 
"Recebe anualmente alunos com históricos muito diferentes e eu achei que isso seria muito interessante para o processo de ensino e discussão sobre o direito."
Futuro

A bolsa de mestrado internacional tem duração de um ano e é parcial. "Não cobre todas as despesas.
 Mas estou me preparando e valerá todo esforço. 

Vou colher os frutos do conhecimento", disse. 

Ele pretende "esticar" a estadia nos EUA por mais um ano após o curso.

"O tempo exato dependerá do sucesso da minha pesquisa e do meu interesse em continuar vinculado a Harvard, aí já como aluno do doutorado", finalizou.